Flamengo vai bancando os times pequenos do Carioca*

Rendas dos jogos contra o Flamengo garantirão boa parte da folha de pagamento de alguns clubes do campeonato


* * * * * * * * * *

Como era óbvio, o Flamengo x Nova Iguaçu de quarta-feira teve a maior renda do Estadual deste ano até agora: foram quase R$920 mil. Descontando taxas, penhoras etc. etc., sobraram para o Flamengo pouco mais de R$250 mil. Se somarmos a esta quantia os R$900 mil do patrocínio da Visa e os números divulgados por aí sobre o contrato de Ronaldinho com o Flamengo estiverem corretos, apenas na noite de ontem o clube garantiu dinheiro suficiente para uns quatro ou cinco meses de salário de seu maior astro. Nada mal, certo?

Mas a conta fica melhor ainda para os adversários do Flamengo. O Nova Iguaçu faturou ontem quase o mesmo que o Flamengo do total da renda no Engenhão. Sem nenhuma penhora comendo parte de sua receita, o time da Baixada arrecadou R$228.514,46. Como divulgou-se por aí que a folha de pagamentos com o time profissional não passa de R$60 mil por mês, conclui-se que apenas a renda de ontem bancou todos os salários do Nova Iguaçu ao longo do campeonato. O que vier agora é lucro.

Não sei se teremos outros jogos com lotação esgotada no Engenhão contra times pequenos neste campeonato. Mas os ingressos para o próximo jogo, contra o Boavista, em Macaé, já foram todos vendidos - como havia acontecido também na última partida por lá, contra o Americano. Naquele jogo, o time de Campos levou pra casa R$44 mil; como a renda deverá ser quase a mesma, deve ser isso que entrará na conta do Boavista. Provavelmente, terão garantido com o jogo quase um mês de salário do time inteiro. Os dirigentes de todos os outros adversários do Flamengo devem estar esfregando as mãos e torcendo para que a fase rubro-negra continue a melhor possível até chegar a sua vez de encher os bolsos.
Este é o Flamengo, trem-pagador deste campeonato.


* * * * * * * * * *

Com as penhoras, o Flamengo deixou de ganhar ontem R$85.692,92 - quase 25% da cota a que teria direito da renda. Mais ou menos a mesma percentagem de penhoras que teve sobre a renda do jogo contra o Americano, em Macaé, quando deixou de receber cerca de R$16,5 mil.


* * * * * * * * * *

Luxemburgo andou reclamando bastante do Engenhão após o jogo de quarta. Não apenas do gramado, mas também da localização, do transporte, enfim, de tudo. Acredita que o Flamengo "será sempre visitante" no estádio, acha que o clube terá dificuldade para ter outros jogos lotados por lá e reclama que deveriam ter se preparado melhor para a ausência do Maracanã.

É claro que o Flamengo deveria ter se preparado melhor para a situação - e não foi por falta de aviso. Mas chorar sobre o leite derramado agora não adianta e o discurso de Luxemburgo não ajuda muito a atrair torcedores para o Engenhão. Pensar em Macaé ou Volta Redonda como casa para o time ao longo da temporada não é razoável; o estádio do Botafogo é hoje a melhor opção e o Flamengo não vai conseguir levantar outra melhor de uma hora pra outra agora. Se o treinador tem restrições ao estádio - e quase todo mudno tem -, que procure a diretoria e ajude a pensar em uma escolha melhor para mandar os jogos do Flamengo. Não vai ser fácil.


* Texto da coluna semanal no FlamengoNet

6 comentários:

Juan disse...

Absurdo é ele dizer que o estádio é 'longe'. Para quem mora na Zona Norte ou na Zona Oeste, não é :)

E a torcida do Flamengo é maioria nessas regiões, mais até do que na Zona Sul.

Tati disse...

A torcida do Flamengo é enorme em qualquer lugar, não tem essa de Zona Norte ou Zona Sul. O Maraca também é localizado na Zona Norte e a galera nunca teve problemas pra ir.

A questão do Engenhão é que ele é extremamente mal localizado. As ruas são estreitas demais, o trânsito fica impraticável (a Suburbana já costuma engarrafar por causa do Shopping), o estacionamento é ridículo, não são nem 2 mil vagas...Além de ser o estádio de um rival, ele não tem aquele clima de Maracanã.

Difícil imaginar esse estádio lotado regularmente.

Valente Filho disse...

Moro na Zona norte, mas também concordo com o Vanderlei. Penso que o Flamengo nunca vai se sentir em casa no Engenhão. Não sei se você conhece um blog muito interessante, que acompanho com novidades e "ideias" para o Flamengo o http://estadiosearenas.blogspot.com/ do Romulo Macedo, especialista. O CRF não consegue e não conseguirá explorar todo o potencial do "vazião". Seria muito melhor a construção de uma arena movel de construção rápida, como esta: http://estadiosearenas.blogspot.com/2010/10/solucao.html

Uma arena destas toda para o Flamengo com capacidade para 30.000 pessoas construida em três meses com vantagens para os patrocinadores até a reabertura do Maraca, utilizando o estádio do botafogo para clássicos e/ou jogos de grande apelo no brasileiro, é sim um modelo de negógios melhor para o clube da Gávea.

André Monnerat disse...

Valente, tem o link no post para um texto meu de 2009, se não me engano, em que eu falava que o Flamengo deveria partir para a construção de uma arena como esta, em conjunto com o Fluminense. Poderia ser na Gávea, na Ilha ou algum outro espaço qualquer.

Mas a questão é que não adianta agora o Luxemburgo vir a público falar disso - pode até levantar a questão internamente, mas não ficar reclamando nos microfones. A construção de um estádio assim pode até não demorar, mas viabilizar essa construção - encontrar o lugar, conseguir as licenças pra ele, conseguir o financiamento etc. - não é de um dia pro outro. Tiveram tempo pra ver antes, mas não viram e, se resolverem fazer algo assim agora, tão cedo não estará pronto.

O Engenhão é o que temos. Ficar falando mal dele na imprensa serve pra afastar mais ainda o torcedor de lá.

Juan disse...

O Rio de Janeiro não precisa de mais um estádio - ainda mais se o contribuinte tiver que colocar a mão no bolso - como está ocorrendo com mais uma reforma no Maracanã.

Flora disse...

Enfim, acho que se é pra fazer alguma coisa, tem que fazer logo. Porque nosso problema não acaba no ano que vem. E ninguém sabe quando vai acabar. Dependendo dos nossos políticos interesseiros só depois de 2016.

Eu gostei da idéia do Valente pra mim é óbvio que seria com dinheiro da iniciativa privada né? Acho que encontrar interessados não seria tão difícil assim.
É só lembrar da Arena Petrobrás.