Estadual 2011 - Taça Guanabara - 5a. rodada - Flamengo 1 x 0 Nova Iguaçu

Ninguém foi ao Engenhão ou ligou a TV para assistir a Flamengo x Nova Iguaçu -  e sim para ver a estreia de Ronaldinho. E como foi a estreia de Ronaldinho?


* * * * * * * * * *

Acho que não dava pra esperar muito mais que isso. Ronaldinho se mexeu bem, participou bastante do jogo, mostrou vontade - não só de correr, mas de tentar as jogadas mais decisivas. Aguentou a partida inteira (embora muito provavelmente só não tenha sido substituído porque o placar ficou no 0x0 até quase o final). E teve alguns bons momentos, como a linda tabela com Deivid no primeiro tempo que terminou num chute torto de Renato e dois ou três passes para chances claras de gol no segundo. Também saiu-se razoavelmente bem nas bolas paradas.

Mas ainda errou quase todas as enfiadas que tentou pelo meio dos zagueiros adversários. E, principalmente no primeiro tempo, quando saiu mais da esquerda para o meio, tentou muitas, o que deu em muitos lances perdidos. É questão de entrosamento com o time e de ritmo de jogo - esta é a esperança. Se a vontade dele permanecer igual pelos próximos jogos, dá pra acreditar que ainda vai melhorar muito. A questão maior em torno dele, por seu histórico, é justamente essa: a motivação vai durar? O começo, ao menos, foi bom.


* * * * * * * * * *


Falando de Flamengo x Nova Iguaçu: o time da Baixada começou jogando até melhor. A partir da metade do primeiro tempo, o Flamengo passou a ter certo domínio e, na metade final da segunda etapa, realmente pressionou e criou chances de gol, na única fase do jogo em que foi claramente superior ao seu adversário. Mas, em toda a partida, não criou nenhuma jogada tão perigosa quanto um contra-ataque que sofreu ainda no primeiro tempo, em que três atacantes do Nova Iguaçu partiram pra cima de um único zagueiro e um deles acabou chutando pra fora, de maneira inacreditável, quase dentro da pequena área.

É o grande problema destes times pequenos do Rio: eles até parecem jogar bem em muitos momentos, mas têm uma falta de jeito incrível para fazer gols. Não por acaso, o único que realmente conseguia jogar de igual pra igual com os grandes - o Volta Redonda de 2005/2006 - contava com um centro-avante de verdade em fase inspirada.


* * * * * * * * * *


Ronaldinho é a estrela maior da companhia, mas não é o único responsável por criar as jogadas de ataque. E ontem seus companheiros de tarefa funcionaram pouco.

Thiago Neves foi apagadíssimo no primeiro tempo. No segundo, caiu mais pelo meio e participou mais do jogo, mas sem criar muito. Acabou conseguindo a jogada do gol em uma rara aparição pela esquerda. Já Vander - que, não adianta, não é meia! - mal pegou na bola.

A verdade é que a dinâmica de jogo do Flamengo facilita a marcação do adversário. A saída de bola é muito, muito lenta, o que faz com que enfrente sempre a defesa já bem colocada; e, quando a bola chega à intermediária adversária, os vários jogadores que jogam abertos tiveram sempre a tendência de partir em diagonal para o meio. Em outros jogos, Vander criou boas jogadas de linha de fundo, mas jogando centralizado ontem, não voltou a fazê-lo. A exceção apareceu mais na parte final do jogo, melhor momento do Flamengo na partida, com Léo Moura pela direita.

Com as jogadas sendo centralizadas, aparecem as várias enfiadas improváveis pelo meio de muitos zagueiros adversários - como as tantas que Ronaldinho errou no primeiro tempo. E muitos cruzamentos da intermediária, que também raramente dão em lances de real perigo.


* * * * * * * * * *

O meio-campo neste 4-2-3-1, para funcionar bem, tem uma dependência grande do meia que jogará centralizado - como Douglas jogava no Corinthians 2009, como Özil e Snejder jogavam em suas seleções na Copa 2010. Vander não é jogador para o papel. No segundo tempo, Thiago Neves tentou fazê-lo um pouco mais, trocando de posição, mas também não foi ainda o que o time precisa.

Hoje, parece que o elenco tem muita gente para joar como meias abertos: Ronaldinho, Thiago Neves, Vander, Marquinhos, Fierro... Mas, para ser o meia-armador central, já não há opções.

Bottinelli entrou ontem e se colocou como este meia que o Flamengo precisa, movimentando-se bem e fazendo a bola passar por seus pés. Mas, como no amistoso contra o América-MG, errou quase todos os passes mais verticais. Se ele se acertar, pode ajudar muito o time a funcionar. Mas se não acontecer, ou quando ele não puder jogar, não sei bem quem poderia se encaixar nesta posição.


* * * * * * * * * *

Até vejo alguma evolução nas atuações de Deivid. Vem conseguindo dar mais sequência às jogadas que chegam aos seus pés e até feito golzinhos de vez em quando. Ontem, deu um bom chute de fora da área e participou daquela boa tabela com Ronaldinho. Mas ainda está lento, se mexendo pouco, facilitando muito a marcação do adversário. Saiu sob vaias.

Entrou em seu lugar um cara que, há pouco tempo, não era nem titular direito do Grêmio Barueri. De repente, sua vida se transforma: ele está no Flamengo, e como companheiro de Ronaldinho! Colocado nesta inusitada situação, ele entendeu a chance que está tendo e faz o seu papel: corre que nem um louco e, quando faz gol, comemora também como um louco, como se não houvesse amanhã. Parece que faz isso até em treino. E, claro, cai com isso nas graças da torcida. Seu gol ontem foi bastante importante; menos pelo resultado em si no campeonato, que não mudaria muito, mas bastante pelo psicológico. Um 0x0 com o Nova Iguaçu na estreia de Ronaldinho pegaria malzão e mudaria bastante o tom dos comentários de hoje.

Hoje, Wanderley - que teve muito mérito no gol, realmente ligado no que estava acontecendo, como todo centro-avante precisa ser dentro da área - até parece mesmo a melhor opção para o ataque do Flamengo no momento. Como, a esta altura do ano passado, Vinícius Pacheco passava a mesma impressão no meio-campo. O que eu não sei é se, daqui a uns quatro meses, Wanderley vai continuar parecendo suficiente. Não é o que o seu histórico na carreira indica - assim como o de Vinícius Pacheco no ano passado. Vamos ver.




2/2/2011 - 22h - Flamengo 1 x 0 Nova Iguaçu
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$1.081.600.00/ 37.042 pagantes / 42.108 presentes

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Cartão Amarelo: Alex Moraes, Diogo, Welinton e Maldonado.

Flamengo: Felipe, Léo Moura, Welinton, David, Renato; Maldonado (Egídio 42'/2ºT), Willians, Vander (Botinelli 14'/2ºT), Thiago Neves e Ronaldinho; Deivid (Wanderley 14'/2ºT). Téc: Vanderlei Luxemburgo.

Nova Iguaçu: Diogo, Paulo Henrique, Leonardo, Alex Moraes, Cortês; Amaral, Dieguinho, Mossoró (Luan 38'/2ºT), Marcos Vinícius; Uallace e Maycon. TÉC: Josué Teixeira.

10 comentários:

Marcos Monnerat disse...

Vinícius Pacheco começou o ano metendo dois gols e classificando o Grêmio para a fase de grupos. Será que foi melhor pra eles levar o VPacheco e deixar o Ronaldinho pra gente?!

...

NOT!!!

Gabriel Folha disse...

Da pra ter esperança pelo menos, há tempos o Flamengo não tem tantas opções aceitáveis no meio ofensivo.

É questão de cada um acertar sua faixa de campo, estabelecer as trocas, criar entrosamento.

Vander não me engana, é mais um desses corredores que ciscam muito e produzem nada, pelo menos no meio.

Deivid não tem a menor condição de jogar futebol profissional, pelo menos no Brasil, já pode jogar ao lado de Jamelli no showbol.

O outro louco pelo menos está sempre ligado, gosta de fazer gol, mérito dele. Se sabe jogar futebol ainda nem deu pra saber.

Cada vez sou mais fã do Léo Moura.

Ah, só pra registrar, Felipe tb não me engana, temos um novo Bruno.

Mateus Barcelos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mateus Barcelos disse...

Seus textos são excelentes, André. Porém, sempre vejo tons pessimistas. Realistas, mas pessimistas. Acho que deveríamos ser mais otimistas com o Mengão.

Flora disse...

Realmente, também tenho sentido um tom mais amargo nos seus posts.
Acho que no momento não da pra reclamar do inicio do ano. É o melhor em muito tempo.

Tiago Cordeiro disse...

Eu ainda acho que o Camacho seria uma OPÇÃO pra essa posição de meia centralizado. O cara foi emprestado pro Bahia, me deixando dúvidas se o Wanderley enxerga ele como aproveitável de qualquer forma.

A conferir.

Tiago Cordeiro disse...

Ah e não tenho achado os posts amargos. Até pq em relação a alguns problemas, o Luxa não deixa claro que vê como problema.

Se bem que a lateral-esquerda ele já vem indicando isso...

Marcos André Lessa disse...

Nem Deivid, nem Wanderley. O titular do ataque é Diego Maurício.

E tb não acho os posts amargos não. De oba-oba empolgadinho a mídia esportiva está cheia.

André Monnerat disse...

Estou achando divertida essa discussão. Estou amargo ou não? :)

Tiago Cordeiro disse...

Caras, eu fico olhando Renato como titular absoluto, o Luxa com plenos poderes e o time dando umas declarações sobre ser campeão invicto...

Sério mesmo, não tô pessimista, mas bem longe de estar otimista. Acho os posts do Monnerat bem realistas. A galera tá empolgadaça - e torcedor tem mais que se empolgar mesmo - mas eu tenho muito medo que quando a situação aperte algumas circunstâncias ponham tudo a perder.