Brasileiro 2011 - 7a. rodada - Flamengo 4 x 1 Atlético-MG

Uma atuação bipolar: 60 minutos muito ruins, 30 minutos muito bons. Tomara que Luxemburgo tire lições das duas fases.



* * * * * * * * * *

Desde o início do jogo, o Atlético pareceu um adversário sob medida para reabilitar o Flamengo. Erros de passe em profusão, inclusive na saída de bola, e muito espaço pra trabalhar no meio-campo. Mas o Flamengo fez questão de não aproveitar em todo o primeiro tempo e nos primeiros minutos do segundo. Era um time sem poder de penetração, sem jogadas pelas pontas, com seus principais jogadores apagadaços e que, como seu adversário, errava passes demais. E, como castigo acabou levando um gol.

Pra variar, a defesa falhou em uma bola parada. Pra variar, David não tinha ideia de onde estava o jogador que deveria estar marcando. Não é possível que, jogo após jogo, esta cena se repita. Mas acabou sendo decisiva para que tudo mudasse.

Em desvantagem, Luxemburgo desistiu do esquema de três zagueiros e colocou um atacante a mais, tirando de Ronaldinho a obrigação de colocar-se sempre como atacante. O efeito não foi imediato, mas o time ao menos começou a rondar a área do Atlético. E, depois de um cruzamento mal cortado pela zaga mineira, Ronaldinho aproveitou o rebote para fazer um golaço. Foi a ignição para uma mudança completa na partida.

O Atlético, que jogou mal mesmo o tempo todo, se perdeu de vez. Com Negueba, o time ganhou alguma opção de jogada pelas pontas, com ele se entendendo bem com Léo Moura. Thiago Neves começou a aparecer mais. Mas, principalmente, Ronaldinho acordou. Foram uns 60 minutos bem sonolentos que ficaram totalmente ofuscados pelos 20 minutos que se seguiram ao gol. Foram dribles, passes e arrancadas que mudaram até o moral do time em campo. As chances se sucediam e a virada e a goleada, mesmo em meio a gols incríveis desperdiçados - a cabeçada pra trás de Deivid foi algo de histórico -, vieram naturalmente.

Tomara que Luxemburgo tire uma lição desta atuação bipolar do Flamengo. De repente, com Aírton chegando, ele ganha confiança pra manter um esquema mais ofensivo, embora o elenco vá ficar agora sem Diego Maurício e Negueba.




25/6/2011 - 18h30 - Flamengo 4 x 1 Atlético-MGEngenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda e público: R$ 392.100,00 / 14.054 pagantes

Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Alessandro Rocha de Matos (BA)
Cartões amarelos: FLA: Thiago Neves; CAM: Guilherme, Dudu Cearense.

Gols: Dudu Cearense, 6'/2ºT (0-1), Ronaldinho Gaúcho, 21'/2ºT (1-1), Thiago Neves, 30'/2ºT (2-1), Deivid, 41'/2ºT (3-1), Deivid, 46'/2ºT (4-1).

Flamengo: Felipe; Welinton, David Braz (Negueba, 14'/2ºT) e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Luiz Antonio (Muralha, 38'/2ºT), Renato, Thiago Neves e Junior Cesar; Ronaldinho Gaúcho e Wanderley (Deivid, 14'/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Atlético-MG: Renan Ribeiro; Patric, Leonardo Silva, Réver e Guilherme Santos; Serginho, Dudu Cearense, Giovanni Augusto (Toró, 25'/2ºT) e Daniel Carvalho (Renan Oliveira, intervalo); Magno Alves (Neto Berola, intervalo) e Guilherme. Técnico: Dorival Junior.

6 comentários:

Valente Filho disse...

A indicações foram claras David Brás tem falhado mais do que Wellington, Ronaldo Angelim traz mais tranquilidade a zaga; Ronaldinho NÃO pode ficar relegado ao lado esquerdo do campo, nem enfiado entre os zagueiros de costas para o gol; Com Negueba o time pode se defender com duas linhas de quatro jogadores com R10 e Deivid para puxar eventuais contra-ataques e preocupar a zaga adversária, já que Luxa não vai com Diego Maurício.
Calmemos porque não foi espetacular e nunca o termo galinha morta foi tão apropriado. eu fiquei procupado quando vi as subistituições do Atlético para o segundo tempo. O Dorival enxergou direitinho como eu pensei sobre a equipe dele tanto que segurou o Flamengo nos primeiros 15 minutos. Só que sentiu, por ser uma equipe com varios jogadores novos a pressão de enfrentar o Flamengo motivado e partindo para cima depois da subistituição, principalmente a entrada do Negueba para mim que desequilibrou o jogo, mais do que o Ronaldinho.
Nem tanto ao mar, nem tanto a terra, pois sabemos como é o Flamengo, mas definitivamente há esperança!

Fernando Almenara disse...

Formei algumas opiniões, que já havia pensado, neste jogo. Ronaldinho não pode jogar como atacante, tem q jogar mesmo como meio de campo. Ronaldo Angelim deve ser titular nessa zaga. Ele é bastante estável, diferente da atual dupla titular. Realmente precisamos de um atacante, apesar do Deivid ter feito 2 gols. E existe vida sem o Willians, tanto o Luiz Antônio como o muralha entraram muito bem e não tomaram nenhum cartão (Willians sempre toma pelo menos um amarelo por jogo). Sem falar q ainda temos o Airton pra jogar de na posição...

Achei q o Léo Moura melhorou bastante nesse jogo e o Júnior César tbm jogou bem. Acredito q resolvemos o problema da lateral esquerda (já é uma evolução, enquanto não resolvemos o problema do ataque e da defesa)...

Não podemos nos enganar achando q com essa vitória o Flamengo se acertou, mas já é alguma coisa e valeu 3 pontos...

Agora vamos esperar as cenas dos próximos capítulos.....

André disse...

Boa vitória, placar elástico e como já destacaram algumas certezas:

Vanderlei não joga nem no time de pelada do aterro!!! Com as opções que temos o Deivid é o menos pior. Pelo menos sabe chutar e passar a bola apesar de lento.

O Ronaldinho precisa de desafios e espero que se sinta desafiado a cada jogo. Ontem chutou a gol 6 vezes. Contra o Botafogo não chutou nenhuma vez.

E o Thiago Neves segue me irritando com a sua baixa produtividade. Como é dificil ele acertar um passe ofensivo, acertar um chute a gol...o gol que ele fez até o Vanderlei faria.

E...pelo amor de Deus!!! Angelim titular!!! Fora David Braz!!!

Temos uma boa chance de fazermos 6 pontos seguidos com a partida contra o América e partirmos pra cima do São Paulo. A esperança renasce...

Luis disse...

Além do Gergelim, acho que dá para testar aquele zagueiro (me esqueci o nome) tipo armário que a gente trouxe de um nanico do carioca.

Ronaldinho no ataque é tão bom quanto o Zico no gol - espero que ele volte a jogar pelo meio/laterais.

TNeves tem que fazer tratamento com psicólogo.

Negueba tem que entrar mais vezes. E eu jogo bem mais do que o Vanderlei, apesar dos meus quase 100kgs.

Por fim, Luxa não é técnico há muito tempo. Tem que colar um auxiliar esperto no mala.

Ah, já ía me esquecendo. Acho que o Toró deu uma ajudinha no final. O Galo, que é uma meleca de time, entrou em colapso depois que ele entrou.

Marcos Monnerat disse...

Eu acho que os dois melhores jogos do Fla no ano foram contra times muito fracos (reservas do Avaí e o Galo Levanta Defunto). Não servem tanto de parâmetro. Especialmente esse último, em que só jogamos a vera por 25 minutos.

O Ronaldinho correu nesses 25 minutos mais do que tinha corrido em seus últimos 3 anos de carreira. Espero que o resultado e os elogios sirvam como estímulo para ele continuar correndo.

André Monnerat disse...

Ao Juninho (André, no caso): cara, dá uma olhada no vídeo dos melhores momentos do jogo e vê se continua achando que a produtividade do Thiago Neves foi baixa. Depois que o time engrenou, ele deu um chute perigoso de fora da área, outro salvo milagrosamente em cima da linha por um zagueiro do Atlético e colocou o Negueba na cara do gol em um contra-ataque - fora o gol, claro, em que o mérito dele foi mesmo apenas estar ali bem colocado pra receber o cruzamento.

Até acho que ele não vem jogando bem não. Mas sábado ele acompanhou o time: foi mal enquanto todo mundo tava mal, foi bem quando tudo melhorou.