Libertadores 2012 - 1a. fase - 6a. rodada - Flamengo 3 x 0 Lanus

Como é possível que uma eliminação tão esperada possa ter vindo de maneira tão inacreditável?


* * * * * * * * * *

Nem dá muita vontade de falar do jogo em si, mas vamos lá.

O Flamengo entrou basicamente com o mesmo time que Joel vem usando nos últimos tempos. É um 4-2-3-1, que em boa parte do tempo vira 4-3-3, no qual há ainda um problema de distância entre os três da frente (Love, Deivid e Ronaldinho) e o meio-campo. Mas, tirando ajustes táticos como este e uma ou outra possível troca de jogador, é mais ou menos o melhor que ele pode escalar mesmo. Surpreendente até a ressurreição de Deivid, que não tem atuações brilhantes e continua sentindo falta de explosão, mas ao menos passou a ser útil e ajudar em muitos lances com passes e movimentação inteligentes.

Desta vez, até fazer o 3x0, o aproveitamento das chances criadas foi altíssimo, o que provavelmente foi o maior mérito neste jogo. Depois, o time até se deixou pressionar em alguns momentos pelo Lanus, mas os caras não tinham essa motivação toda e o jogo já estava decidido (se bem que, em sendo o Flamengo, nunca se sabe). Enfim: não vimos uma atuação de gala, ao contrário do que o placar talvez sugira, mas foi uma vitória tranquila. Hoje o time fez o seu papel.

* * * * * * * * * *

A questão é que fez seu papel hoje - só. Está longe de poder dizer que "fez seu papel" na Libertadores. Muito longe. Cheguei do estádio há pouco e não li nem ouvi nada sobre o jogo ainda, mas tenho certeza que já surgiu por aí o papo de que o Flamengo "sai de cabeça em pé". Pra mim, não é o caso mesmo.

E, por isso, me bateu uma tristeza no Engenhão quando vi a torcida, ao fim do jogo, com o time naquele momento eliminado (o empate do Olimpia e o gol da vitória do Emelec só vieram depois do apito final no Rio), aplaudir Ronaldinho e companhia. Ronaldinho, aliás, chegou a ser vaiado quando o jogo estava 1x0 e ele se preparou para bater uma falta perigosa no lugar de Bottinelli - mas bastaram dois lances (muito bons, é verdade, que resultaram em gols) para que se escutassem os gritos de "Ah! É Ronaldinho" - deixando de lado tudo o que ele (não) fez no resto do jogo e no resto do ano.

E olha que dizem por aí que a torcida do Flamengo é "muito exigente".


* * * * * * * * * *

Por tudo o que fez nesta Libertadores, o Flamengo - direção e time - não merecia mesmo passar de fase. E fui pro jogo consciente disso e conformado com a eliminação. Não esperava que seguisse em frente.

Ainda assim, veio aquele sofrimento com requintes de crueldade. Do jeito que aconteceu, conseguiu-se transformar uma queda esperada, uma ideia a qual todo mundo já estava mais ou menos acostumado, em uma decepção daquelas que serão lembradas por anos e anos.

Pra quem não é Flamengo, estivesse ou não torcendo contra, deve ter sido divertidíssimo de acompanhar. É por causa deste tipo de coisa que o futebol é tão apaixonante.

Mas, pra mim, foi das coisas mais escrotas que eu já vi.

8 comentários:

Luiz Filho disse...

Mais uma vez, o Flamengo consegue um "ganhou mas não levou" épico!

Espero que depois de tantas vergonhas em sequencia o Flamengo aprenda jogar a uma Libertadores, porque tudo nesta competição se agiganta, uma derrota histórica para o clube que deveria levar a competição mais a sério, na verdade se levar mais á sério.

Rasalom disse...

Na verdade, eu acho que São Judas quis mostrar que pra ele o impossível não é nada, e ao mesmo tempo, que não merecíamos a classificação. Se o time tivesse se esforçado minimamente ela seria nossa, no que dependesse dele.

A.C. Naylor disse...

Essa história de que a torcida do Flamengo "é muito exigente" é mais uma das muitas falsas verdades que se disseminaram no mundo do futebol ao longo dos anos. A nossa torcida é composta, em sua gigantesca maioria, por gente humilde, sem grandes referenciais, facilmente iludida. A culpa não é dela, mas as consequências desse fato são nefastas, pois é o que justifica o populismo praticado com gosto, e há muitos anos, pelos dirigentes do Flamengo. É exatamente essa a razão para que a vinda do Adriano - uma loucura que seria prontamente rechaçada por uma torcida de perfil socioeconômico mais elevado e, pois, mais esclarecida - seja vista com bons olhos pelos dirigentes em ano eleitoral. Como resolver esse dilema - ter uma torcida de massas e não ceder às tentações do populismo - é uma questão para as pessoas bem-intencionadas que buscam ter alguma influência na vida político-institucional do Flamengo.

Gabriel Folha disse...

Tenho que aguentar aquela besta quadrada comandando meu time e ainda ouvir, a cada vexame que ele nos faz passar, frases como "é querer explicar o inexplicável", ou "só os deuses do futebol podem explicar a eliminação" e coisas do tipo.

Que vá pra PQP ele e (sempre digo e repito) quem ainda leva ele a sério.

Como eu escrevi no email, vai jogar Libertadores de novo com Joel Santana esperando resultado diferente desse?? Maluquice!!

A torcida sempre tem o que merece!!!

fla_2010 disse...

Reservas do Flamengo são fraquíssimos.. Bottinelli ontem foi bem, mas pela função que faz (cobre a defesa e chega no ataque), sempre cansa no segundo tempo.. Ele e Deivid, que já não é jovem e cai muito de produção após o intervalo.. E nossas opções de banco não existem.. Os garotos (Camacho, Tomas etc) não dão conta de segurar a bola e se o adversário vier pra cima, tomamos sufoco em todos os jogos.

Desanima ler nomes como Renato Augusto.. Seria um investimento alto para um jogador que não acrescentaria muito.. O foco deveria ser nomes para a zaga e meio de campo (volante e meia).

Por fim, ontem chamou atenção a reação do time quando faz gols.. Junior Cesar tenta jogadas de efeito, outros começam a tocar de calcanhar, trivelas.. Até nisso, a influência do Gaúcho é negativa.. Qualquer vantagem mínima no placar já é motivo para começar a presepada!

Pablo Alcântara disse...

Concordo com o Mauro Cezar Pereira, da ESPN: jogadores, treinador e diretoria mereceram os toques de crueldade da eliminação. A torcida não.

Luis disse...

- O time do Lanus é uma bosta, além de ter jogado sem qualquer motivação.

- Não foi azar ou coisa dos Deuses. Teria sido muita sorte e coisa dos Deuses se o Flamengo se classificasse.

- Ronaldinho, Joel & Cia não mereciam. E a torcida também não. Esse negócio de gente humilde, que esquece rápido etc não me emociona. Estamos na 2a década do século 21. Não dá para entender como essa porra de torcida chega a aplaudir vagabundos que ganham uma fortuna e se arrastam em campo só porque acertaram um par de lances contra uma bosta de time. Torcida de merda.

- Como tenho dito: Ronaldinho, Joel e PAmorimm, fora!!!

Flávio disse...

Todos os grandes times brasileiros têm obrigação de passar para a segunda fase da Libertadores, tamanha a diferença de orçamento com os demais.
Apenas o salário do Ronaldinho é 50% do PIB equatoriano.
Mas sofrimento mesmo sentiu a torcida do Olímpia do Paraguai. Vai ser azarado assim no inferno.