Copa Sul-Americana 2011 - Primeira fase - Jogo de ida - Flamengo 1 x 0 Atlético-PR

Quando Luxemburgo deu o recado de que era pra valer, o time fez o que precisava para ganhar o jogo. Pra variar, com um lance decisivo de Ronaldinho.


* * * * * * * * * *

Como escrevi antes do jogo, não havia necessidade de expor os titulares do Flamengo ontem contra o time reserva do Atlético Paranaense, no Engenhão. Por isso, gostei da escalação que Luxemburgo escolheu, poupando os principais jogadores e nos dando a chance de ver qual é a de jogadores como Gustavo e Jael.

Jael errou alguns passes, passou períodos longos do jogo sem pegar muito na bola, mas no geral até foi bem. Embora não tenha feito seu gol, mostrou convicção na hora de concluir, fez um giro bonito no final do primeiro tempo e, no segundo, acabou sofrendo o pênalti que definiu o jogo. Já Gustavo foi pouquíssimo testado pelo fraco time paranaense, que quando ameaçou o Flamengo, o fez pelo lado esquerdo de sua defesa - o lado direito, por onde se colocava o simpático Geladeira, quase não foi incomodado.

Disse que gostei da escalação de Luxemburgo por poupar quem deveria ser poupado. Mas não sou nada fã da formação com três zagueiros que ele escolheu para iniciar a partida. Da forma como o time entrou, toda a responsabilidade de armar o time ficava nas costas de Bottinelli - Aírton é volante; Luiz Antônio até sabe sair pro jogo, mas não é um passador, e sim um carregador de bolas; por mais que digam que os alas são meio-campistas no 3-5-2, Léo Moura e Júnior César não são meias, nem tentaram ser ontem; e Diego Maurício e Jael não são jogadores para voltar e auxiliar na criação no meio. A situação ficou ainda pior pela atuação horrorosa do argentino, que errou tudo o que tentou.

Assim, o Flamengo até começou tentando manter o estilo de jogo do time titular, marcando na frente e procurando trocar passes para manter a posse de bola. Mas, à medida que o tempo ia passando, a intenção foi sucumbindo à enorme quantidade de passes errados e o primeiro tempo foi de dar sono, muito sono. O lance de mais perigo do Flamengo acabou sendo um chute fraquinho de Luiz Antônio que acabou se transformando numa bola venenosa ao quicar num montinho artilheiro. E houve momentos em que o Atlético até preocupou, com jogadas de certo perigo pela direita de seu ataque.

O ritmo sonolento do jogo só mudou mesmo quando Luxemburgo, com o segundo tempo em andamento, decidiu colocar Renato, Thiago Neves e Ronaldinho no jogo. A coisa melhoraria de qualquer jeito apenas pela melhor qualidade dos que entravam, mas as substituições também serviram de recado pro time: se eles estão entrando em campo, é porque o negócio era sério, tinham que ganhar mesmo o jogo. E aí o Flamengo foi pra cima e começou a criar chances em sequência, como não tinha acontecido até então.

No final, pra variar, o que definiu o jogo foi um lance de Ronaldinho - pela quinta partida consecutiva.




10/8/2011 - 22h - Flamengo 1 x 0 Atlético-PR
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda e público: R$ 71.450,00 / 2.761 pagantes

Árbitro: Ricardo Marques (MG)
Auxiliares: Altemir Haussmann (RS) e Erich Bandeira (PE)
Cartões amarelos: David Braz (FLA); Wendel e Santos (APR)
Gols: Ronaldinho 37'/2ºT (1-0)

Flamengo: Felipe, Gustavo, David Braz (Ronaldinho 14'/2ºT) e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Aírton, Luiz Antonio (Renato 14'/2ºT) Bottinelli e Junior Cesar; Diego Maurício (Thiago Neves 14'/2ºT) e Jael - Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Atlético-PR: Santos, Wagner Diniz, Gustavo, Rafael Santos e Marcelo Oliveira; Wendel (Guerrón 41'/2ºT), Fransérgio, Robston e Cleber Santana; Morro García (Renan 23'/2ºT) e Rodriguinho (Edigar Junio 31'/1ºT) - Técnico: Renato Gaúcho.

5 comentários:

Cleber Soares disse...

André, saindo um pouco do assunto do jogo e ao mesmo tempo falando do jogo, você não acha ridículo o mengo jogar no engenhão sabendo que não vai ter um bom público, que a competição nem sequer é previligiada pelo clube quiça pelo público.... ai temos menos de 2500 "testemunhas", que com certeza sequer pagou as contas de jogar no engenhão.... não seria melhor jogar em Macaé, Juiz de Fora ou aqui no MS onde moro.... essa coisa eu juro que não entendo, é muito amadorismo para um clube do tamanho do mengão.

BLOG DO CLEBER SOARES
www.clebersoares.blogspot.com

saulo disse...

No fim do jogo o Luxemburgo justificou o esquema com 3 zagueiros pela falta de ritmo do Gustavo. Ele ao mesmo tempo que queria testar um jogador novo, não queria expor o time aos riscos de ter um zagueiro sem nenhuma hora de vôo num time grande. Sinceramente, acho que ele fez bem.

André disse...

Já passou da hora do Lexemburgo DESISTIR do Botinelli. Ele é horroroso. Não sabe sequer dominar um bola rasteira.

Se é para escalar esse perna de pau prefiro entrar com 10.

Pablo Alcântara disse...

Bottineli é fraquinho mesmo. E é franzino demais tb, nao ganha uma de corpo.

Administrador disse...

Aposte no Bolão do BRITFOOT (é o mesmo do Net Esportes, porém, ele foi roubado, então, continuamos no nosso novo blog). http://britfoot.blogspot.com/2011/08/bolao-do-brasileirao-16-rodada.html