Conversa com a Golden Goal sobre o Cidadão Rubro-Negro

Na última terça-feira, pude conhecer o pessoal da Golden Goal, responsável pelo Cidadão Rubro-Negro. Como o programa é assunto recorrente aqui no blog e eles acompanham o que se escreve por aí sobre ele, me convidaram para uma conversa - que foi bastante interessante para conhecer um pouco mais a sua história, objetivos, planos e dificuldades.

E estas dificuldades já foram várias. As negociações com o Flamengo para o lançamento do Cidadão Rubro-Negro vêm de 2004. Houve muitas idas e vindas lá dentro, troca de pessoas e mudanças de formato até o lançamento no ano passado - que foi feito às pressas, antes do fim do mandato da diretoria anterior, com muita coisa ainda precisando ser ajustada.

Já escrevi por aqui algumas vezes que vejo o programa com bases interessantes para o clube conhecer e se relacionar com sua torcida - mas há muito o que aprimorar pra que ele realmente deslanche (a ambiciosa meta é, em 5 anos, chegar a 5 milhões).

E eles lá sabem disso. Me encontraram logo depois de uma reunião com o próprio marketing do Flamengo, que na nova administração tem uma visão diferente da anterior em vários pontos - o que pode dar em novidades interessantes. E o próprio contrato do clube com a empresa sobre o Cidadão Rubro-Negro deve sofrer modificações, que podem fazer com que o programa vá se tornando bem mais importante para o Flamengo nos próximos anos.


Cidadão Rubro-Negro e sócios do clube podem se juntar numa coisa só

Já falei disso aqui algumas vezes: hoje, o Cidadão Rubro-Negro funciona independente do site oficial do clube, da FlaTV, da loja oficial e de basicamente todas as outras iniciativas do clube, online e offline.

O pessoal da Golden Goal sabe que este é um ponto fraco do programa, algo que falta para torná-lo mais atrativo para o público e mais proveitoso para o próprio clube. O clube e seu marketing, no entanto, nunca tiveram uma visão clara de como integrar tudo o que faz em um só planejamento, e as dificuldades para juntar tudo numa coisa só eram muitas - muitos contratos com muitos parceiros, muitos nós para desatar sem que o clube percebesse a real importância disso e tivesse a disposição de encarar o trabalho.

No entanto, isso parece estar mudando. O que me contaram é que há conversas para que o programa dê um bom upgrade, previsto para acontecer logo após a Copa.

Talvez a principal integração a ser feita é com o próprio programa de sócios do Flamengo. Atualmente, como sócio proprietário, se eu quisesse ter o Passaporte Rubro-Negro, teria que pagar como qualquer um a mensalidade do Cidadão Ouro - ou seja: depois de já ter comprado um título de milhares de reais e estando em dia com as minhas obrigações com o Flamengo, teria que gastar ainda mais pra ter o benefício. Pois bem: Patrícia Amorim, com sua visão de dar cada vez mais benefícios aos sócios do clube, pretende acabar com isso e fazer com que os associados automaticamente tenham todas as vantagens dos planos pagos do Cidadão Rubro-Negro.

E isso inclui até mesmo os esquecidos Sócios Off-Rio - aqueles abnegados que hoje pagam 40 reais sem ter nenhum benefício, apenas para ajudar o Flamengo e ter direito a voto. Estuda-se uma espécie de "fusão" entre o Off-Rio e o Cidadão Rubro-Negro - e assim esta mensalidade, além de dar direito a voto, permitiria aos sócios ter o Passaporte Rubro-Negro e participar do clube de vantagens, acumulando pontos (os Flas) e os trocando por prêmios.

Há alguns pontos mais complexos nesta integração das duas coisas, que dependem de questões políticas do clube não tão simples assim. Mas é uma conversa que está andando lá dentro e seria um avanço importante.



Integração com outras ações do clube

Não se fala só de integração do Cidadão Rubro-Negro com as modalidades de sócios do clube, mas também com outros programas desenvolvidos pelo Flamengo. Hoje, o programa funciona independente do site oficial do clube, da FlaTV, da loja oficial - cada um com seu próprio cadastro, url, tudo separado. Além disso, no Cidadão Rubro-Negro é possível juntar Flas pretos comprando quase que de tudo, para trocar por todo tipo de coisa - menos produtos oficiais do Flamengo. Não se ganha Flas comprando um pacote de viagens no Onde Estiver Estarei, não se troca Flas por uma camisa do Flamengo.

Isso deveria estar na base do projeto logo de início, mas não foi possível. Agora, no entanto, a intenção é resolver o problema. O Fla-Perfil do site oficial, por exemplo, não faz sentido nenhum - passaria a ser o próprio cadastro de Cidadão Rubro-Negro; o cidadaorubronegro.com.br, separado do flamengo.com.br, pode até desaparecer. O MundoFlamengo, loja oficial, passaria a estar dentro do Clube de Vantagens do programa. E pensa-se até numa maneira da compra de produtos oficiais em lojas físicas poder reverter em Flas para quem for cadastrado no programa.

A conversa foi sobre diversos outros pontos do Cidadão Rubro-Negro, mas vou encerrar este texto por aqui, para não ficar longo demais. Mais pra frente, vou falando de outros pontos, como a questão sobre benefícios com ingressos.

3 comentários:

Warley Morbeck disse...

Tomara que consigam. Ainda tem muito o que fazer, mas foi um grande avanço

Warley Morbeck
http://flamengoeternamente.blogspot.com/
http://twitter.com/flaeternamente

André disse...

Muito interessante essas informações sobre o cidadão rubro negro. Não se esqueça que a maior dificuldade, no meu ponto de vista, é a compra de ingresso pelo sistema do ingresso fácil. Em jogos de grande porte é simplesmente impossível carregar o cartão.

lussiannosousa disse...

Eu ainda acho dificil eu deixar de fz compras online com meu itaucard - que dá desconto nas mais importantes lojas online - para fz através do CRN. Tomara mesmo que a Patrícia e o tal do Brandão - que até agora não vi se mexer muito, espero por está trabalhando internamente - deem uma sacudida no projeto mesmo.