Jogo: Flamengo 0 x 1 Fluminense - Brasileiro 2012 - 27a rodada

O Fluminense segue mostrando que é um time que não precisa jogar bem para ganhar suas partidas.



Já escrevi aqui, já há um bom tempo, quando o Atlético ainda era o líder e vinha em grande fase, que pra mim o Fluminense será o campeão brasileiro deste ano, talvez até com certa tranquilidade. E já comentei algumas vezes, no Twitter e no Facebook, que o time de Abel é do tipo que não precisa jogar bem pra ganhar. É o que vemos a cada rodada, e é o que aconteceu hoje mais uma vez. Não é acaso.

O elenco que o Fluminense formou não é apenas recheado de jogadores bons. Além de bons, são muitos jogadores decisivos - gente preparada, técnica e psicologicamente, para não falhar na hora de concluir as jogadas, inclusive em momentos complicados e importantes. É estatístico: o Fluminense é o time que precisa de menos finalizações para fazer um gol. De novo: não é acaso.

(Aliás, leiam este meu comentário sobre o Fla-Flu do primeiro turno: "o Fluminense limitou-se a defender na maior parte do jogo - vão ganhar muitas partidas assim até o fim do campeonato ainda, graças ao poder de decisão de vários de seus jogadores.")

Some a este poder de decisão na frente um goleiro em grande fase, que vem garantindo vitórias seguidamente e deveria estar na Seleção. É esta a fórmula que faz do Fluminense, hoje, o líder folgado do Campeonato. E que o fez vencedor do Fla-Flu de hoje.

* * * * * * * * * *

O Flamengo não fez um bom primeiro tempo. Até controlou a posse de bola e teve duas chances claras com Íbson, mas de modo geral foi um time lento e previsível na hora de atacar. E acabou sofrendo o gol em um lance de bola parada em que a defesa infantilmente caiu em uma jogada claramente ensaiada tricolor: um jogador agarrou o adversário que deveria estar marcando Fred para impedir sua movimentação, deixando o centroavante livre para fazer seu golaço.

Mas o segundo tempo do Flamengo foi muito bom - especialmente a partir das modificações feitas por Dorival Júnior, tirando Liédson e Léo Moura, que não vinham bem. Enquanto o Fluminense se retrancou sem a menor vergonha, inclusive com jogadores caindo no gramado para gastar tempo seguidamente, o Flamengo foi pra cima, trocou passes, girou o jogo de um lado pro outro, trabalhou as jogadas e criou muitas chances de gol. Com o adversário tão recuado, Dorival chegou a colocar Renato Abreu em campo para jogar de primeiro volante, e ele entrou muito bem. Foi uma bela atuação, merecedora dos aplausos que recebeu da torcida ao fim do jogo.

Mas o time falhou exatamente no que o Fluminense é tão bom: na conclusão. O gol que Cléber Santana perdeu, por exemplo, foi inacreditável. Deu pra ver que, embora uma ou outra escolha diferente de jogador possa ser feita, o Flamengo já se encaixou bem melhor no novo esquema. Mas saber colocar a bola pra dentro, afinal, é parte importante do jogo.

* * * * * * * * * *

Infelizmente, graças ao pênalti desperdiçado por Bottinelli, uma falha do juiz acabou sendo decisiva. Marcelo de Lima Henrique tinha que ter esperado um pouco antes de apitar a falta e dado vantagem no lance, que teria acabado com um gol marcado por Renato. Paciência.

* * * * * * * * * *

Vagner Love é importante para o time pela quantidade de gols que faz e é titular indiscutível deste time. Mas a verdade é que tem jogado mal, faz tempo. Hoje brigou com a bola o tempo todo.

Já Íbson, que vem sendo muito criticado, hoje fez uma boa partida como segundo volante, embora tenha andado falhando na marcação pelo seu lado no primeiro tempo.

 


30/9/2012 - 16h - Flamengo 0 x 1 Fluminense
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda e público: R$ 768.955,00 / 25.313 pagantes / 30.844 presentes

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (Fifa/RJ) e Ediney Guerreiro Marcarenhas (RJ)
Cartões amarelos: Amaral e Ramon (FLA); Digão, Edinho, Jean e Thiago Neves (FLU)
Cartões vermelhos: Ramon 47'/2ºT (FLA)

Gols: Fred 18'/1ºT (0-1)

Flamengo: Felipe, Wellington Silva, Frauches, Marcos González e Ramon; Amaral (Renato 26'/2ºT), Ibson, Léo Moura (Bottinelli 20'/2ºT) e Cleber Santana; Liedson (Nixon 20'/2ºT) e Vagner Love - Técnico: Dorival Júnior.
Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Digão e Carlinhos; Edinho, Jean, Deco e Thiago Neves (Wágner 35'/2°T); Fred (Diguinho 38'/2°T) e Wellington Nem (Marcos Júnior 27'/2°T) - Técnico: Abel Braga.

9 comentários:

Eduardo Varanda disse...

Faltou mencionar a excelente atuação do Wellington Silva, melhor jogador do Flamengo em campo hoje. Já é sua 3º boa partida consecutiva, uma grata surpresa.
Estive no Engenhão, e nossa torcida, apesar da posição dos dois times, foi muito superior em número. Porém, saí triste do Engenhão, não com o resultado, ou com a atuação do Flamengo, isso é coisa do futebol. Saí triste justamente com a torcida do Flamengo. Tenho 17 anos de arquibancada, e nunca vi uma torcida tão apática. Uma pressão no 2º tempo sobre o fluminense, e e a torcida calada... O que há com a torcida do Flamengo, que empurra o time, e não vai mais ao estádio?

Gabriel Folha disse...

Love é um dos grandes responsáveis pela posição lamentável do Flamengo na tabela. Muito mais atrapalha do que ajuda, até pela sua inexplicável supervalorização, continuam esperando dele o que ele jamais poderá entregar. É fraco, muito fraco.

O que é Nixon? Sempre que entra não se ouve seu nome. Mais um desses jogadores genéricos que costumar sair da base, como se pode ver pelo seu corte de cabelo.

Se o Magal for mal no próximo jogo já estaremos no lucro, o Ramon é sempre péssimo.

De qualquer forma, está bem mais agradável de ver o time jogar.

Só é lamentável que um time que tem os jogadores que tem o Fluminense jogue como vem jogando, e pior, que mesmo assim esteja tão na frente. Mais um sinal claro do triste nível técnico do nosso futebol. Será campeão apesar do Abel.

André Monnerat disse...

É verdade, Eduardo, Wellinton Silva foi bem de novo. Boa surpresa.

Quanto à torcida, infelizmente hoje ela é muito diferente da que conheci quando garoto no Maracanã. Acho que há um efeito aí também da divisão entre as organizadas. Temos várias com algum peso e, infelizmente, na maior parte do tempo elas não estão preocupadas em se unir para empurrar o time, fica cada uma puxando seu próprio grito, concorrendo entre si.

Pedro Concy disse...

Lamento mais as notícias do Adriano do que propriamente a derrota contra o Flu.
A frustração não é pelas esperadas faltas do Imperador, mas pela postura conivente da diretoria.
Pelo visto, mais 3 anos imperando de bagunça e esbórnia.
Difícil vislumbrar um bom futuro desta maneira.

Luis disse...

O time vem melhorando, mas tem um pessoal que não tem a menor condição de vestir o Manto: Ramon, Magal, Botinelli etc. E o Vlove não merece o que ganha mesmo no já inflacionado mercado brasileiro de futebol.

flages disse...

Ontem em um canal de esportes falaram bem a verdade sobre o Adriano: ele não fez mais nada desde a conquista do campeonato brasileiro de 2009. Nem na Roma, nem no Corintians. E olha que em 2009 não foi tanta coisa assim, não fez nada mais do que merecer o polpudo salário que ele ganhava. Falaram também que ele era um daqueles jogadores cuja fama é desproporcional ao que ele realmente fez por merecer. Pura verdade. E os dirigentes estão esperando o quê?

flages disse...

Pra mim o Adriano já está aposentado há muito tempo, e por invalidez.

André disse...

Será uma vergonha para o futebol brasileiro um time que joga como o Fluminense joga, ser campeão (até acho que será mesmo).

Realmente tem bons jogadores, principalmente na linha de frente, mas joga de um jeito que para mim é covarde.

O time, e o seu técnico, contam muito mais com a sorte e com a absurda fase do seu goleiro para vencer ou empatar as partidas, tirando que também conta com decisões erradas do juiz de vez em quando.

Foi totalmente desnecessário, e patético, o líder isolado do campeonato fazer, COM ENORME CARA DE PAU, um cai-cai digno de 5ªdivisão.

Também desnecessário e covarde mandar o centroavante do time recuar para marcar na frente da meia lua (e era o jogador mais avançado), como se fosse primeiro volante.

O Fluminense conta com a TOTAL incompetência dos adversários em fazer gol para em 1 ataque, que faz por jogo, ganhar as partidas.

Eu teria vergonha de ser campeão assim.

Quanto ao Flamengo, estamos jogando no limite. Contar com Love para fazer gols é a mesma coisa que contar com políticos para termos um bom país para morar e viver. Simplesmente não dá!

Impressionante como NENHUM jogador do time sabe chutar! Ontem quando o juiz apitou o penalti a minha reação normal seria comemorar com otimismo, mas fiquei em pânico, porque sabia que NENHUM dos 11 em campo sabia chutar.

Não existe mais defesa para a manutenção do BOTINELLI no GRUPO de jogadores. Totalmente inútil. Não existe mais o argumento de bom passador, equilibra o meio e bom chutador.

Estou orando para 2012 acabar de uma vez e fazeremos uma LIMPA no pior elenco do Flamengo dos últimos 10 anos talvez.

obs: não concordo que o fluminense tenha mérito na sua forma de jogar. Ataca pouco, meio campo só cria alguma coisa quando o Deco quer (e isso se resume a 10 minutos por jogo) e defende mal, visto as 30000 chances de gol criadas ontem pelo Flamengo.

Vai ser campeão muito mais pela fraqueza dos outros times do que por qualquer mérito seu.

Luis disse...

Há um bom tempo que não vejo um campeão brasileiro incontestável, tipo o Crizeiro no início dos pontos corridos e o São Paulo (acho que o primeiro da segunda sequência de titulos). O Flu tem toda a cara de que vai levar, mas não só porque os outros são medíocres, mas também porque tem um nível técnico melhor e é melhor treinado. Por isso é que se defende melhor e quando chuta, normalmente marca. Sorte não existe em torneio pontos corridos com 38 rodadas.

O Fla fica para o ano que vem, quando a gente se livrar de alguns absurdos (Ramon, Magal, Botinelli etc), se livrar de uns malas sem alça (Ibson, Renato etc), trazer a gaorotada aos poucos, botar o pé do VLove na forma (ou fazê-lo evitar as tentações do RJ) e voltar a treinar fundamentos, jogadas ensaiadas etc. POde ser que o Dorival dê um jeito nisso.