Se a Taça das Bolinhas realmente importa, é hora de pressionar o Clube dos Treze

Não ligo muito para o tal troféu. Mas a cena montada pelo São Paulo hoje bem que merecia reação.


* * * * * * * * * *

A Taça das Bolinhas foi entregue ao São Paulo, a despeito de uma liminar conseguida de última hora pelo Flamengo na Justiça para evitar que isso acontecesse.

Juvenal Juvêncio, Rogério Ceni e Zetti protagonizaram a patética cena de aceitar e celebrar com orgulho uma taça que representa um feito que, eles sabem, não foi de seu clube. O próprio Juvenal já assinou documento, mais de uma vez, reconhecendo isso.

O Flamengo briga na Justiça para ter o que acha que lhe é de direito. Mas, como já escrevi: fora brigar nos tribunais e na CBF, o clube tinha que exigir um posicionamento da entidade que efetivamente organizou o campeonato de 1987: o Clube dos Treze. Entidade que tem, como seus filiados, tanto Sport quanto São Paulo.

Se o Clube dos Treze permite este circo que foi montado hoje, e o Flamengo realmente se importa tanto com a Taça, que saia do Clube dos Treze. O momento, aliás, é propício: no mês que vem devem ser resolvidos os novos contratos para transmissão do Campeonato Brasileiro em diversas mídias - TV aberta e fechada, pay-per-view, Internet e celular - e o jogo muda, e muito, se o Flamengo não estiver no pacote.

A Taça em si não me importa muito. É um troféu que representaria a primeira conquista de cinco títulos brasileiros por um clube; mas hoje não só Flamengo e São Paulo já têm seis, como a CBF ainda avacalhou a conta toda distribuindo títulos retroativos por aí. O significado e a importância da tal taça hoje, portanto, é bem pouco palpável. E sua presença ou não na sala de troféus da Gávea não muda nada no fato de que o Flamengo conquistou em campo o título de 1987, embora até seja válido correr atrás de seu reconhecimento oficial (por mais que eu mesmo não ligue muito pra reconhecimento da CBF não).

Mas realmente é dose aguentar a cara-de-pau dos dirigentes do São Paulo, nessa cena de hoje e na ridícula carta aberta publicada no site oficial do clube, e ainda saber que posam de aliados do Flamengo nos bastidores.

9 comentários:

rpm disse...

Esse Juvenal é um verdadeiro canalha!

Juan disse...

A Patricia Amorim é vice-presidente do Clube dos 13, não?

Eduardo H. Costa disse...

Assino em baixo.

Essas palhaçadas da CBF mostra bem quem ela é e como atua.

Amadores sedentos por poder e fortuna.

T H I A G O disse...

Concordo plenamente!! Se o clube dos treze não se posicionar o não der uma punição justa ao São Paulo por isso, acho q o Flamengo deveria mesmo se afastar, aí quero ver como fica esse pacote sem o maior do mundo!

Eduardo R. V. disse...

Então vamos.
Flamengo fora do Clube dos Treze.

Valente Filho disse...

Flamengo Fora do Clube dos 13 np Facebook!

Começarei agora!

Gabriel Folha disse...

A essa altura do campeonato acho que realmente ficar esperando decisão de CBF, decisão em justiça, não cabe mais.

Se criarmos com força um movimento de Flamengo Fora Dos 13 sim pode ser mais do que interessante, por ser um marco pra voltar a ter força quem tem que ter força!

To dentro hein!!!!

Bosco Ferreira disse...

Não acho que a culpa seja do Juvenal, ele apenas está jogando muito bem o jogo para ser o ditador eterno no SPFW com o regulamento da reeleição na mão.

O Flamengo é que nunca soube jogar esse jogo nos bastidores, desde quando venceu dentro das quatro linhas com muito brilhantismo esse campeonato Br.

Nossos dirigentes sempre quebram a bola, ficam irreconhecíveis, quando o assunto é lutar pelos nossos direitos líquidos e certos.

Até parecem com os gambás trocando as pernas quando disputam algum torneio internacional.

Êles são sempre atabalhoados quando o tema é o reconhecimento de um fato histórico de grande relevância para o futebol Br, conquistado pelo CRF, como foi aquele campeonato Br.

Pelo que ví até agora, Não espero que a atual diretoria possa saber fazer algo firme para acabar com essa farsa, esse desrespeito com que a CBF e o clube dos 13 principalmente, sempre teviram com relação a esse fato histórico insofismavel que foi a conquista do título de 1987 pelo Fla.

A torcida por uma questão de honra, de não aceitar que o Fla seja tripudiado, podia precionar a diretoria a tomar um rumo nesse caso e ir até o reconhecimeto por ser de fato e de direito.

lussiannosousa disse...

Seria excelente mesmo o clube tomar dianteira nisso: sair do clube dos 13. Mas não vejo isso, nem de longe.