O que dá pra tirar da vitória sobre o Atlético-MG para os próximos jogos do Flamengo

Algumas observações sobre volantes, zagueiros, atacantes - e, claro, Ronaldinho


* * * * * * * * * *

Willians, apesar do excesso de faltas que tem cometido este ano (talvez por razões táticas), talvez seja o melhor marcador do futebol brasileiro. Mas foi animador ver volantes garotos como Luiz Antônio e Muralha dando os passes que deram na goleada de sábado contra o Atlético Mineiro.

Mas foi apenas um jogo, contra uma equipe que jogou mal o tempo inteiro, de garotos jovens que irão naturalmente oscilar. Entendo que seja difícil optar por um deles no lugar de um jogador mais cascudo como Willians, ainda mais em um time com uma zaga tão fraca. Mas Aírton se apresentou hoje. Se entrar em forma parecida com a que mostrou em 2009, eu não ficaria muito triste de ver Willians no banco não.


* * * * * * * * * *

Já que citei a zaga fraca: David voltou a falhar na bola alta no sábado. É um erro repetitivo: em todo cruzamento, ele fica olhando pra bola, não vê onde está o adversário que deveria estar marcando, pula fora do tempo e permite a cabeçada. A grossura de Wellinton é perigosa e chama mais atenção do torcedor menos atento, mas David hoje compromete mais a defesa do que seu companheiro.

Enquanto não chega outro zagueiro (se é que vai chegar - tenho toda consciência de que o dinheiro é muito, muito curto), não posso pedir a escalação do tal Gustavo como titular sem nunca tê-lo visto em ação pra valer. Mas eu me sentiria mais tranquilo se Angelim voltasse a ser titular, mesmo sabendo que o tempo está passando pra ele.

Só é bom obserar que, no lance do gol do Atlético, se não deixa o adversário que está marcando livre como David, Angelim usa outro método que também não é dos melhores: agarra ostensivamente o jogador atleticano. Se o gol não sai e o juiz resolve marcar o pênalti, não ia dar pra reclamar.


* * * * * * * * * *

Negueba não me passa ainda muita confiança de que irá se firmar na carreira. E nem adianta muito falar nele agora, já que está de partida para a Seleção sub-20. Mas ficou claro em sua entrada como o time tem a ganhar com um jogador de frente que busque as jogadas pelas pontas e tenha velocidade. Não adianta jogar apenas nas costas dos laterais a responsabilidade de abrir o jogo - sem companhia, sem alguém se mexendo à frente até para dar opção de passe e puxar a marcação, fica muito mais difícil. Não é à toa que Léo Moura, sem esse jogador em campo, andou afunilando tanto as jogadas a partir da intermediária, como vimos contra o Atlético-PR e nos 60 primeiros minutos contra o Atlético-MG.

Sem Negueba, Luxemburgo fala em voltar a usar Vander, que teve seu brilhareco na pré-temporada em Londrina e depois foi sumindo totalmente até do banco de reservas. Não sei também o quanto que dá pra apostar nele, mas ao menos tem essa característica. 


* * * * * * * * * *

Sem Negueba e sem Diego Maurício, é difícil que Vander convença Luxemburgo o bastante para que ele use de início o esquema que encerrou o jogo no Engenhão. Marquinhos foi embora, até Fierro está na Copa América, as opções na frente não são mesmo muitas.

Mas Luxemburgo poderia ao menos tirar esta lição da última partida: quanto menos Ronaldinho pegar a bola de costas pro adversário, melhor. É uma cena que se repete demais desde que ele chegou: ele recebe a bola, protege com o corpo enquanto o adversário cola às suas costas, demora a soltar, chega outro cara, ele ainda não resolveu o que fazer, chega mais um... Se não consegue cavar uma falta, normalmente Ronaldinho encerra a jogada perdendo a bola.

Partindo com a bola dominada de frente pra defesa, como passou a acontecer mais depois da entrada de Negueba, a chance dele produzir aumenta muito. Mas não sou dos que acha que ele anda rendendo mal apenas por estar fora de posição e as substituições explicam sozinhas a sua bela atuação daqueles 20 minutos de sábado. Até porque Ronaldinho já foi testado este ano em uma meia dúzia de funções diferentes - aberto pela esquerda, meia centralizado, segundo atacante, centro-avante... E suas atuações não saltaram muito aos olhos em nenhuma delas. É claro que ele vai render mais quando estiver em uma função que tenha a ver com suas características e quando o time como um todo estiver funcionando melhor. Mas seu ânimo, seu físico, sua vontade de buscar jogo,sua confiança, seu sono na noite anterior - tudo isso também tem muito peso.

Assim como também teve peso no sábado a atuação pavorosa do Atlético-MG, que deu muito espaço em seu meio-campo desde o início do jogo.


* * * * * * * * * *

E, pelo visto, teremos mais uma etapa do eterno revezamento Deivid-Wanderley-Deivid-Wanderley no comando do ataque. E agora as opções são só eles dois mesmo.

Por mais que minha convicção tenha fraquejado naquela cabeçada bizarra pra trás embaixo do travessão, minha escolha a essa altura já teria sido feita por Deivid mesmo.

4 comentários:

LuksAlves disse...

Sobre Deivid,
deivid nos ultimos jogos veio fazendo pelo menos o que(na minha opinião) um centro-avante deve fazer,
que é, aparecer na area, esperando a bola para dar o ultimo toque para o fundo das redes, mas a cabeçada pra trás foi brincadeira.

André disse...

É por aí mesmo que o Flamengo deve ir.

Só não acho que o Williams deve ir pro banco não. E gostei muito da dupla de "Luizes", tanto o Antônio quanto o Muralha.

Léo Moura realmente precisa de um parceiro para produzir todo o seu potencial pelos lados. Quando afunila fica muito complicado.

Vamos ver amanhã o que vai acontecer em MG. Tomara que o time mantenha o embalo.

LuksAlves disse...

Com certeza, tanto o Luiz Antonio quanto o muralha são bons, eles são bons defensivamente e bons ofensivamente, pois diferente de Willians eles tem mais qualidade no passe, embora o Willians tenha evoluído muito nesse quesito, só que os "Luizes" ainda são promessas e o Willians já é uma realidade, xodó da torcida, exímio ladrão de bolas e etc.

Sobre o Léo, também concordo, pois o flamengo está em muitas partidas afunilando o jogo e o meio campo, que em tese é o melhor setor, muitas vezes não funciona. Então já que temos ótimos laterais(que foi nosso forte nos últimos anos) vamos jogar com eles, mas não deixar somente eles jogarem, todo o time tem que jogar bem.

Vamos torcer pro time fazer um bom jogo contra o América, mas não se iludir, o time do américa é um time bastante limitado.Ganhamos do time reserva do Avaí(que ca entre nois nem o titular é bom) e ganhamos do Atletico-MG que jogou muito mal. Então espero que o Luxa arrume o time ideal, por que depois do América vem o São Paulo que mesmo desfalcado é um timaço.

Marcelo Constantino disse...

O bom desses garotos volantes é não termos mais que nos deparar com um Fernando no banco -- ou no time titular. Aliás, onda anda o inacreditável Fernando?

Nessa mesma linha, era bom surgir algum zagueiro dos juniores para nos livrarmos de vez de ter de ouvir que o Jean está no banco.

Sobre o Ronaldinho: na boa, essa de onde ele joga melhor (na frente? no meio? na esquerda? aberto? fechado?) é história que ouvimos desde a Copa de 2006, sem que ele renda efetivamente em canto algum.

Na minha opinião ele vem jogando exatamente como tem jogado há 6 anos: geralmente mal, mas com lampejos eventuais. Não vejo nada de novo nele, embora em acreditasse que, no Brasil, ele ao menos iria tentar firular.