Depois do Vasco, Fluminense também se livra da BWA

Tricolores anunciaram hoje novo esquema de venda de ingressos em pacote. No Rio, só o Flamengo vai seguir com os serviços da BWA


* * * * * * * * * * * *

Escrevi no sábado um texto que pergunta se o sistema de venda de ingressos lançado pela BWA para os jogos do Flamengo no final do ano passado continuaria valendo este ano - por enquanto, ao que parece, não. Enquanto isso, o Fluminense - depois de todo o absurdo que aconteceu na venda dos ingressos para o último jogo do Brasileiro do ano passado - tomou a decisão de partir para outra: estão lançando a venda de pacotes de ingressos para o Estadual e para a Libertadores com outra empresa.

Segundo O Globo, o novo fornecedor tricolor seria o mesmo que já presta serviço para o Botafogo - no caso, a Ingresso Mais, que realmente já conseguia uma distribuição dos ingressos por uma quantidade de pontos muito maior do que a BWA com os jogos de Flamengo e Fluminense. Mas, no caso dos novos pacotes do programa Guerreiro Tricolor, a venda se concentrará na Internet e por telefone, podendo ser parcelada no cartão de crédito em até 5 vezes.

Os preços dos pacotes incluindo apenas os jogos da primeira fase da Libertadores estão salgados: R$240,00, ou R$80,00 por jogo. A conta fica um pouco melhor no pacote que inclui também os jogos do Carioca, sem contar os clássicos: o preço por ingresso cai para algo entre R$24,00 e R$35,00, dependendo do setor do estádio. Mas o grande atrativo mesmo de entrar no programa agora deve ser a prioridade que será dada para conseguir lugar nos jogos mais importantes que o Fluminense pode enfrentar - clássicos, semifinais e finais do Estadual e o mata-mata da Libertadores. Depois do trauma de 2010, a vantagem de garantir seu lugar antes dos outros pela Internet, sem qualquer problema, é bastante atraente. Fico curioso para saber quantos destes pacotes serão vendidos.

E fico curioso também pelo preço dos ingressos avulsos para a Libertadores, fora do pacote. Afinal, não faz sentido que sejam mais baratos que os do programa, que já estão bastante altos.


* * * * * * * * * * * *



Uma outra novidade anunciada é a mudança de relação com as torcidas organizadas. Até hoje, os clubes mantém uma relação pouco transparente com estas organizadas; ninguém sabe bem como elas conseguem ingressos, quantos, com quem, em troca de quê. Agora, a intenção nas Laranjeiras é mudar isso.

As organizadas não vão entrar no esquema normal de compra dos demais torcedores. Uma cota de ingressos está separada para elas - pelo que deu pra entender, gratuitamente; mas, para continuarem tendo direito a ela, terão que cumprir metas de presença (e, imagino, de bom comportamento) que serão avaliadas periodicamente. Seus ingressos ainda devem ser personalizados e numerados, para dificultar que caiam na mão de cambistas. Não sou lá muito a favor de ingressos gratuitos para torcidas organizadas não, mesmo com este controle e avaliação da ação delas; mas, de qualquer forma, acho que a institucionalização e a transparência na relação entre clube e organizadas é um grande avanço, que deveria ser seguido pelos outros clubes.


* * * * * * * * * * * *

Há ainda a questão das meias-entradas.

No caso do Fluminense, não haverá meia-entrada nestes novos pacotes e o benefício agora se limitará aos ingressos avulsos que sobrarem, depois dos pacotes vendidos. Ou seja: se acontecer de toda a lotação do estádio ser ocupada por quem quis comprar estes ingressos antecipados, ninguém poderá pagar meia com sua carteira de estudante. Há ainda a promessa de intensificar a fiscalização, com a cobrança do documento de estudante não só na compra do ingresso, mas também na entrada do estádio.

De verdade, eu acho essa lei de meia-entrada - não só em jogos de futebol, aliás -, do jeito que é feita, uma grande demagogia que acaba prejudicando aqueles que não querem arrumar um esquema qualquer para escapar de pagar o ingresso inteiro.


* * * * * * * * * * * *


Segundo a diretoria do Fluminense, este novo Guerreiro Tricolor foi apenas um esquema imaginado rapidamente para já livrar os torcedores das filas absurdas e atrapalhar a ação dos cambistas. Porém, em seis meses deve ser lançado o programa definitivo de sócio-torcedor do clube, uma grande bandeira de campanha de Peter Siemsen.


* * * * * * * * * * * *


Pra quem não leu: no texto de sábado sobre a venda de ingressos do Flamengo, eu ainda citei que o Vasco já rompeu também com a BWA para assinar com a Outplan - a empresa que administrava o extinto Espaço Visa do Engenhão. Agora, será possível comprar ingressos de jogos em São Januário pela Internet, usando o cartão de crédito no pagamento, e o próprio cartão deverá ser passado nas catracas do estádio para entrar.

Com isso, no Rio de Janeiro, apenas o Flamengo continuará usando o serviço de venda de ingressos da BWA.

Atualizando: por dica do André Amaral nos comentários deste texto, li agora a nota do Radar Online, mostrando que a rescisão de contrato do Fluminense com a BWA não é tão simples assim: a empresa cobra uma multa de R$5 milhões caso o compromisso, que iria até 2012, seja realmente rompido.

3 comentários:

André Amaral disse...

André

Muito bom o Peter já colocando seus planos de governo em prática. E ainda toma uma atitude corajosa ao romper com a BWA.

Se não me engano, o nosso contrato vai até 2013.

Mas olha a notícia do Radar da Veja:

A BWA quer cinco milhões de reais para rescindir o acordo que tinha com o clube até 2012.

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/futebol/multa-de-cinco-milhoes-para-o-fluminense/

Flora disse...

Pois é André, cada um com o seu problema. Infelizmente pro Flamengo não é tão simples. Pra nós o problema é a nossa dívida com a BWA.
Infelizmente esse direitoria não pode fazer nada a respeito disso. A não ser que nos individemos mais ainda pra poder romper esse contrato e pagar essa divida.

Eu sinceramente acho suspeito. Onde o Fluminense vai conseguir 5 milhoes de uma hora pra outra? Muito estranho.

Flora disse...

Agora, sobre aquele esquema de comprar ingresso na loteria e tal que vc falou que parece que não vai acontecer.
Eu acho que isso tem a ver com esse programa Fidelidade que vai ser lançado.
Lembro até que ano passado vc postou que o flamengo tinha um projeto que iria lançar que rivalizava com esse cartão que a BWA lançou. Será que não é isso?
Acabaram com o cartão pra não rivalizar com o programa fidelidade do Fla?