Pensamento em 2011

Domingo foi meu aniversário e sábado dediquei-me mais às comemorações pelo dia, graças a Deus muito bem acompanhado, do que a qualquer outra coisa. Por isso, só fui acompanhando a evolução do placar de Flamengo x Internacional pelos recados que a galera ia recebendo de quem estava realmente assistindo ao jogo. Portanto, não esperem qualquer análise do jogo por aqui.


No duro, como não acredito em arrancada rumo à Libertadores a essa altura do campeonato, nem acredito em risco de rebaixamento, não tenho mais grandes expectativas quanto aos jogos do Flamengo ainda neste ano. E acredito que mesmo lá dentro da Gávea – inclusive o próprio Luxemburgo – já devem estar trabalhando muito com a cabeça no ano que vem.

Tomara que o treinador consiga, portanto, ir se encontrando neste momento com o elenco atual, descobrindo o que ele tem de melhor e qual a melhor maneira de utilizar os bons valores que já estão lá. E que, pra 2011, saiba trabalhar com a diretoria para que o novo time seja montado com os reforços necessários, dentro de uma realidade razoável, sem a enorme avalanche de reforços discutíveis que foi comum em seus últimos clubes.

E que se some a isso um esforço da diretoria para dar a tão falada estrutura e manter os salários em dia, como se mantiveram este ano. E para isso, será importante o trabalho do marketing do clube, em especial depois da notícia de que a Batavo não considera renovar o contrato de patrocínio.

(Um parêntese: há alguns dias, correu a notícia de que a diretoria estava correndo atrás de um empréstimo para poder pagar seus compromissos deste ano, dando como garantia cotas futuras de TV ou coisa assim. Alguns reagiram com certa “indignação”. Meus caros, não há mágica; com a dívida de curto prazo que o Flamengo tinha no início do ano, que estava clara pra todo mundo no balanço do clube, seria mesmo impossível manter salários e impostos em dia sem pegar novos empréstimos, ainda mais se quiserem manter um time minimamente competitivo como todo mundo exige. Por melhor que se trabalhe – e nem sei dizer se estão indo bem ou não nesta área -, isso não vai acabar de uma hora pra outra.)

A verdade é que o trabalho do departamento de marketing do Flamengo este ano foi uma grande decepção em resultados práticos – a não ser justamente na captação de patrocínios. O futebol hoje arrecada bem em relação ao mercado e ainda conseguiu-se fechar acordos que ajudam também o basquete e a ginástica olímpica (mas, até onde eu sei, a menina dos olhos de Patrícia Amorim – a natação – ainda não conseguiu atrair nada de relevante).

Agora, o desafio é atrair alguém que pague no mínimo o que a Batavo pagava – fala-se em aumentar o valor, inclusive -, mas sem ter uma Libertadores pela frente, sem um jogador-chamariz como Adriano e até mesmo sem Zico.

Pra conseguir chegar lá com mais facilidade, seria interessante que o clube aprendesse a vender ao mercado as possibilidades que o Flamengo tem para ativar seus patrocínios. Em seu pouco tempo com o clube, a Ale mostrou um pouco do que é possível fazer, com ações promocionais no estádio, blitz em seus pontos de venda, trabalho em redes sociais e outras idéias do gênero. A Batavo entrou falando em alguns milhões separados no contrato para ações assim, mas ninguém ouviu falar de nada acontecendo.

O Flamengo pode oferecer oportunidades de ações em seus jogos, a imagem de seus jogadores,o mailing de Cidadãos Rubro-Negros, oportunidades de sinergia com outros parceiros em promoções e muito mais a um possível patrocinador – e não ficar na exposição pura e simples da logomarca no uniforme. Se a Batavo tivesse feito com o clube alguma promoção que estimulasse a compra de seus produtos pelos torcedores e tivesse com isso resultados concretos em suas vendas, talvez hoje não estivesse abrindo mão do contrato sem pensar um pouquinho mais.

É claro que, para este tipo de coisa acontecer, isso depende em grande parte do próprio patrocinador. Mas o próprio clube precisa se organizar para identificar as oportunidades e mudar a maneira de se relacionar com seus parceiros. É uma grande fonte de receitas que nem o Flamengo, nem os outros clubes brasileiros souberam usar bem até hoje.

E atenção: já estamos numa fase em que as grandes empresas já estão fechando seus orçamentos para o ano que vem. É bom que a Batavo já tenha avisado logo que está pulando fora. Pode parecer que ainda há tempo, mas se quiser mesmo fechar um acordo realmente bom, a coisa precisa andar agora.


* * * * * * * * * * * * * *


E será que em algum momento vamos realmente ver algo acontecendo com o Cidadão Rubro-Negro? Muito foi falado em mudanças no projeto, para o clube finalmente ter um sócio-torcedor que funcione. Mas todas as datas de que falaram pra algo ser anunciado já passaram, e até agora...

5 comentários:

Flávio disse...

Falando em dívida...

A Patrícia Amorim numa entrevista recente disse já ter repassado à BWA (empresa que faz a venda de ingressos para o Flamengo) 5,1 milhões de uma dívida de 15 milhões.

Ou seja, nenhum centavo entrava no caixa do Flamengo até que a dívida fosse sanada.

Os 15 milhões foram adiantados pela BWA para pagar salários ano passado.

Sou de Brasília e fui com meu irmão e nossos filhos ao Rio ver o jogo final de 2009 contra o Grêmio. Ficamos na arquibancada do lado do metrô e era fácil notar que éramos mais de 100 mil no Maracanã.

Comprei nossos ingressos de uma forma fácil. Bastou um telefonema para um cambista, após a venda de ingressos ter encerrado, e a garantia dele de que estava indo buscar os ingressos.

Mas buscar onde?

Será que o Flamengo controla a entrada de pessoas no estádio?
Será que o Flamengo tem certeza da quantidade de ingressos vendidos?
Será que para uma dívida de 15 milhões, o Flamengo vai pagar 45 milhões?

André disse...

Flávio,

Sei que vão me criticar mas...ESTE É E SEMPRE SERÁ O FLAMENGO...

Cambistas, líder de organizada comandando o clube, falta de CT, jogadores bêbados...

Como diz o, agora Coronel Nascimento, "O SISTEMA É FODA!".

Contra o sistema não podemos lutar...

Flávio disse...

Mas, sabe André, eu acho que não será sempre assim. Tem um forte movimento na Blogosfera que podem alterar o rumo das coisas.
Eu tenho de me amarrar em algum futuro, não é possível.
Veja o que está acontecendo nas eleições presidenciais. Se não fosse a Blogosfera, nosso voto já estaria decidido pela Globo, Folha e Estadão.
Acredito que no futebol tem sido mais lento, mas a formação de massa crítica existe e certamente mudará as coisas.

André disse...

Olha cara...te digo uma coisa hoje, dia 19/10/2010: A DILMA será a presidente eleita.

Você acha que existe chance de outro resultado?

Tem que ver como toda a máquina do estado brasileiro está partidarizado e trabalhando para a perpetuação do poder dos que lá já estão.

Por exemplo: Faça uma busca das últimas aparições do presidente molusco e sua cria e veja em quantas delas estão em realizações da maior empresa estatal brasileira.

Isto é, obviamente, uso desta empresa para fins eleitorais. O que deveria ser realização técnica dos engenheiros e outros profissionais (estes sim merecem ser saudados) que lá trabalham acaba se tornando mérito único do 9 dedos e sua cupincha.

O pré-sal também não foi descoberta e mérito do atual governo. Já se sabia disto a décadas. Apenas se tornou viável agora com a redução dos estoques mundiais e elevação dos preços. Só não investiria nisto quem fosse louco.

Sinto em te informar: seu voto não vale para nada e esta eleição já esta decidida faz mais de 1 ano.

Graças a Deus eu não participei da "palhaçada eleitoral bi-anual" no 1o turno. Votar em deputados e senadores para que me roubem...pelo amor de deus.

No Flamengo é a mesma história...

Espero um dia queimar a minha língua.

"O SISTEMA É FODA".

Marcos André Lessa disse...

Taí a solução: André Monnerat para diretor de marketing do Flamengo!!! O que eu já vi de boas ideias neste blog não é de hoje.

E parabéns pelo aniversário!