Dia 7 de outubro: para vereador, rubro-negro não vota em rubro-negro

Ele diz que "vai representar o Mengão" na Câmara? Desconfie!



Este domingo é dia de "festa da democracia". É eleição para Prefeito - e também para vereador, escolha que muitos deixam em segundo plano, mas que vai fazer muita diferença na vida da cidade ao longo dos próximos quatro anos. Eles têm a função de representar o povo na elaboração, discussão e aprovação das leis municipais (incluindo a Lei Orçamentária Anual - ou seja, onde será gasto o dinheiro dos seus impostos) e na fiscalização do trabalho do Prefeito.

E aí aparece gente querendo seu voto usando os mais variados argumentos.Claro, existem os que têm serviços prestados à comunidade e defendem boas ideias. Mas existem os que tentam a sorte baseando-se apenas na notoriedade - celebridades e subcelebridades que querem se eleger só porque as pessoas lembram seu nome -, os que se apresentam como filhos de algum político tradicional e até os que apelam para o seu clube de coração. Lembra de alguém assim?

Ao longo dos anos, muita gente já se elegeu para o Legislativo apelando para o time do eleitor. Eurico Miranda, por exemplo, aparecia no horário eleitoral gratuito com uma caravela à sua frente na bancada - e muito vascaíno caía nessa, elegendo-o para vários mandatos seguidos como deputado federal. E há uma famosa vereadora que ganhou eleição usando como slogan "Rubro-Negra até debaixo d´água". Pois é.

O título do post foi escolhido propositalmente para chamar a atenção. É claro que o candidato torcer para o Flamengo não é motivo para deixar de ser votado. Mas, ao mesmo tempo, simplesmente ser rubro-negro ou dizer que "vai defender os interesses do Flamengo" também não é por si só motivo para se votar em ninguém para vereador, pois seu trabalho deverá ir muito além disso; quem faz isso está apelando para a emoção do torcedor, em vez de realmente falar do que irá fazer na Câmara. Nesta eleição, há mais de um candidato usando este tipo de argumento por aí. Não se deixe enganar! Se o cara coloca o "Mengão" em primeiro plano em relação às suas ideias para o mandato que quer ganhar, é provável que estas ideias não sejam tão boas assim.

Eu, pessoalmente, já corto da minha lista de votáveis qualquer um que aja assim, pois acho que quem começa fazendo campanha deste jeito já não merece minha confiança. Mas se você ainda considera votar em algum deles, pesquise antes o que mais ele tem a lhe oferecer além de torcer pro mesmo time que você. Dê uma olhada em seu partido e coligação - pois, embora nem todo mundo saiba disso, o voto vai antes pro partido e só depois pro candidato - e veja que tipo de outros candidatos você estará ajudando a eleger se votar no cidadão; pense se seu voto está sendo coerente com sua escolha para prefeito, pois não faz sentido eleger um vereador da base de apoio de um candidato a prefeito que você deteste; visite seu site oficial de candidato e leia suas propostas (embora seja bem mais fácil prometer do que cumprir, e muitos até prometem coisas que nem têm a ver com o cargo a que concorrem); use o Google e veja se ele já teve alguma ligação com política antes, se já externou alguma opinião que tenha a ver com o cargo que quer ocupar, se não está caindo completamente de para-quedas na política ou na verdade tem pensamentos que nem têm a ver com os seus; e, se ele já foi vereador antes, pesquise como foi sua atuação (sites como o Excelências.org ajudam nisso).


* * * * * * * * * *

Como o assunto aqui é a eleição municipal, nem vou comentar sobre os efeitos que pode ter no clube ter alguém ao mesmo tempo exercendo cargos no Flamengo e no poder público. Mas, no Estatuto do clube, é dever do sócio "abster-se de usar ou envolver o nome do FLAMENGO em campanha, de qualquer natureza, estranha aos objetivos do Clube."

Envolver o nome do clube em campanha eleitoral, portanto, além de ser algo que não me agrada como cidadão, também pode ser interpretado como infração ao Estatuto - e o sócio que faz isso pode ser punido. Em minha opinião, deve.

3 comentários:

@papoulab disse...

Perfeito, André. Agora nos resta torcer que o povo pense um pouco e nao trate a urna como latrina.

@snejaim disse...

Tocou num ponto que me incomoda há bastante tempo.

Nas últimas eleições presidenciais a Patrícia foi almoçar com o Serra e deu uma camisa com número 45 para ele. Eu já tinha lido no estatuto esta condição de não envolver o nome do Flamengo para fins políticos, e na época fiquei incomodado de não ver nenhuma reação após o episódio. Ainda mais partindo da presidente em atividade, achei digno de impeachment.

Se na cidade do Rio já acontece sempre de só falarem de política em época de eleição, no Flamengo a coisa é ainda pior: todo mundo tem opinião formada e enche a boca pra reclamar, mas adquirir o direito de votar (se tornando sócio), nada...

Rejane Maio disse...

Pois é. Eu sempre tive indignação em ver a presidente do Flamengo como vereadora.Sou flamenguista, mas não vejo como conciliar as 2 funções.Acho que nunca ´se sairá bem nem numa e nem na outra. Ela se aproveitou do nome do Flamengo e foi eleita, provavelmente pelos torcedores. So fiquei sabendo disso tempos depois. Soube que haveriam nesta eleição 03 candidatos a vereador ligados ao flamengo e torci para que todos não ganhassem. Deu certo!