Sócios Pelo Flamengo apresentam propostas de emendas ao Estatuto do clube

É o início de um longo caminho.


* * * * * * * * * *

Desde o ano passado tenho participado de conversas de um novo grupo de sócios do Flamengo - os Sócios Pelo Flamengo. São rubro-negros, associados do clube, que decidiram se reunir para discutir, propor soluções e participar da vida associativa da instituição para transformá-la naquilo que acreditam que ela deve ser. Não é simplesmente um grupo de oposição ou de situação dentro do clube, e sim uma reunião de pessoas que decidiram pensar e agir pelo Flamengo, acima de projetos pessoais.

Hoje somos cerca de 60 pessoas, sócios de várias categorias, muitos de fora do Rio de Janeiro. O grupo ainda está crescendo com cuidado, amadurecendo suas discussões e ideias, sempre norteadas por quatro bandeiras principais. É apenas o início de um longo caminho, que torço para que chegue em algo realmente construtivo e positivo para o clube. É aquilo: o ideal é tentar fazer algo de prático, e não apenas ficar por aí reclamando. Vamos ver no que vai dar.

Esta semana aconteceu a primeira ação formal do grupo dentro do clube. Este aí embaixo é o texto publicado no site do grupo:


* * * * * * * * * *

Na última segunda-feira, dia 9/1, os Sócios Pelo Flamengo formalizaram sua primeira ação dentro do Clube de Regatas do Flamengo. No dia em que o Conselho Deliberativo aprovou o tão comentado negócio com Eike Batista pelo edifício do Morro da Viúva, o grupo encaminhou ao presidente do Conselho Deliberativo, Sr. Sylvio Capanema, suas propostas de emendas ao atual Estatuto do CRF. Não foi sugerido um novo Estatuto, com todas as mudanças que o CRF precisa e que demandaria um trabalho muito mais amplo, mas sim alterações pontuais no atual texto para aprimorá-lo.

Entre os diversos pontos abordados na proposta, podemos destacar:

- Retirada do texto de detalhes operacionais, como os de associação ao clube ou votação nas eleições, que ignoravam avanços tecnológicos. O Estatuto atual fala, por exemplo, na necessidade de encaminhar fotos 3x4 para se tornar sócio, ignorando a existência da fotografia digital, e de envelopes assinados para os votos nas eleições, impedindo o uso de urnas eletrônicas ou voto online.

A intenção é que processos que podem evoluir de acordo com a tecnologia não constem no documento que rege o Clube de Regatas do Flamengo e que deve ter caráter permanente. O Estatuto passaria então apenas a determinar quais são os órgãos do clube responsáveis por definir estes processos.

- Aumento da transparência na divulgação das demonstrações financeiras, com a exigência de que estejam disponíveis online antes da reunião de aprovação pelo Conselho Deliberativo e também de que as demonstrações financeiras dos últimos cinco anos estejam disponíveis no site oficial. Estes procedimentos não só tornam a instituição mais transparente como ajudam todos os sócios a terem acesso aos documentos com mais tempo para tomarem decisões e formarem opinião antes de votarem no Conselho Deliverativo.

- Criação de uma nova categoria de sócio: o Sócio-Torcedor, com direito a participar da vida política do Clube de Regatas do Flamengo, votando em suas eleições, mas sem o mesmo acesso das demais categorias à sede social. Desta forma, o Flamengo oficializará uma categoria que é a cara de boa parte de seus 35 milhões de torcedores.

Todas as propostas foram elaboradas inicialmente pelo Grupo de Trabalho formado dentro do Sócios Pelo Flamengo para discutir o Estatuto. Seus membros são Edmilson Neto, Gilberto Barros, Marcus Castro, Pedro Hemsley, Rodrigo Machado e Ronel Bonifácio.

Depois da discussão dentro do GT de Estatuto, as propostas foram levadas aos demais integrantes do grupo, que participaram com opiniões e sugestões. O documento final foi assinado pelos Sócios Proprietários Gilberto de Oliveira Barros e Rodrigo Leite da Matta Machado; junto com eles, outros 20 sócios foram co-signatários: André Monnerat, Arthur Butter Nunes, David Butter, Edgard Moraes, Edmílson Neto, Eduardo Varanda, Julio Benck, Márcio Castello Miguel, Márcio Gold Firmo, Marcus Castro, Mário Cruz, Nelson Bata Oliveira, Pablo Lobo, Paulo César Pereira Filho, Pedro Hemsley, Rafael Strauch, Ricardo Caetano Pereira, Ricardo Hinrichsen, Ronel Bonifácio e Tiago Cordeiro.

Agora, o presidente do Conselho Deliberativo analisará a proposta e deverá encaminhá-la a Comissão de Estatuto do Conselho Deliberativo, formada para sugerir mudanças pontuais no Estatuto. Os Sócios Pelo Flamengo esperam que suas sugestões contribuam para elevar o nível das discussões sobre o Estatuto e auxiliem o clube a desenvolver suas estruturas política e administrativa.

15 comentários:

Eduardo H. Costa disse...

Excelente. Alguém tem de dar o primeiro passo. Parabéns aos integrantes pela iniciativa. Torço para que dê certo.

FUI!

Roberto de Moraes disse...

Bela iniciativa. Quanto aos sócios off-Rio, penso que poderia se viabilizar alguma forma de concatenar o programa de Embaixadas com o de sócio Off-Rio - ambos deveriam andar de mãos dadas de forma que uma pessoa ao se "associar" à sua Embaixada mais próxima deveria simultaneamente se tornar um sócio off-Rio, ou pelo menos que isto fosse amplamente estimulado. Hoje vejo a (excelente) ideia das Embaixadas apenas como um forma de criação de mini-torcidas organizadas espalhadas pelo Brasil, e seria muito mais interessantes que elas pudessem conviver tb politicamente com o clube, facilitando a vida de quem quisesse se associar off-Rio.
Enfim, gostei das suas propostas - principalmente a primeira, sobre a retirada de detalhes operacionais do processo eleitoral do Estatuto, que a meu ver tem caráter quase que emergencial dado a proximidade das próximas eleições.
Saudações.

André Monnerat disse...

Roberto, acho que a integração das Embaixadas com o Sócio Off-Rio faz todo sentido mesmo. Concordo que as Embaixadas são uma bela ideia, mas sub-utilizada. Só não sei se esta integração deveria fazer parte do Estatuto. Talvez as Embaixadas devessem mesmo ser mencionadas nele. Não sei.

Mas é isso, na verdade estas propostas são de alterações pontuais no texto atual, e não uma mudança completa como realmente terá que ser feita em algum momento.

Vamos ver o que vai acontecer com estas propostas, agora que já foram encaminhadas ao Conselho. Fico curioso para ver o desenvolvimento disso.

fla_2010 disse...

Parabéns pela iniciativa!

É um alento saber que existem pessoas no clube pensando em meios para modernizar a instituição, que parou no tempo!

Como descrito no site do grupo, essa modalidade de sócio off-Rio tem um potencial gigantesco a ser explorado. Um modelo de contribuição que pudesse conceder um ingresso por mês, por exemplo. Levantaria recursos, estimularia a vinda de torcedores ao estádio e ainda contribuiria para o crescimento da torcida em outros estados, ao aproximá-los do clube.

E quanto aos esportes olímpicos, ao exigir que sejam auto-sustentáveis, estaríamos evidenciando a necessidade de ações de governo que preservassem estes esportes..

Felipe disse...

Parabéns pela iniciativa. Torço para o sucesso.
Gostaria de ajudar mas a distância e a falta de transparência não deixam.
Se existisse o off-rio com pelo menos voto estaria dentro.

abraços e SRN

André Monnerat disse...

Felipe, o Sócio Off-Rio que já existe hoje tem direito a voto!

lussiannosousa disse...

André, essa Comissão de Estatuto do Conselho Deliberativo é daquela turma que se elege junto com a Presidente? E, eles aceitando levar as propostas a diante, quais seriam os movimentos a seguir? Votação, canetada da Presidente...?

André Monnerat disse...

Lussiano, vou ser sincero: não sei como se forma a comissão de estatuto do Conselho Deliberativo. Mas sei que não é eleita junto com o presidente não; e que são membros do Conselho Deliberativo, óbvio. Estes membros do Conselho Deliberativo não precisam ser eleitos - na maioria, não foram. São vitalícios, que têm este direito só por serem Sócios Proprietários.

As propostas sendo levadas adiante, vão a votação no Conselho Deliberativo. Não é canetada do presidente não.

Sendo sincero, neste momento eu tenho mais expectativa de que alguma discussão seja levantada em torno das propostas do que elas serem efetivamente aprovadas.

Renato Croce (Alexi Lalas) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renato Croce (Alexi Lalas) disse...

As Embaixadas têm e terão uma participação enorme nisso tudo. Afinal, elas levam o Mais Querido aos 4 cantos do país, mais a China, Bolívia, Cingapura e Itália.

E podem ter certeza que a Embaixada FlaGV (Governador Valadares-MG) já tem ideias prontas pra colocar em prática, juntamente com seu novo site (em breve), na qual serei colunista.

Essa era da internet pode e deve ser mais explorada pelos rubro-negros de bem. O Flamengo somos nós, o marketing somos nós, o maior reforço somos nós!

Unidos podemos mais, e esse é o caminho!

SRN

lussiannosousa disse...

Pois é. Ver essa turma abrindo voto pra quem não é sócio do clube é quase utópico.

Bosco Ferreira disse...

Acho totalmente impossivel acreditar que o Flamengo se torne uma grande república democrática. Os ditadores de plantão não deixarão nunca isso acontecer. Soube que há muitos sócios proprietários conselheiros vitalícios que herdaram a ação de sogros e parentes e nem torcem pelo CRF.

Bosco Ferreira disse...

Acho totalmente impossivel acreditar que o Flamengo se torne uma grande república democrática. Os ditadores de plantão não deixarão nunca isso acontecer. Soube que há muitos sócios proprietários conselheiros vitalícios que herdaram a ação de sogros e parentes e nem torcem pelo CRF.

Tiago Viana disse...

Acredito que a mudança do Flamengo está acontecendo.
Esse é um exemplo.
A falta de transparência realmente atrapalha bastante, mas vou me filiar ao clube e ajudar.
Parabéns, André!

Fernando Almenara disse...

Muito boa a iniciativa. Eu já havia reclamado várias vezes do fato de ser necessário o deslocamento até o Rio para votar. Algum tempo atrás estava muito interessado em me associar porém, quando fui informado dessa questão desisti.

Inclusive, quando fizeram o lançamento da ouvidoria no site do clube, fui logo sugerir mudanças nesse processo de votação. Infelizmente nunca tive retorno do Flamengo sobre minha sugestão, sequer uma resposta pronta ("Agradecemos sua sugestão e iremo encaminha-lá para o departamento responsável").

Bem que o Fla poderia firmar um parceria com o TRE e disponibilizar ao menos uma urna eletrônica na capital de cada estado, para que os sócios OFF-RIO consigam votar.


De qualquer forma, o trabalho de vocês será muito, mas muito árduo. O pessoal que tá lá dentro hoje não quer aumentar o número de sócios do clube. Assim eles iriam perder poder. Esse ano mesmo eles quiseram retroceder para a votação indireta. O poder é uma droga muito viciante, ainda mais na mão de pessoas egoistas e de mal caráter.

Valew!!