Ronaldinho: será possível que a Traffic fez um negócio tão ruim assim?

Se o contrato que fechou com Flamengo e Ronaldinho é mesmo como foi divulgado até agora, a conta é quase impossível de fechar para a Traffic. Texto da coluna semanal no FlamengoNet




* * * * * * * * * *

Desde que Ronaldinho chegou ao Flamengo, fiquei na expectativa de que o primeiro grande patrocínio com o clube fosse fechado para entender melhor como funciona o negócio com a Traffic. Quando chegasse este momento, pensei, chegaria a hora da Traffic cobrar sua comissão e aí todo mundo saberia melhor como é o contrato, já que o Conselho Deliberativo precisaria aprovar tudo.

Bem: não sei se a sessão de ontem do Conselho, que aprovou que Duracell e Gillette comecem a aparece no Manto Sagrado a partir deste domingo, trouxe maiores esclarecimentos a quem estava lá presente. Mas, pelas notícias que estão saindo por aí, a Traffic não receberá um centavo do dinheiro que a Procter  & Gamble vai desembolsar. Como também não recebe nada dos patrocínios com BMG, Tim e outros que não expõem suas marcas no uniforme rubro-negro.

Vamos então recapitular o que já se falou sobre este contrato: a Traffic paga a Ronaldinho cerca de R$750 mil mensais de salário; o retorno viria com uma participação nos contratos de imagem que o jogador assinar daqui pra frente e com uma percentagem do valor dos patrocínios de camisa que o Flamengo assinar - 20% em cima do que passar de R$30 milhões anuais.

Fazendo algumas contas - corrijam-me se tiver algum erro aí:

- R$750 mil x 12 meses = R$9 milhões por ano que a Traffic gasta com Ronaldinho.

- Para recuperar estes R$9 milhões apenas com o patrocínio do Flamengo, o clube precisaria fechar contratos num total de R$75 milhões por ano. Com R$45 milhões a mais que os tais R$30 milhões, os 20% da Traffic dariam exatamente R$9 milhões.

- Mas sabemos que a Traffic também ganha algo em cima dos contratos individuais de Ronaldinho. Não sabemos a percentagem, mas digamos que sejam 50%. Neste link é possível ver que Ronaldo Fenômeno fatura anualmente cerca de R$9,3 milhões com seus contratos pessoais de patrocínio. Digamos que Ronaldinho conseguisse um desempenho igual; neste caso, se a Traffic ficar com 50%, ganhará R$4,65 milhões. Para recuperar os R$4,35 milhões que faltam para chegar aos R$9 milhões que gasta, o patrocínio do Flamengo precisaria ser de quase R$52 milhões anuais.

Atenção: estou falando em ficar no zero a zero, sem nem considerar a hipótese de terem algum lucro. A coisa só fica um pouco mais viável se a percentagem que a Traffic ganha em cima dos novos contratos individuais de Ronaldinho (até agora quase inexistentes) for bem maior.

Isso, claro, se o contrato com a Traffic é como estão falando mesmo.

7 comentários:

elgrandemachodemierda disse...

pelo que li, o resto virá dos produtos licenciados do Ronaldinho. Que a TRAFFIC só vai ter 20%.

Marcos André Lessa disse...

Desde o início esse lance com a Traffic é nebuloso. RMP entrevistou o presidente e nada arrancou (oh, q surpresa). http://oglobo.globo.com/esportes/rmp/posts/2011/01/30/garoto-bom-de-bola-aos-14-anos-ja-tem-empresario-359740.asp

Depois, Luxa disse q a Traffic é parceira. De quem, afinal?

Alan disse...

André, estou chutando uma possibilidade, baseado em nada além de suposição pessoal mesmo.
De acordo com o que ventilaram do contrato, qualquer valor de patrocínio acima de R$ 30M deixa 20% pra Traffic e 50% pro Ronaldinho. Eu acho que a ideia é, quando se passa de R$ 30M, o Ronaldinho começa a ganhar metade, mas isso inclui os tais 750 mil que ele ganha. Exemplificando:
Flamengo com menos de 30 milhões de patrocínio: Traffic não leva nada, e tem que pagar 750 mil pro R10.
Flamengo com R$ 40 milhões: Clube embolsa efetivamente R$ 33 milhões (30 + 30% de 10). R10 leva 50%, mas isso 'desconta-se' do que a Traffic paga a ele. Logo, ele leva os cinco milhões dele, e a Traffic tem que cobrir os outros quatro, pra fechar os nove milhões anuais. Como ela própria ganha 2 milhões do patrocínio, tem que entrar com mais 2.
Flamengo com R$ 43 milhões: Aqui é onde se bate mais ou menos o 0 a 0. Arredondando, cerca de R$ 34 milhões pro Flamengo, R$ 6,5M pro R10, e R$ 2,5M pra Traffic, que complementa o salário do R10 e zera tudo.
Flamengo com R$ 50M: Acima dos 43 é que todo mundo sai ganhando mais. O Fla teria R$ 36M, R10 ficaria com R$ 10M (aumentando seu salário efetivo de 750 mil, pra pouco mais de 800 mil), e a Traffic embolsaria R$ 4M, sem gastar mais nada.
Em suma, me parece que, na verdade, é um contrato de risco, onde o salário do R10 é de 50% dos patrocínios acima de R$ 30M, e a comissão da Traffic é de 20% acima do mesmo valor. Só que a Traffic garante um salário mínimo de 750 mil pro R10.

Resumindo muito: acho que, na verdade, é um contrato de percentuais, com garantia de mínimo pra uma das partes (o R10).

Deu pra enteder? Acho que fui meio confuso...

Luiz Valente disse...

Li em algum lugar, há um tempo atrás (odeio falar e não citar de onde li) que cada patrocínio pessoal do Ronaldinho tem sim a divisão e a Traffic recebe um percentual.
O mais significativo é o valor dos licenciamentos: cada empresa que licencia produtos com a marca Ronaldinho paga no mínimo 1 milhão de reais e pelo que lembro foram 3 empresas, inclusive uma marca de motos, e existem negociações para outros licenciamentos e é daí que a Traffic tira o seu dinheiro.

saulo disse...

Posso mudar de assunto dentro do Post? Vocês viram o estupro que fizeram na camisa do Flamengo? Alguém pode me explicar como aquele monstrengo nas costas da camisa foi aprovado em UNANIMIDADE?

Gustavo disse...

Posso estar viajando, mas acho q R10 é só a porta de entrada (mto cara, por sinal) da Traffic no Fla. Eles estão interessados na parceria, apostam q o Fla pode alavancar mtos negócios e eles podem abocanhar um pouco de tudo, como por exemplo, o Programa Sócio Torcedor e a licitação do Maraca... ainda acho que estamos assistindo os primeiros capítulos dessa história...

Régis Marra disse...

Achei muito boa a explicação do Alan aqui nos comentários. Acho que dessa forma que ele colocou faria mesmo mais sentido esse contrato com o R10. Quanto a camisa com os novos patrocinadores gostei muito (claro que o ideal seria o uniforme limpo, algo totalmente fora de questão nos dias atuais). Quando se compara com o Batavão Azul da temporada passada que descaracterizava totalmente o uniforme, esse novo patrocinio chega a ser discreto.