Faz parte do pacote. Mas o pacote vale a pena?

"Faz parte do pacote". Quantas vezes ainda teremos que ler e ouvir isso?

"Ah, então não sabiam que ia ser assim?"

A minha pergunta é: então todo mundo achava razoável que, a menos de dois meses da Copa e com a convocação ameaçada, numa semana de decisão na Libertadores contra o Corinthians, o cara simplesmente deixasse de ir a treino para ser visto passeando em Ipanema com a namorada ou coisa do gênero?

Isso realmente fazia parte do pacote que imaginavam? Todo mundo achava tranquilo que chegasse a este ponto? Então tá.

Já escrevi isso: o que mais me impressiona nisso tudo não é nem o total desrespeito de Adriano com seus empregadores, e sim perceber que nada consegue motivar o cara a aguentar um mêszinho na linha.

Copa do Mundo, Brasileiro, Libertadores, clássicos, jogos decisivos - nada.

Será que existe tratamento pra isso?


* * * * * * * * * * * * *

E agora, o que fazer?

Dizer que Andrade e Marcos Braz foram demitidos por permitirem que este tipo de coisa acontecesse sem punição é uma meia-verdade. Eles foram demitidos por permitirem que este tipo de coisa acontecesse sem punição e perderem em campo. Se o Flamengo tivesse ganho do Botafogo e feito dois gols de diferença no Caracas, Adriano poderia levar asnos e anões pra dentro do vestiário que o ex-técnico e o ex-dirigente ainda estariam com seus trabalhos na Gávea.

Mas Adriano jogou mal e o time não ganhou. Daí...

Então, agora qualquer atitude é uma aposta. Se afastarem Adriano e o Flamengo ganhar, serão todos gênios e o novo profissionalismo será consagrado como fórmula infalível de sucesso. Se ele não jogar e perder, todos chegarão à conclusão óbvia de que com o Imperador em campo a vitória teria sido inevitável e que quem abriu mão de um jogador como ele numa decisão deste tamanho é um imbecil completo. Da mesma forma, se vencer com ele em campo, todos concluirão que "enquanto ele meter gol, tá ótimo"; se ele jogar e o time cair eliminado, a razão terá sido a bagunça generalizada, que influencia em campo etc. e tal.

Pois é assim que funciona: serão os resultados em campo que determinarão se a decisão que tomarem agora, seja ela qual for, foi correta ou não. A maior prova de que é assim que funciona é o fato do Hexa do ano passado ter feito a situação ser empurrada com a barriga até este ponto crítico.

* * * * * * * * * * * * *

Que fique claro: a esta altura, a responsabilidade de decidir o que fazer é de Patrícia Amorim - dela, somente dela. Não há cabimento em cobrar atitude de mais ninguém: o técnico é um interino que nunca trabalhou com um time profissional, a vice-presidência de futebol está vaga, o departamento está acéfalo. A única autoridade disponível, hoje, é a presidente - que outro dia mesmo disse que queria que os problemas do futebol não chegassem nela, mas criou uma situação de indefinição total no clube em que ocorre justo o contrário. Não há a quem ela possa passar a bola.

Eu sei o quanto seria difícil tomar a atitude de tirar Adriano do jogo numa hora dessas. Mas não dá, ainda mais depois da traumática queda de gabinete do futebol rubro-negro há poucos dias, pra deixar isso passar em branco. Algo tem que acontecer com Adriano.

Não sei dizer exatamente que medida estaria de bom tamanho ou não. Mas vocês nunca leriam por aqui crítica nenhuma se ela simplesmente resolvesse mandá-lo embora.

"Faz parte do pacote", já sei, todo mundo sabe. Mas tudo tem que ter um limite.

* * * * * * * * * * * * *


Bem, já que no fim o que determina os julgamentos mesmo é o que acontece em campo, vamos lá.

No último jogo, Adriano fez questão de demonstrar que não aceita qualquer crítica ao presentear a torcida com sua cara feia após o gol de pênalti que marcou. Mas a sua atuação em campo não foi exatamente nenhuma grande resposta a ninguém. Quando a bola chega a ele, ainda podemos perceber que é melhor que todo mundo ali - mais lúcido, inclusive. No segundo tempo, quando o time passou a apelar mais para os chutões pelo alto na sua direção, ele até se esforçou mais na briga por cima com os zagueiros e, depois de seu gol, foi visto dando piques pra marcar a saída de bola. Mas, na maior parte do tempo, voltou a jogar paradaço, sem se animar a dar dois passos que fossem para se afastar da marcação e facilitar o passe.

Mas já escrevi aqui que isso não é nenhuma surpresa, pois faz parte do pacote um futebol num nível que seria mais que razoável para outros jogadores, mas é bem abaixo do que todos sabemos que ele pode render. Lembremos agora dos jogos anteriores do Flamengo:

- Flamengo x Caracas - atuação fraca. Sem gol.
- Flamengo x Botafogo - atuação fraca, pênalti perdido. Sem gol.
- Flamengo x Universidad Catolica - não jogou.
- Flamengo x Vasco - não jogou.
- Flamengo x Universidad do Chile - não jogou.
- Flamengo x Friburguense - não jogou.
- Flamengo x América - Atuação fraca. Fez um gol de pênalti.
- Flamengo x Tigres - Dois gols.
- Flamengo x Botafogo - Dois gols.
- Flamengo x Universidad do Chile - atuação fraca. Sem gol.
- Flamengo x Vasco - Atuação fraca. Fez um gol de pênalti e pediu a Deus para perdoar as pessoas ruins.
- Flamengo x Caracas - Não jogou.
- Flamengo x Resende - Não jogou.
- Flamengo x Madureira - Não jogou.
- Flamengo x Macaé - Não jogou.
- Flamengo x Universidad Católica - Um gol.
- Flamengo x Botafogo - Atuação fraca, não fez gol.
- Flamengo x Boavista - Não jogou.
- Flamengo x Olaria - Fez um gol.

Nos últimos 20 jogos do Flamengo, portanto, Adriano não jogou em 9. Dos outros 11, fez gols em 7, sendo 3 deles de pênalti. Seu último gol sem ser de pênalti foi contra o Tigres, no dia 24 de março.

O pacote está valendo a pena?

15 comentários:

André disse...

Tens inteira razão na sua coluna. Entretanto tudo se resume a uma pergunta filosófica: É melhor o Adriano "meia-boca" ou 100% do Bruno Mezenga ou do Dênis Marques?

Vamos torcer para tudo dar certo e estarei no RJ para eliminarmos a "LA U".

Marcelo Mattos disse...

Hoje, Adriano chegou 9h45 para o treino que começou às 10h no Ninho do Urubu. Ou seja, tá lá treinando. Provavelmente não vai dar entrevista e ninguém mais vai tocar no assunto.

Por mais que tudo o que aconteceu ontem indique mais um grande caô do Imperador, acho que vão fazer vistas grossas mais uma vez (e a versão do "problema grave com a mãe", que surgiu quase meia-noite, depois de ninguém conseguir localizá-lo durante horas, vai ficar como a verdade mesmo. Ou então em breve vai surgir alguma foto dele com a tal Joana em Ipanema, sábado à tarde... aí quero ver).

Vamos ver se a Patrícia vai com ele, mas tirar do jogo é praticamente impossível.

Contrato dele termina 31 de maio? Mais fácil não ser renovado, afinal falta pouco pra terminar...

O que ele tá merecendo mesmo é nem ir pra Copa. Inacreditável uma Copa do Mundo não conseguir motivar um jogador.

Marcos André Lessa disse...

É, André, acho que vão empurrar até o fim do contrato. Até pq, se o Fla perder com ele jogando mal sem treinar, é um ótimo bode expiatório pra todo mundo...

Arthur Muhlenberg disse...

Continua valendo o pacote todo, principalmente se confrontarmos o Impera com seus reservas imediatos.

Murdock disse...

A análise fria jogo a jogo deixa o Imperador numa situação ruim, mas, como o Arthur disse, comparado com os reservas, ele ainda está muito a frente.

Além disso, acho que ele representa sempre uma ameaça ao adversário. No jogo com os Universidades o Love pegava na bola e iam 2, 3 pra cima dele. Isso não aconteceria com o Adriano em campo, seria arriscado deixá-lo solto.

Pastor JEFF disse...

André,

Apenas para te dar conhecimento de que citei este seu texto em meu Blog: A Palavra da Salvação Rubro-negra (http://igrejaflamengo.blogspot.com) FLAmém, irmão e parabéns pelos excelentes artigos.

Sobre Adriano: confira lá no meu blog! :)

Pedro disse...

Impossível barrar o Adriano.
Não se faz uma revolução disciplinar faltando 3 dias pro jogo do ano.
Deixa o Dênis Marques quietinho lá, sem ser relacionado pro jogo, por favor...

Eduardo Matheus disse...

O pacote é o que temos no momento, portanto, é com ele que devemos ir. Adriano não vem agradando muito a ninguém, porém o mais prudente agora é suportá-lo até o fim do seu contrato e contar com a sorte de, com seus golszinhos aqui e acolá conquistarmos a Libertadores. Depois discutiremos se o fardo valeu à pena ou não.

Sobre Adriano: confira lá no meu blog! :)

lussiannosousa disse...

"...Impossível barrar o Adriano.
Não se faz uma revolução disciplinar faltando 3 dias pro jogo do ano..."

"...comparado com os reservas, ele ainda está muito a frente..."

Concordo com as opiniões acima.
Mas diferente do Arthur, acho que o pacote não tá valendo a pena não.Infelizmente ele precisa jogar na quarta.Creio que seria traumático para os companheiros que beijam o chão q ele pisa.Ficaria um climainsuportável.

O que a patrícia está fazendo, e pra mim está bem claro - e eu concordo -, é ver até onde esse time vai.

Enquanto o time não sair da liberta ela não faz nada com o dep. de futebol e com adriano até a copa chegar, pra daí, com o time nas semi, negociar um contrato com adriano a maneira dela.
Agora o time caindo fora antes da libeta, é o famoso 'tchau e bença Adriano'. E na boa, é como tá rolando ai na net, tô no activia e johnnie walker pra ele. Encheu o saco essa palhaçadinha com a torcida de não comemorar gols e o desrespeito com o Flamengo.E tenho dito!! rs

Jean Work disse...

Olá amigo, sou da Flagol e deixei um e-mail para você, também Add vc no facebook. Depois dê uma olhada, saudações rubro-negra.

Bosco Ferreira disse...

Se o Sheik estivesse sendo apresentado eu diria que não!

Como o Sheik é apenas um devaneio meu, eu boto o meu rabo entre as pernas e submeto-me a esse capricho pois isso é uma herança herdada do FLA de ontem.

Esperamos que isso seja resolvido no máximo nos próximos 30 dias com a chegada de um menage para o DF e um expert em market para o respectivo departamento.

Ou não vem mais?

André Monnerat disse...

Bosco, o marketing já é dirigido por um profissional, remunerado para isso, que foi contratado nesta gestão.

O nome do Diretor Executivo é Harrison Batpista, que antes de vir pro Flamengo fez carreira na Texaco.

RMMachado disse...

André, tô com o Arthur.
Mas acho que a questão é muito mais abrangente do que um jogador. Véspera de decisão não se muda o time nem se cria ambiente negativo. Da-se apoio irrestrito. Após o jogo, com a classificação, mantem-se o apoio. Em caso de derrota (bate na madeira tres vezes, cruz credo, pai-nosso), vaia-se, xinga, etc. Até 4a, sou Adriano e mais 10. Sou Bruno e mais 10. Sou VL e mais 10. Sou Rogério e mais 11. Sou Patrícia e mais 11.
Cabe dizer que achei justa a punição e a justificativa dada pela Patrícia. Mas uma outra sugestão, dada pelo Rica Perrone, também seria válida: 'olha, desconto 50% do seu salário. Mas se fizer ou der assistencia para 1 gol, o desconto passa a ser 25%, se este número for 2, o desconto é de 5%, etc...'

=Beto= disse...

sem reservas a altura temos que aturar...

=Beto= disse...

Fiquei feliz que agora o time ta igualzinho ao que eu sugeri antes do primeiro jogo. Boto fé nele.