Brasileiro 2011 - 8a. rodada - América-MG 2 x 3 Flamengo

Não foi uma boa atuação. Mas valeu pela vitória e pela moral que deu a Ronaldinho e Deivid - dois jogadores muito importantes para as pretensões do time no campeonato.



* * * * * * * * * *

Um gol de falta logo no início contra um dos times mais fracos do campeonato e a impressão de que tudo seria muito tranquilo. Grande engano: com o Flamengo-2011, é muito difícil vermos um jogo tranquilo, seja com quem for. Menos mal que a vitória acabou vindo no final, e dando moral a Ronaldinho Gaúcho - o que é importante para o rendimento do resto do time. Quando ele está bem, o resto do time se sente mais confiante e tudo tende a funcionar melhor.

A verdade é que, apesar da vantagem logo de cara, o Flamengo ofensivamente nunca funcionou bem no primeiro tempo. Houve uma boa jogada entre Ronaldinho e Júnior César nos primeiros minutos, o gol de falta em seguida - e só, mais nenhum lance de perigo. Foi um time sem penetração, sem jogadas pelas pontas, com os laterais previsivelmente afunilando o jogo por falta de companhia, com o centroavante condenado a só receber bolas se saísse de sua posição para buscá-las. Quem olhar os melhores momentos da primeira etapa para checar as chances criadas não pode dizer que o Flamengo produziu mais do que o América.

Mas o time mineiro só fez seus gols graças à falha mais manjada do Flamengo em 2011: os cruzamentos em bolas paradas. É incrível como qualquer chuveirinho vira um Deus-nos-acuda na defesa rubro-negra em todos os jogos do ano. David é péssimo neste tipo de jogada mas, em sua ausência, Wellinton fez sua lambança, cabeceando uma bola no próprio travessão no lance do primeiro gol. Mas, como já escrevi aqui, é muito fácil botar a culpa toda na deficiência técnica dos zagueiros; no segundo gol, nenhum deles estava envolvido diretamente na jogada e a falha aconteceu mesmo assim. Não há outra maneira de analisar: o time está mal treinado neste tipo de jogada e Luxemburgo precisa fazer um trabalho intensivo para resolver o problema, ou muitos pontos ainda serão perdidos desta maneira.

Para o segundo tempo, o time voltou à mesma formação que virou o jogo contra o Atlético, com a entrada de Negueba. Mas, desta vez, o time continuou sem conseguir abrir as jogadas e tendo dificuldades pra furar o bloqueio mineiro. Os lances de perigo saíram mesmo pelo meio, graças a jogadas individuais de Ronaldinho e Thiago Neves - belo lance para o gol de Deivid - e passes e chutes de Bottinelli, que desta vez entrou bem. A expulsão de um jogador do América também ajudou, fazendo o adversário recuar ainda mais, dando mais chance à pressão rubro-negra. Luxemburgo voltou a colocar Diego Maurício de segundo atacante para Ronaldinho virar centroavante, o que sempre acho um erro; mas no final, desta vez, isso acabou dando certo no lance que decidiu a partida.

De qualquer forma, vieram os três pontos - que, como qualquer um que já ouviu entrevista de jogador à beira do campo sabe, "é o mais importante". E, quem diria?, Ronaldinho Gaúcho é o artilheiro do campeonato - seguido de perto, vejam vocês!, por Deivid. No caso do Gaúcho, parece que a pressão que veio em cima dele nas semanas anteriores - inclusive com a ajuda de Luxemburgo ao jogá-lo às feras no final do jogo contra o Botafogo - surtiu algum efeito: é inegável que, mesmo nos momentos em que não esteve tão bem durante as partidas, Ronaldinho esteve bem mais disposto a buscar o jogo nestas últimas duas rodadas. Tomara que esta fase de maior foco no que interessa dure por mais tempo.



29/8/2011 - 19h30 - América-MG 2 x 3 Flamengo
Arena do Jacaré - Sete Lagoas, MG
Renda e público: R$ 132.900,00 / 7.475 pagantes

Árbitro: Wagner Reway (MT)
Auxiliares: Fábio Rodrigo Rubinho (MT) e Joadir Leite Pimenta (MT)
Cartões amarelos: Amaral, Alessandro, Flávio e Leandro Ferreira (AMG); Willians, Ronaldinho, Junior Cesar e Bottinelli (FLA)
Cartões vermelhos: Leandro Ferreira 26'/2ºT (AMG)

Gols: Ronaldinho 10'/1ºT (0-1), Alessandro 37'/1ºT (1-1), Anderson 45'/1ºT (2-1), Deivid 11'/2ºT (2-2) e Ronaldinho 40'/2ºT (2-3)

América-MG: Flávio, Marcos Rocha, Anderson, Gabriel e Gilson; Dudu, Leandro Ferreira, Amaral (Kempes 41'/2ºT) e Rodriguinho (Fabrício 22'/2ºT); Alessandro e Fábio Júnior (Willian Rocha 28'/2ºT) - Técnico: Mauro Fernandes.

Flamengo: Felipe, Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Junior Cesar; Luiz Antonio (Negueba - Intervalo), Willians (Bottinelli 28'/2ºT), Renato, Thiago Neves e Ronaldinho; Deivid (Diego Maurício 32'/2ºT) - Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

8 comentários:

Valente Filho disse...

Ser Flamengo é realmente para os fortes!
Uma coisa é certa o Ronaldinho de hoje e domingo é como o Pet de 2009 lampejos decisivos, vontade e ritmo. Não esperemos mais dele. O time e que deve ser regular e jogar mais, não a montanha russa que foi hoje. Se o time jogar mais Ronaldinho vai jogar mais também. Hoje ele depende muito mais da equipe do que a equipe dele, mesmo jogando em função dele. Será que o Luxa não treina bola parada defensiva? Meu deus, o que é aquilo?
Como eu falei domingo há esperança e pelo que está se desenhando no "quarta e domingo" Flamengo e Corinthians vão levar vantagem sobre o resto, mesmo sem Negueba que parece, hoje, fundamental para dar velocidade e Diego Maurício. Vamos passo a passo sem o oba-oba da imprensa (imagino amanhã no clube).
Faltam 31 rodadas para o Hepta, mas temos que melhorar!

Flora disse...

André, eu andei lendo e não foi só hj, muitos comentaristas que acompanharam bem a carreira do Luxa como Mauro Cezar, Juca, entre outros, falando que esse problema com a bola aérea é uma constante nos times do Luxa. O que vc acha?

Usando um expressão do basquete, parece que o nosso time marca zona, quando devia marcar homem a homem.

heriton disse...

André, tão importante como ter jogado razoavelmente bem é que, segundo a narração do Sportv, por várias vezes no segundo tempo o Ronaldinho pediu aos companheiros que passassem a bola pra ele, ou seja, chamou para si a responsabilidade do jogo. Considero muito importante que ele assuma seu papel de principal jogador e lider do time.

Luis disse...

Bolas paradas (inclusive excesso de faltas desnecessárias no nosso campo) e zagueiros aloprados são o pior defeito do Fla. E sem uma defesa sólida é inviável ter ambições em campeonato longo e de pontos corridos. Eu testaria aquele armário que contratamos de um time pequeno do RJ (acho que Boavista).

André Monnerat disse...

Flora, já li o Vitor Birner, de quem eu gosto, também falando isso - que há tempos os times do Luxemburgo têm problemas nas bolas aéreas.

Sendo sincero: vejo bastante os outros times jogarem, mas claro que a gente sempre acompanha mais os detalhes do nosso mesmo - só não seria assim se eu fosse pago pra isso e pudesse assistir aos jogos todos que gostaria. Então, não sei dizer se este problema era tão recorrente assim nos últimos times dele.

Agora, que a coisa tá feia no Flamengo nesse ponto, tá. E pra mim é não é só questão de um ou outro jogador mais fraco nesse quesito. Estão é mal treinados mesmo.

André Monnerat disse...

Heriton, eu concordo: deu pra perceber o Ronaldinho mais a fim de participar do jogo e de tentar lances agudos. E isso é muito importante pra ele e pro time.

Como escrevi, tomara que esta fase de mais foco dele dure, não seja só fogo de palha.

Ique disse...

André,
bela análise... Mas só discordo de você num pontinho. No tal segundo gol do Coelho, o Welinton falha de novo. Ele não acompanhou o Anderson, que fechou livre pra cabecear na cara do Fiiiiliiiipiii.

André Monnerat disse...

Ique, pior que é mesmo. Fui rever e realmente era jogador dele o cara que cabeceou. Só tinha visto o Willians no lance.