Estadual 2011 - Taça Rio - 5a. rodada - Flamengo 3 x 3 Madureira

Atuações ruins como a de hoje não vão ajudar muito a fazer a torcida relevar a ausência de Adriano.


* * * * * * * * * *

Foi um jogo muito ruim do Flamengo, desde o início. A saída de Renato não mudou muita coisa no time; o desenho tático manteve-se com Maldonado como único volante fixo atrás e Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho jogando praticamente como atacantes o tempo todo, sem posicionamento fixo, encostando em Wanderley. Se antes a armação do meio-campo deveria ficar por conta de Willians e Renato, agora ficou com os garotos Lorran e Galhardo, que não resolveram muita coisa.

Mesmo com o Madureira marcando muito atrás, deixando seu adversário chegar fácil até a entrada de sua área sempre, o Flamengo praticamente não criou nenhuma chance de gol em todo o primeiro tempo. Ronaldinho foi discretíssimo, Thiago Neves só pouca coisa melhor e o time ainda sofria com Wanderley, que é fraco para fazer o pivô e, por mais que seja simpático por toda a raça e entrega, quase não dá sequência às jogadas de que participa. A exceção, claro, foi o bom passe para o gol de Léo Moura, que evitou no finalzinho que o time fosse perdendo para o vestiário.

Só que, na volta, a coisa não melhorou, mesmo com a entrada de Diego Maurício. Pelo contrário: conseguiram levar dois gols do Madureira. Entraram Deivid e Bottinelli e o time foi tentando atacar de maneira totalmente desordenada; se Ronaldinho foi discreto no primeiro tempo, foi péssimo no segundo, prendendo a bola de maneira inútil e irritante onde quer que a pegasse. Mas o Madureira continuou recuado demais, facilitando a tarefa do Flamengo em partir para o abafa, e os gols acabaram saindo.


* * * * * * * * * *


Escrevi sobre a pressão que viria após a ida de Adriano para o Corinthians e hoje foi a primeira amostra mais forte, com os insistentes gritos de "Ah, é Adriano!" ecoando enquanto o time perdia para o Madureira.

O que não adianta é Luxemburgo se defender com o discurso de que "só existe um finalista, e este é o Flamengo", como se a situação fosse cômoda. Existe a tal invencibilidade, o aproveitamento na frieza dos números até algumas rodadas atrás até era bom - mas o futebol nunca foi, e agora isso está chamando ainda mais a atenção da torcida. A Taça Guanabara não é conquista que sirva de escudo para nada.

Espero que este discurso do técnico seja apenas para consumo externo e que ele esteja vendo o que não está funcionando no time. Ou o trabalho de Luxemburgo começa a dar resultados em campo - e não estou falando simplesmente de somar pontos contra adversários obviamente frágeis, mas também de um futebol consistente, um padrão de jogo que funcione -, ou a pressão só irá aumentar.


* * * * * * * * * *

Hoje Welinton deu, naquele bizarro gol contra, uma demonstração prática de como é perigoso ter no time alguém tão sem jeito com a bola, ainda mais jogando tão perto de seu próprio gol. Em seus melhores momentos desde o ano passado, ele nunca escondeu a grossura, mas parecia ao menos saber marcar, se posicionar e jogar sério, o que aliviava a sua barra; só que hoje, além do lance grotesco do primeiro tempo, ele ainda foi driblado com facilidade constrangedora no segundo gol do Madureira e falhou também ao tentar cortar o passe que deu no terceiro.

Ainda acho que Angelim deveria ser titular neste time (e até tenho minhas dúvidas se no lugar de David ou Wellington). Mas, especialmente considerando que o outro reserva é o péssimo Jean, desde o início do ano o elenco já me parecia carente de zagueiro - e também andou sendo usado o discurso de que "nossa defesa é a melhor do campeonato" para ignorar este tipo de comentário. Sei não, mas o jogo de hoje reforçou a impressão de que, quando chegar o Brasileiro, esta fragilidade vai ficar mais evidente.




27/3/2011 - 16h - Flamengo 3 x 3 Madureira
Estádio Cláudio Moacyr - Macaé, RJ
Renda / público: R$ 81.330, 00 / 5.073 pagantes

Árbitro: Pathrice Maia/RJ (FIFA)
Cartões amarelos: Bottinelli(FLA) Abedi(MAD)

Gols: Wellinton (contra), 34'/1°T (0-1); Léo Moura, 42'/1°T (1-1); Michel, 12'/2°T (1-2); Baiano, 19'/2°T (1-3); Deivid, 29'/2°T (2-3); Thiago Neves, 37'/2°T (3-3)

Flamengo: Felipe, Léo Moura, Wellinton, David e Rodrigo Alvim; Maldonado, Lorran (Diego Maurício, intervalo), Galhardo (Bottinelli, 19'/2ºT), Thiago Neves e Ronaldinho; Wanderley (Deivid, 11'/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Madureira: Cléber, Caio Posses, Luís Otávio, Douglas Assis e Nil; Vnicius, Abedi (Gomes, 16'/2ºT), Rodrigo e Michel (Alex Silva, 35'/2ºT); Baiano e Adriano Magrão (Adriano Magrão, 25'/2ºT). Técnico: Antônio Carlos Roy.

15 comentários:

Paulo Sales disse...

Está muito claro: Luxemburgo não consegue arrumar o time e o Flamengo não se reforçou o suficiente na defesa e no ataque. Dar carta branca para um técnico como esse fazer o que quer dá nisso. Poderíamos ter Kleberson no elenco e economizar algum dinheiro mantendo Correa e dispensando Fernando ano passado. Agora é aguentar o coro dos descontentes.

Fernando Almenara disse...

Há algumas rodas atrás já estava ficando preocupado com a atuação do Flamengo. O time parece não estar evoluindo. o início da temporada dava até um desconto pro time. Se o Fla não se reforçar o brasileirão vai ser dolorido.

SRN.

Alan disse...

É, cara. Sinceramente, tá feia a coisa. Apesar da invencibilidade e do título da GB, qualquer um olha pro time e vê que ele não está bem armado. Se não mudar logo (e infelizmente, acho que não vai mudar), a gente só leva esse carioca na base do individual, ou do clássico "vanulápora". Por que time mesmo, tá difícil. E o Luxa não parece que vai dar o braço a torcer...

antonio marcos disse...

Estamos vivendo de jogadas individuais pois nosso treinador esta insistindo com as tais experiencias
Vamos ver quanto tempo ele suportara a pressão que virá forte por parte da torcida e da midia em geral.Sinceramente torço por ele pois sei que e um profissional serio acostumado com clubes grandes e torcidas idem mas sem reforços vai ficar dificil de aturar nosso setor defensivo que está uma mãe!

Jander disse...

Eu não sei se vi coisa demais...mas ele escalou um lateral do meio de campo, depois tirou um volante e colocou um atacante e recuou esse lateral para jogar de 1º volante, pois o maldonado estava dando combate lá em cima... um meia entrou para cobrir o leo moura...

Luxa, para com isssssssssso...

Valente Filho disse...

Eu, torcedor, fico vendo e revendo maneiras do Flamengo se comportar melhor, imaginem o Luxemburgo que é o técnico? Mas que não está dando certo isso é visível.
Como é visível o problema cronico da criação do time. Nosso problema desde 2001 é o meio campo. Depois disso nunca tivemos uma criação confiável. O título de 2009 foi criado no abafa e na força de Adriano e Pet, mas jogadas trabalhadas (a não ser os contra-ataques) não existiam. A torcida fez a diferença. Talvez seja muito exigente, ou não.
Zagallo foi o ultimo técnico a dar padrão ofensivo ao meio campo, e mesmo com Gamarra e Juan a defesa era frágil (sistema). Vamos falar de agora:
1-Se Thiago Neves continuar correndo 10 km por jogo desordenadamente não vai adiantar correm 10 cm. Ele deve ser coisa que nunca foi de fato no Fluminense o ORGANIZADOR.
2- Ronaldinho deve ser atacante, porém tem que jogar simples, sim! No futebol menos é mais. Com o talento que tem, ser objetivo e tocar de primeira dará velocidade as jogadas de ataque.
3- R10 pode jogar como quarto homem se os dois cabeças de área não saírem e os dois alas/laterais apoiarem. TN comporia o meio.
4- quem tem que voltar para armar as jogadas é o TN não R10 ou Willians/Renato.
5- Precisamos de um atacante rápido (já pronto) e não de um centroavante, esse nós temos Diego Maurício.
Brasileiro: Lateral esquerdo, Zagueiro, Atacante de lado de campo e centro-avante.
Barca: Jean, Rodrigo Alvin, Deivid. Economia de uns 600 ou 700 mil reais por mês. Mas isso só depois do carioca e da Copa do Brasil, pois vamos com o que temos.
Torcida: Vestiu rubronegro tem que apoiar! Está mal-acostumada e fresca demais. Quando empurrou o time reagiu.

Bosco Ferreira disse...

Sempre fui contra a vinda do Luxa, no entanto acho que não temos dois zagueiros, não temos um lateral esquerdo não temos um atacante.

E a minha lua de mel com o R10 está no fim. Acorda Ronaldo.

Bosco Ferreira disse...

O nosso time é fraco, só quem joga é o LM, que já merece ser o capitão pela sua técnica, garra, e pela sua longa história no clube que começou como mascote entrando em campo abraçado ao Zico, e mais o Williams, Diego Maurício e Thiago Neves.

R10 e Felipe estão devendo.

Ronaldo Angelim deveria entrar até contratarmos dois zagueiros, depois devemos aposenta-lo.

Quero vêr quando acabar a lua de mel do R10 conosco, como será!

Não está jogando nada.

Luis disse...

O time está mal contratado, mal treinado, mal escalado ......

Flávio disse...

Às vezes penso que vivo em Marte. O Flamengo é o único invícto do Brasil, venceu a Taça Guanabara, se classificou nas duas fases da Copa do Brasil sem precisar do segundo jogo em nenhuma delas e vocês só reclamam!
Na décima rodada do Brasileiro todos vão ficar falando: por que não usou o Carioca para testar jogadores? Agora não é hora de fazer testes. Etc.
Então eu perguntou: quando é a melhor hora para saber se o Galhardo pode ser usado em jogos decisivos e mais difíceis? E o Felipe Alvim? E o Lorran?
Me respondam: é melhor testar agora ou contra o Santos na Vila?
Acabei de ler um comentário de uma pessoa defendendo o Kleberson e o Correa!!!!!

Vocês estão de sacanagem?

O único erro do Luxemburgo é insistir em deixar o Ronaldinho de costas para a zaga, mas até para isso há razões.

André Monnerat disse...

Flávio, tomara que você esteja certo. Pelo seu raciocínio, os testes estão todos sendo feitos agora e estaremos bem no Brasileiro, certo? Espero que seja isso aí mesmo.

Paulo Sales disse...

Caro Flávio,
Não defendi Correa ou Kleberson. Apenas critiquei a postura de Luxemburgo nesses casos. Todo mês, o Flamengo paga o salário de Correa para ele ficar correndo no campo. Se é assim, já que o seu contrato continua em vigor, por que não se optou por integrá-lo ao grupo e deixá-lo na reserva, no lugar de Fernando, que teria seu contrato encerrado no ano passado e foi renovado a pedido do técnico? Qual dos dois é melhor? Para mim tanto faz. Só acho errado pagarmos dois salários em vez de um por conta de um capricho. Quanto a Kleberson, penso que ele poderia ser útil ao time, jogando talvez no lugar de Renato, mas citei ele porque acho que seria uma boa moeda de troca, caso não tivesse se desvalorizado tanto com a dispensa. São escolhas como essa, e também por não enxergar qualquer evolução no time (exceto no jogo contra o Fortaleza), que contesto o trabalho de Luxemburgo.
Você pode estar satisfeito com o time, eu não.
abs

Luis disse...

Ganhar a Taça Guanabara (ou Carioca) não enche barriga de ninguém - os regionais são apenas uma brincadeira/esquenta mal organizada. Na Copa do Brasil ainda falta pegar gente grande. A partir de abril é que veremos se esse time para em pé. Por enquanto, não devemos ter ilusões, pois o time tá jogando mal mesmo.

Valente Filho disse...

Os regionais servem exatamente para isso: formar crises e derrubar técnicos.
Continuamos invictos, mas o time joga mal. Se jogasse bem e fosse organizado tudo bem. Não é o caso. Não acho que a culpa seja do Ronaldinho e nem do Thiago Neves. O problema é de posicionamento e entrosamento. Esperemos.

Bosco Ferreira disse...

Kleberson e Correia de novo em campo Paulo Sales?

Aposto que você quer irritar a nação.