Brasileiro 2011 - 16a. rodada - Figueirense 2 x 2 Flamengo

O jogo que deixa uma lição: é preciso perceber que nem sempre um bom resultado quer dizer que não é preciso mudar alguma coisa.


* * * * * * * * * *

Minha programação para o Dia dos Pais era almoçar na casa de minha mãe, em seguida assistir ao Flamengo tomando cerveja por lá com meus irmãos e depois levar as crianças ao cinema. Mas ser pai não é só ganhar presente: faltando uns 40 minutos pro jogo, meu filho deu uma topada feia com o dedo do pé que já parecia meio inflamado e acabamos tendo que correr pro hospital pra darem um jeito.

Resultado: assisti ao primeiro tempo de Figueirense x Flamengo na sala de espera do hospital. Durante a metade do primeiro tempo, estava com o garoto vendo ele gritar de dor enquanto a médica abria um buraco feio no dedo dele - o negócio era mais complicado um pouquinho do que a gente pensava. Cheguei de volta em casa a tempo de assistir aos últimos 15 minutos do jogo, quando o Figueirense já conseguido seu empate. Ou seja: perdi aí uma parte importante da partida, sobre a qual não posso falar com propriedade.

Mas dá pra dizer que o primeiro tempo foi muito ruim. Na verdade, este time titular que Luxemburgo imaginou, com Willians, Aírton e Renato juntos no meio-campo, costuma mesmo não ser muito animador com a bola nos pés. Normalmente até consegue marcar bem e manter a posse de bola, mas cria muito pouco; a maioria das vitórias alcançadas quando o time começou com esta escalação aconteceram só depois que Luxemburgo fez substituições pra mudar este meio-campo. Ontem, no caso, nem manter a posse de bola conseguiu; ao contrário do que costuma acontecer, jogando em casa ou fora, desta vez o Flamengo permitiu que seu adversário ficasse mais tempo com a bola. O primeiro gol de Deivid saiu na primeira jogada que o time conseguiu organizar - e depois houve apenas mais uma, um contra-ataque novamente concluído por Deivid.

O que acontece é que, quando o time está com um placar que parece bom, Luxemburgo não mexe no time. Como falei, não vi boa parte do segundo tempo; mas o que li e ouvi é que o Figueirense foi mesmo melhor, ficou com a bola, atacou mais, pressionou. Claro que, vendo os gols, as falhas individuais de Angelim e Felipe foram decisivas; mas a chance de algo assim acontecer é bem maior quando o adversário mantém a bola muito tempo perto da sua área. Todo mundo sabe que a zaga do Flamengo não é das mais seguras (era pior ainda antes de Angelim recuperar sua vaga), mas o time vem se mantendo sem sofrer tantos gols justamente pela estratégia de não deixar o adversário ficar muito tempo com a bola.


* * * * * * * * * *

Muita gente reclamou da parcialidade do árbitro Héber Roberto Lopes na distribuição de cartões. Como não vi a maioria deles, não vou comentar muito, apesar da estranha estatística de 6x0 nos cartões amarelos em uma partida com o número de faltas bastante equilibrado entre os dois times.

Fato é que Ronaldinho está novamente suspenso. Independente do cartão de ontem, as advertências bestas que levou antes por coisas como chutar a bola pra longe depois que um impedimento já estava marcado acabam cobrando seu preço.
Ronaldinho não é sempre brilhante. Às vezes, muitas vezes até, parece mesmo estar jogando mal. Mas vejam:

- Figueirense x Flamengo, segundo gol: Ronaldinho bate córner pra Deivid cabecear.
- Figueirense x Flamengo, primeiro gol: Ronaldinho dribla, carrega a bola e entrega para Léo Moura, livre, cruzar para Deivid cabecear.
- Flamengo x Atlético-PR, gol: Ronaldinho lança para Jael sofrer pênalti. Ele mesmo bate para marcar.
- Flamengo x Coritiba, gol: Ronaldinho cruza na cabeça de Jael.
- Cruzeiro x Flamengo, gol: Ronaldinho recebe, gira em cima da marcação e entrega para Deivid marcar.
- Flamengo x Grêmio, segundo gol: Ronaldinho rouba a bola do goleiro Victor e marca.
- Flamengo x Grêmio, primeiro gol: Ronaldinho cruza na cabeça de Thiago Neves.
- Flamengo x Santos, quinto gol: Ronaldinho conclui contra-ataque e define a vitória.
- Flamengo x Santos, quarto gol: Ronaldinho bate falta por baixo da barreira e empata o jogo.
- Flamengo x Santos, terceiro gol: Ronaldinho bate escanteio e Deivid cabeceia para o gol.

Estes foram os 10 últimos gols do Flamengo, todos com a participação direta e imprescindível de Ronaldinho. Ampliando um pouquinho só a estatística, passaram por ele 11 dos 12 gols marcados pelo time desde a última partida em que não esteve em campo - contra o Ceará, em que também esteve suspenso.

Esta é a missão do Flamengo: descobrir um jeito, na próxima quinta, de fazer gol sem Ronaldinho em campo.




14/8/2011 - 16h - Figueirense 2 x 2 Flamengo
Estádio Orlando Scarpelli - Florianópolis, SC
Renda e público: R$ 361.690,00 / 18.265 pagantes / 18.499 presentes

Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Cartões amarelos: Willians, Aírton, Renato, Deivid, Welinton e Felipe (FLA)

Gols: Deivid 36'/1ºT (0-1) e 5'/2ºT (0-2), Somália 8'/2ºT (1-2) e Edson Silva 25'/2ºT (2-2)

Figueirense: Wilson, Bruno, João Paulo, Edson Silva e Juninho; Jackson (Wilson Pittoni 10'/2ºT), Túlio, Maicon e Fernandes (Somália - Intervalo); Júlio César e Elias (Leandro Chaves 40'/2ºT) - Técnico: Jorginho.

Flamengo: Felipe, Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Junior Cesar; Aírton (Bottinelli 33'/2ºT), Willians, Renato, Thiago Neves e Ronaldinho; Deivid - Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/brasileirao/Figueirense-Flamengo_0_535746492.html#ixzz1V7UusFWn
© 1997-2011 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

5 comentários:

Marcos Monnerat disse...

O TNeves perdeu duas oportunidades que resolveriam a partida. Tá com muita vontade e tal, mas não vêm jogando bem nossa segunda estrela...

Alan disse...

Melhoras pro teu garoto, André. Quanto ao Flamengo, nada a acrescentar.

lussiannosousa disse...

Sobre os 3 volantes, não acredito que o Luxa vá mudar. Tirar Renato ou Willians não mexe só na parte tática. Renato é praticamente o dono do time. Wilians parece infincado tb no time titular. Vc tem uma noção pela fala do Thiago Neves falando do trio aqui http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2011/08/campeao-carioca-invicto-thiago-neves-quer-dobradinha-no-brasileiro.html

André disse...

Acho que já está claro que jogar com Willians, Aírton e Renato realmente não dá certo e pela mente doente do nosso treinador iremos sofrer com os 3 juntos até o final do campeonato.

Concordo com o meu amigo Marcos com relação ao Thiago "pé torto" Neves. Este cara é raçudo, tem muita disposição, mas...ele simplesmente não sabe chutar. É fato. Gostaria de ver uma estatística sobre os chutes a gol deste jogador. Vou apostar em um acerto de menos de 30% no gol. Eu digo no gol e não que resultaram em gol.

É verdade que o Felipe falhou no segundo gol. Mas o gol de empate sairia de um jeito ou de outro. É o que acontece quando se é pressionado pelo adversário. Você aumenta a chance de erros da defesa.

Esta pressão tem acontecido com algum frequência nos últimos jogos. Não estamos mais conseguindo manter a posse de bola. Vide o jogo contra o Coritiba. O primeiro tempo foi de domínio amplo do coxa e o segundo tempo foi equilibrado. Achamos um gol do Jael. Contra o Grêmio isto já havia acontecido até os 30 minutos do primeiro tempo.

Vamos torecer para sermos campeões APESAR das escalações erradas e orando para o Ronaldinho continuar a ser eficiente.

JEFF disse...

André,
Sobre o juiz falei no #post comentado que fez sobre o assunto e acho que o Flamengo está certo nas reclamações.
Quanto ao posicionamento tático, eu discordo de você e, aliás, de minhas próprias opiniões anteriores. Uma vez que vinha pedindo um 4-4-2 mais clássico, digamos assim. Com apenas dois volantes. Porém, com a chegada do Airton, este panorama, para mim, se alterou. O time fica sem dúvida mais forte na defesa. Tanto que, com zagueiros tão frágeis, não estávamos sequer tomando gols e mantínhamos a posse de bola. Se não me falha a memória andamos decidindo jogos antes da mudança de esquema, sempre feita pelo Luxa durante as partidas(como você bem disse).
Os times campeões brasileiros normalmente são os que tem a melhor defesa (vide o sucesso do Muricy). Tendo jogadores como R10, se não tomarmos gols fatalmente venceremos a grande mairoria dos jogos.
Os gols tomados contra o Figeurense não podem servir de parâmetro, pois o comportamento dos jogadores foi muito estranho.

FLAmém! @JEFFarah (@IgrejaFlamengo)