Capitão Léo está de saída do Conselho Fiscal do Flamengo, que tem eleição nesta terça-feira

Os conselheiros do Flamengo terão amanhã a chance de tirar do controle do Conselho Fiscal o grupo que o comandou nos últimos anos.


Acho que nesta terça-feira finalmente se encerra o processo eleitoral no Flamengo, que começou no ano passado. É dia de eleição do Conselho Fiscal, com duas chapas disputando para ocupar as cadeiras até o início do próximo mandato.

O Conselho Fiscal, na verdade, não "manda" nada dentro do Flamengo. Sua função é, principalmente, examinar a contabilidade do clube e seus demonstrativos, investigar a responsabilidade sobre prejuízos financeiros que  o clube sofrer, fiscalizar o cumprimento da lei pela administração nas matérias de sua competência e dar pareceres sobre obras na sede, contratos acima de determinado valor e empréstimos - você pode ler tudo o que lhe compete no Estatuto do clube. Mas, no final, o poder de decisão sobre as questões que examina nunca é dele mesmo, e sim de outros poderes, como o Conselho Deliberativo. Ainda assim, ficou claro nos últimos anos que, pra quem quer fazer barulho e aparecer, pode tornar-se um ótimo palco político.

Nos últimos dois mandatos, seu presidente foi Leonardo Ribeiro, o Capitão Léo. Não vou nem falar do episódio mais famoso desta sua passagem pelo poder, que acabou na saída de Zico do cargo que ocupava no clube. Mas fato é que sua atuação foi bem além do que alguém esperaria ao ler no Estatuto as funções do poder que comanda. Foi comum ler matérias em que ele falava como se fizesse parte da diretoria em diversas posições e até mesmo a administração de uma das modalidades do clube, o futebol de areia, passou a ser sua. No fim de seu mandato, um de seus últimos atos foi recomendar a aprovação das contas de 2011 de forma no mínimo curiosa: queria que os conselheiros votassem se baseando não no balanço publicado, mas em um outro a que ele teve acesso - mas que ninguém tinha lido, não tinha passado por auditoria e sequer tinha a assinatura de seus responsáveis. Desta vez, não colou.

Capitão Léo não pode novamente se candidatar nesta eleição, impedido pelo Estatuto por já ocupar o cargo há dois mandatos. Assim, apoia amanhã a Chapa Branca, encabeçada por Gonçalo Veronese, um de seus atuais vice-presidentes; também está na chapa Paulo Cezar Ribeiro, candidato a vice-presidente na chapa de Patrícia Amorim na eleição do ano passado. A chapa já divulgou uma carta em que fala de seus planos, caso seja a vencedora, e muitos deles parecem vir de uma leitura bastante livre do que seriam as atribuições do Conselho Fiscal. Falam em "rever todas as demissões" feitas pela atual diretoria, tratar da situação da categoria de sócios Off-Rio no Estatuto e colocam em cheque até mesmo a sequência das atividades de blogs "que usam a marca Flamengo" e "muitas vezes denigrem a instituição". Nos currículos de seus membros, nenhum deles apresenta credenciais que deixem claros seus conhecimentos de finanças e contabilidade.

Não são apenas clubes que têm Conselho Fiscal. O próprio Código Brasileiro das Melhores Práticas de Governança Corporativa trata de sua existência em empresas. Mas sua função deve ser o mais técnica possível, desempenhada por gente com a capacitação necessária para isso, dentro de uma área de atuação clara. É meio inevitável que uma eleição de clube como a de amanhã ganhe contornos políticos (e, pra deixar claro: faço parte do grupo Sócios Pelo Flamengo, que apoia e tem alguns de seus membros na outra chapa, inclusive seu candidato a presidente, Mário Esteves), mas é hora do Conselho Fiscal do clube deixar pra trás o caráter de palco político ostensivo, com membros procurando os holofotes o tempo inteiro e confundindo suas funções com as dos administradores.

A Chapa Flamengo Sempre é formada por gente de capacidade técnica para o trabalho que fica clara por seus próprios currículos. É uma opção de tentar algo diferente, pra quem já está cansado da forma como o Conselho Fiscal do Flamengo funcionou nos últimos anos. Vamos ver o caminho que os conselheiros escolherão. Imagino que todos os que puderem votar estarão lá.

2 comentários:

Fabio L disse...

E vc vai votar? como esta a boca de urna? vai dar chapa azul??? o capitão léo vai recuar, mas não vai desaparecer. FORA CAPITÃO LÉO MARGINAL, CANCER DO MENGÃO QUE SERÁ ESTIRPADO

André Monnerat disse...

Fábio, vou votar sim. Não soube de nenhuma pesquisa. Vamos ver.