Brasileiro 2012 - 13a rodada - São Paulo 4 x 1 Flamengo

Para quem achava que bastava tirar Joel Santana e Renato Abreu para o Flamengo melhorar, um pouco de choque de realidade.



Dorival Júnior terminou o jogo de sua pré-estreia, contra a Portuguesa, apontando como grande problema do time a "falta de compactação". Deu muita atenção a isso no pouco tempo de treino que teve até a partida de ontem. E até deu pra ver alguma evolução neste aspecto da marcação já no primeiro tempo do Morumbi. Mas só isso não adianta; faltou mostrar alguma coisa quando o time tinha a bola, e nisso o Flamengo falhou lamentavelmente.

Foram mal os zagueiros, apelando sempre para os chutões que devolviam a bola ao adversário com facilidade; foram mal Léo Moura, errando passes demais, e Luiz Antônio, que nunca encontrou seu lugar em campo, ambos parte do problema de saída de bola; foram mal Íbson, com quem não dá mesmo pra contar como armador, e Camacho, que deveria ter aparecido muito mais para o jogo; foram mal Adryan, improvisado no ataque, e Vágner Love, que foi prejudicado pelo isolamento mas podia não perder absolutamente todas as bolas que chegaram e ele nos primeiros 45 minutos. Assim, o time tinha dificuldades para sair jogando da defesa, dificuldades para trocar passes ou mostrar qualquer criatividade no meio e dificuldades para manter a bola no ataque, quando ela por algum milagre acabava chegando por lá.

Foram 45 minutos sem um único chute a gol, ainda que errado, do time do Flamengo. Mas, no fim, os dois gols do São Paulo acabaram saindo com a colaboração de Paulo Victor, que não alcançou um chute fraco no primeiro e saiu totalmente errado no segundo. Até ali, o goleiro rubro-negro já havia feito três defesas difíceis (uma delas, na verdade, após falha dele mesmo em outra saída em falso pelo alto), mas acabou contribuindo decisivamente para a derrota.

No segundo tempo, Dorival não quis mexer no esquema e apenas trocou nomes. O São Paulo, com a vantagem que tinha, recuou e permitiu que o Flamengo atacasse e tivesse mais posse de bola. Finalmente o time começou a levar algum perigo ao adversário, mas abriu-se totalmente aos contra-ataques. Em um deles, González - que vem se mostrando uma tremenda decepção, sempre lento, sempre fraco com a bola nos pés -  falhou feio e o São Paulo fez seu terceiro gol, que basicamente definiu a partida.

Dorival Júnior, óbvio, ainda precisa de algum tempo implementando suas ideias e métodos para que se possa exigir pra valer uma melhora nos resultados. Mas vai ter mesmo muito trabalho para acertar este time - e mostrou que sabe disso, ao marcar um treinamento logo para hoje, dispensando a tradicional folga pós-jogo. Faz bem, pois esta é uma semana com um pouco mais de tempo para treinar e conseguir alguma evolução; depois disso, serão mais cinco rodadas com intervalo de dois ou três dias entre cada partida.



29/7/2012 - 16h - São Paulo 4 x 1 Flamengo
Morumbi - São Paulo, SP
Público/renda: 33.736 pagantes /R$ 951.033

Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Alessandro A. Rocha (Fifa-BA) e Adailton José de Jesus Silva (BA)
Cartões amarelos: Luis Fabiano, Rodrigo Caio (SPO); Ramon (FLA)

Gols: Maicon, 41'/1ºT (1-0); Luis Fabiano, 45'/1ºT (2-0); Luis Fabiano, 14'/2ºT (3-0); Ramon, 21'/2ºT (3-1); Jadson, 47'/2ºT (4-1)

São Paulo: Rogério Ceni, João Filipe, Rafael Toloi, Rodolpho e Cortez; Maicon (Willian José - 34'/2ºT), Denilson , Rodrigo Caio e Jadson; Ademilson (Cícero - 30'/2ºT) e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco

Flamengo: Paulo Victor, Léo Moura, Welinton, González e Ramon; Aírton (Amaral - 45'/1ºT), Luiz Antônio, Ibson e Camacho (Bottinelli - Intervalo); Adryan (Thomás - Intervalo) e Vágner Love. Técnico: Dorival Junior

4 comentários:

Luis disse...

André, vai ser difícil pensar e falar sobre o Mengão em época de Olimpíadas. Entre assistir a esse bando em campo e a semi-final de cuspe à distância em duplas entre Montenegro e Honduras, fico com o segundo evento.

Unknown disse...

André, realmente ele terá muito trabalho para convencer a este time a correr e jogar sem a bola. Concordo que no começo do jogo a compactação na marcação estava melhor mas faltou na frente. Pode reparar que no ataque um jogador passa a bola e fica parado. Ninguém se desloca para dar opção de passe e os laterais não abrem para criar a jogada pelos lados.

Agora acho que ele já pode pensar em algumas mudanças. Para mim Felipe tem que voltar. Mais experiente e impõe certo respeito. P. Vitor é fraco nas saídas do gol e em chutes de longe. Pode fazer um restrospecto e vai ver quantos gols ele já tomou assim. Me lembro de 2 jogos assim num estalo, contra o OLimpia na libertadores e recentemente contra o Corintians. Galera hoje abriu chuta porque sabe que uma hora ele aceita.

Acho que testar 3 zagueiros e imperativo, mas sem Welinton pelo amor de Deus. NOssos laterais não marcam e tanto a zaga quanto o Airton não conseguem fazer a cobertura. Bota 3 zagueiros e libera os laterais para tentar algo pelas pontas.

Acho que ele tem que escolher entre o IBson e o Luiz Antonio, eles estão batendo cabeça.

Poria Caceres (se é que joga alguma coisa mesmo), IBson e Adryan (ou Mateus).

Na frente o Love e tentava o Lucas do lado dele.

Enquanto isso, haja vela para São Judas.

ok disse...

jogar com 3 zagueiros? na minha opinião nem pensar! se 2 já fazem tantas cagadas, imagine 3!
o flamengo precisa de uma defesa nova! isso é primordial! seria bom dar uma chance ao tal de thiago medeiros, que foi eleito melhor zagueiro do carioca junto com dedé.
o problema é que não há critério para contratações. o flamengo já tinha luis antônio e muralha para 2º volante e ainda trouxeram carceres e ibson. o jeito é torcer para que um deles consiga jogar de 1º volante.
esperava mais do camacho, mas ainda assim o prefiro a renato abreu.
acho que o thomas pode ser mais efetivo no ataque que adryan, que deveria jogar mais atrás, ode rende mais.
talvez o ideal fosse colocar mesmo matheus e adryan no meio e ver no que dá, mas tenho dúvidas se dá pra colocar os dois meio sem enfraquecer a marcação.
como 2º atacante, insistiria no thomas mesmo, por que diego mauricio, negeba ou hernani não dá!
talvez fosse hora de testar o rafinha ou lucas ao lado do love, se o thomas não render. enfim, com este elenco pode-se fazer muitas apostas, mas há poucas certezas!

Fernando Almenara disse...

Com relação ao Renato, acho que ele deve ser titular nesse time do Flamengo. Também acho que ele não está jogando bem, assim como Ibson e Luiz Antônio. Entretanto, não podemos negar que, com exceção do Love em boa fase, ele é o jogador mais decisivo do elenco. Para constatarmos isso, basta contar a quantidade de gols que ele fez com chutes de fora da área. Ibson até foi decisivo em dois jogos, porém, cavando pênalti.

Abraço a todos do blog.