Brasileiro 2010 - 31a. rodada - Vasco 1 x 1 Flamengo

Nas últimas semanas, venho lendo e ouvindo muito sobre a enorme evolução do Flamengo desde que Luxemburgo chegou. “Ter um técnico é outra coisa”, certo? Mas olha, sendo bem sincero: os resultados até podem ter melhorado, mas o futebol mesmo, sinceramente, não mudou grande coisa não.

No primeiro jogo, uma vitória com futebol lamentável sobre o fraquíssimo Atlético-GO. No segundo, assisti apenas ao segundo tempo muito ruim contra o Avaí. No terceiro, o resultado que deu a certeza a todos da revolução luxemburguiana: 3x0 no Inter. Não assisti, mas a opinião que li de gente em quem realmente confio é que o Flamengo fez um péssimo primeiro tempo, mas conseguiu dois gols em dois lances totalmente isolados e aí a partida se resolveu. E ontem...

Depois de ter dominado o primeiro tempo e saído na frente, o Vasco de PC Gusmão mostrou uma característica costumeira: assim como não sabe definir as partidas quando está jogando bem (o que até acontece com certa freqüência), não sabe jogar tendo a vantagem, recua e coloca tudo a perder. Basicamente por isso, o Flamengo teve a posse de bola desde a volta do intervalo – mas tocava lentamente, não mostrava qualquer jogada organizada e dependia quase que unicamente de arrancadas individuais de Diego Maurício pelas pontas.

No meio do segundo tempo, logo após duas substituições de Luxemburgo, o Vasco ficou com um a menos graças a uma entrada criminosa de seu zagueiro, que foi expulso. Aí virou mesmo ataque contra defesa, mas sem que o ataque conseguisse levar muita vantagem. Ainda voltamos a ver Willians jogando de quase-ponta-direita, depois que Luxemburgo o fez trocar de posição com Léo Moura, e ele até criou um dos poucos lances de perigo do time. O gol acabou surgindo em um chuveirinho e o empate até foi justo como castigo ao Vasco, que não quis jogar de igual pra igual o segundo tempo. Mas o futebol do Flamengo não foi muito diferente do que se viu em boa parte das campanhas sob comando de Rogério e Silas.

E Luxemburgo inclusive insiste em algo que gerava muita reclamação com seus antecessores: pra armar o time ele insiste em Renato, ou Pet, ou Renato, ou Pet – com alguma assistência de Kléberson. Pet ontem entrou e produziu o mesmo que vem produzindo desde o início do ano, Renato continuou burocrático e Kléberson mostrou de novo que não é armador e vai continuar se queimando com a torcida enquanto insistirem com ele nesta função. Cobrava-se alguma criatividade de Silas para encontrar uma solução diferente (Galhardo? Diogo no meio...?), mas Luxemburgo – que tem a vantagem de contar com jogadores em melhores condições físicas e está tendo um tempo pra treinar que antes não existia - está escapando disso porque a bola anda tendo boa vontade para entrar nestas últimas semanas. Os grandes acertos do técnico desde que chegou foram a efetivação como titulares de Diego Maurício e Wellington, garotos que realmente deram alguma melhora ao time e vêm mesmo bem melhor do que aqueles que vinham jogando só com o nome em seus lugares. Mas não é esse milagre todo que alguns andam enxergando.

Mas enfim: não é nada com que se preocupar muito agora, certo? Nada de importante vai acontecer até o fim do ano – ao Flamengo, resta mesmo apenas esperar o campeonato acabar e pensar no ano que vem.



24/10/2010 - 18h30 - Vasco 1 x 1 FlamengoEngenhão (Rio de Janeiro, RJ)
Público e renda: 21.519 (pagantes), R$ 575.820,00

Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Luiz A. Muniz de Oliveira (RJ)
Cartões amarelos: Felipe (20'/2ºT) e Marquinhos (37'/2ºT, Eder Luis (37'/2ºT).
Cartões vermelhos: Dedé (19'/2º).

Gols: Vasco: Cesinha (27'/1ºT), ; Flamengo: Renato (35'/2ºT)

Vasco: Fernando Prass, Fagner, Cesinha, Dedé e Diogo; Rafael Carioca, Rômulo, Felipe (Felipe Bastos - 28'/2ºT); Zé Roberto (Jadson Vieira 23'/2ºT), Eder Luis e Nunes(Renato Augusto 48'/2ºT). Técnico: Paulo César Gusmão

Flamengo: Marcelo Lomba; Léo Moura, Welinton, David e Juan (Marquinhos - 16'/2ºT); Maldonado, Willians, Kleberson (Petkovic - intervalo), Renato; Diego Maurício e Deivid (Diogo - 16'/2ºT).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

9 comentários:

Tiago Cordeiro disse...

Acho que houve outras melhoras além dessas duas substituições. Luxa encostou Jean como última opção da zaga (Angelim é o reserva mais imediato) e também tirou de Willians as obrigações ofensivas. Parece disposto a torná-lo um volante como era Amaral com ele, mais recuado e ajudando a atrapalhar os contra-ataques com sua velocidade.

Outro mérito tem sido substituir Juan em vários jogos, coisa que era raro de acontecer. E nossa senhora, como o Juan está mal. O Éverton Silva improvisado talvez fosse uma boa opção porque pro marrentinho não tá dando mais...

O que realmente o Luxa tem repetido de seus antecessores é essa formação no meio campo. É um setor carente, não há muitas opções, mas numa boa, tem mais gente pra usar do que todos os técnicos nesse ano tentaram. É só a gente lembrar como Ramon, por exemplo, foi muito subutilizado até pedir pra sair.

Nessa altura do campeonato acho injustificável Kleberson, Abreu e Pet estarem JUNTOS à frente de possíveis novidades que poderiam emplacar como Fierro, Marquinhos, Galhardo e até mesmo Diogo. O Marquinhos jogando na posição do Abreu já seria uma novidade interessante...

Paulo Sales disse...

Concordo com o Tiago. Vi algumas mudanças positivas, principalmente porque Luxemburgo em muitos momentos está fazendo o óbvio (o que Silas nunca fazia): colocar Diego Maurício, tirar Jean, recuar Williams etc. Falta muito, mas vi um bom Flamengo no segundo tempo contra o Inter, embora a gente saiba que o jogo ali já estava definido. de qualquer modo, poderíamos insistir mais com Fierro (por onde anda Michael?).

Tiago Cordeiro disse...

Acho que o Michael foi encostado, depois daquela de se recusar a jogar no sub-23. Com o Silas ele já havia sumido e o Luxa não tem demonstrado simpatia por ele não.

Pior que seria uma opção pra ser lateral-esquerdo, mas ele também não quer jogar ali.

André Monnerat disse...

O Willians realmente tá jogando de volante mesmo - mas o Silas chegou a usá-lo assim várias vezes também e ontem o Willians jogou boa parte do segundo tempo de ala direito.

O Jean ser barrado e não entrar mais é ótimo, concordo. Mas tá no pacote de ter colocado o Wellington pra jogar. Eu não teria barrado o Angelim, aliás.

Mas enfim: ele pode ter feito outros acertos menores. Já vimos Marquinhos e Fierro em campo, por exemplo, o que não acontecia antes. O que eu disse é que os maiores - que afinal, é o que realmente mudou no time titular e foi o mais significativo mesmo - foram o Diego Maurício e o Wellington. E que a maior parte do jogo do time não mudou grande coisa.

André Amaral disse...

A titularidade de Diego Maurício e Wellinton foram as mais visíveis, mas o Tiago lembrou bem, Luxemburgo entendeu qual a função do Willians e está com paciência curta com Juan.

E mérito também de Luxemburgo a evolução dos atacantes, Deivid e Val Baiano, mas o grande drama é o meio de campo mesmo.

Acho que temos bons jogadores com características de pontas, como o Diego Maurício, Fierro, Marquinhos, Galhardo, e porque não o Deivid e o Diogo, mas pro meio de campo ta complicado, a opção por jogar pelos lados do campo seria a mais viável.

Bosco Ferreira disse...

Acho que tudo gira em torno da falta de planejamento.

Até hoje esperamos pelos substitutos de Fábio Luciano, Renato Augusto, Íbson, Airton, Éverton, Juan, Adriano, Wagner Love e Joel Santana, esse aí, com um timeco cuja a criação é de um inconstante e preguiçoso Lúcio Flávio, ainda consegue fazer deliciosos omeletes.

Juan disse...

Na verdade, com a ascensão dos Atléticos, o Flamengo não pode dormir no ponto - o ano ainda pode reservar algumas emoções - bad emotions.-

Pablo Alcântara disse...

Eu trocaria o Juan pelo Angelim.

kleberson pelo Diogo.

Marquinhos e Fierro como opções pro meio de segundo tempo.

Eduardo disse...

Uma outra coisa são as bolas levantadas na nossa área. Não ganhamos nenhuma e sempre tem perigo.
De resto temos que nos livrar de certas figuras como Juan, Toró e Kléberson.

O time continua burpcrático e não estamos livres da degola.