Jogo: Portuguesa 0 x 0 Flamengo - Brasileiro 2012 - 31a. rodada

Aguente firme, rubro-negro: faltam só 7 jogos pra acabar.



Seguinte: não assisti ao jogo ontem. Foi meu aniversário e saí para comer uma boa pizza e tomar um chopp de leve com mulher, mãe, irmãos, cunhada, filhos. Cheguei em casa com o primeiro tempo acabando, mas um sono insuperável bateu e não consegui ficar acordado durante os 45 minutos finais. De vez em quando eu despertava com os gritos do narrador por conta de alguma chance sendo inacreditavelmente desperdiçada, mas não rola de fazer comentário nenhum sobre o que o Flamengo jogou ou deixou de jogar.

Soube que Dorival Júnior, de forma inacreditável, armou um esquema diferente do que se imaginava, no qual Amaral tinha função de apoiar o ataque. Ouvi que Ramon - jogador horroroso, de quem eu esperava pouco quando foi contratado, mas que está conseguindo mostrar menos ainda - teve mais uma atuação no nível das que vem apresentado. Vi, nos melhores momentos, que o superestimado Vágner Love mostrou a raça de sempre, mas voltou a perder os gols que devia fazer - uns por incompetência, outro por azar.

Ou seja: pelo visto, saí ganhando em não me irritar no meu aniversário com um pouco mais do mesmo que o Flamengo tem apresentado neste triste 2012. Escrevi que a probabilidade de vermos este time rebaixado no fim do campeonato é pequena, e continuo achando isso. Mas ontem, com a meio inesperada vitória do Palmeiras, ela aumentou um pouco. Talvez diretoria, técnico e jogadores rubro-negros não mereçam mesmo a dádiva de um fim de campeonato tranquilo.

Enfim: quem assistiu ao jogo, comenta aí.

17/10/2012 - 22h - Portuguesa 0 x 0 Flamengo
Canindé - São Paulo, SP
Renda/ Público: R$ 181.890,00/ 5.892 pagantes

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Cartões amarelos: Bruno Mineiro e Rogério (POR); Airton, Luiz Antônio e Ramon (FLA)

Portuguesa: Dida, Luis Ricardo, Rogério, Valdomiro e Ivan (Rai, 41'/2ºT); Ferdinando, Boquita, Léo Silva e Moisés (Héverton, 20'/2ºT); Ananias (Rodriguinho, 19'/2ºT) e Bruno Mineiro. Técnico: Geninho

Flamengo: Felipe, Luiz Antônio, Frauches, Renato Santos e Ramon; Amaral (Wellington Bruno, 41'/2ºT), Airton (Ibson, 28'/2ºT), Renato Abreu e Cleber Santana; Vagner Love e Liedson (Nixon, 21'/2º). Técnico: Dorival Júnior

8 comentários:

Luis disse...

André, o time tem um monte de caneleiro etc, mas futebol é um troço cheio de drama, mocinhos e bandidos - no nosso caso, os culpados são VLove e DJ. O primeiro, pela absurda relação custo/benefício negativa. O segundo, porque é um Professor Pardal quanse que Professor Aloprado.

O jogo foi horrível, só correria. Portuguesa melhor no 1o tempo e Fla no 2o. Boa presença do Felipe e o VLove ...... bem, isso vc já sabe.

José Torres disse...

Não é por acaso que somos lanterna do 2º turno, com apenas 22% de aproveitamento. Embora não assista outros jogos, é muito improvável que exista nesse campeonato um time pior que este Flamengo aí.

Bosco Ferreira disse...

Os culpados são DIRETIRIA que não disponibiliza os recursos humanos para o time honrar as suas tradições e pela criminosa administração que fazem. E os SÓCIOS que elegem sempre esses trastes para dirigir o time. Bando de professor Pardal aloprados. Pense numa turma de Aloprado.

Eduardo disse...

André, primeiro meus parabéns.

Ontem o time me assustou mais pela falta de vontade. SEm raça e sem vibração.

O resto vc já disse assim como os amigos.

Ah, a lentidão do Renato Abreu é de irritar demais.
A zaga até que foi bem, mas o Frauches precisa treinar bola alta, pois perdeu algumas.

@papoulab disse...

Feliz aniversário.
Sobre o jogo? Deixa pra lá. Só nos torcer pra 2012 acabar e a barca zarpar com Paty e seus chegados.

@snejaim disse...

Tenho visto muita gente crucificar o Vagner Love e reclamar do seu custo/benefício para o Flamengo.

Em primeiro lugar, a relação custo/benefício é algo complicado de ser avaliado. No Flamengo atual, todos os jogadores são caros para o que se propõe a fazer.

Mas comparando entre eles (que é a única base razoável para usar tal argumento), o Vagner Love é barato.

O que vale mais à pena para vocês, flamenguistas:

- Pagar 90 mil por mês para o Wellinton, que quando entra em campo compromete;
- Pagar salários entre 60-100 mil para jogadores como "Rodrigo Alvim" (que nem relacionados são, mesmo quando falta jogador para a posição - e tem MUITOS no elenco)
- Pagar 600 mil para um atacante que joga TODO jogo, na maior parte das vezes com disposição, que é referência para a molecada, faz gol, não falta treino, etc, etc, etc.

O Love sempre teve o perfil de criar boas jogadas e aproveitar só 1% delas. Seja no Palmeiras, no CSKA, ou na primeira passagem no Fla.

A diferença é que quando se faz dupla de ataque com Adriano em boa fase ou quando se tem um meio campo forte, as outras 99% das chances que ele desperdiça acabam aproveitadas de algum jeito pelo time, e o resultado vem.

Mas quando o resto do time é um dos piores elencos da história do Flamengo (e olha que o Fla tem tido elencos terríveis!), fica complicado.

Até o Deivid, que se "consagrou" como perdedor de gols, está há 2 meses no Coritiba (time mais "arrumado" que o do Flamengo) e já deve ter feito mais gols que em 2 anos de Flamengo...

Não adianta cornetar. Tem que colocar em perspectiva.

Assim como o trabalho do Dorival. Por tudo que a diretoria fez durante todo o ano (inclusive deixando esse "material" para ele trabalhar), é muito complicado dizer que ele é culpado por tudo e que não serve para ser treinador do Fla. Quem aguentou o Joel tantas vezes consegue segurar mais um pouco o Dorival...

André Monnerat disse...

Rapaz, pra mim o Love é supervalorizado, sempre achei isso, sempre escrevi isso. Foi uma contratação caríssima, tem salário top Brasil comparável aos melhores jogadores dos melhores times - e, pra mim, nunca jogou o bastante pra isso. Tem um status que faz com que se espere dele algo que ele não pode entregar. Ao mesmo tempo, neste time que temos hoje, é titular indiscutível, talvez o jogador mais importante. O que, pra mim, fala mais sobre a fragilidade do time do que sobre a qualidade dele. É esta a minha opinião.

Sobre o Dorival: ele chegou em meio de temporada, numa situação ruim, com um elenco fraco. Não tem "toda a culpa" por nada, isso é óbvio. Porém, fato é que faz uma campanha horrorosa, bem pior que a do Joel. E, fora os números, tem mostrado uma falta de convicção nas próprias ideias que é o tipo da coisa que mais me preocupa num técnico. Se fosse alguém de outro perfil - como o próprio Joel, por exemplo - fazendo o mesmo trabalho, estaria sendo muito perseguido pela torcida e imprensa, o que não está acontecendo.

Luis disse...

Acho que todo mundo concorda que no Fla (e em vários outros times) tem um monte de perna de pau ganhando muito mais do que merece. É a tal de inversão de valores, em todos os sentidos, na nossa sociedade.

Mas o meu ponto acima é que, em qualquer atividade de destaque, quem tá na linha de frente (CEO, técnico de futebol de time grande, presidente de clube de 1a divisão, craque do time, maior salário no Mengão ou em empresa de capital aberto etc etc etc) é quem tem que fazer a diferença. E se não fizer, é quem deve ser cobrado.

VLove e DJ querem ganhar grana e estar no Fla? Legal. Mas tem que entregar o "produto". Justiça seja feita, Adriano e Pet corresponderam há pouco tempo atrás.