Uma chance que não deve ser desperdiçada*

Pensando no próximo jogo do Flamengo pelo Campeonato Brasileiro, assisti ontem à vitória do Santos sobre o Avaí, por 2x1, na Vila Belmiro. E terminei a partida convencido de que a próxima rodada é uma grande oportunidade, se o Flamengo realmente quiser dar uma virada em sua campanha.


O Santos fez seu primeiro gol com um minuto de jogo e fez, ofensivamente, um bom primeiro tempo – principalmente na primeira metade. É um time leve, que toca a bola rápido e de primeira (a velocidade com que a bola corre na troca de passes que acaba no gol de Neymar é impressionante). Pelas chances criadas, poderia ter ido pro intervalo com um placar melhor do que o 1x0.

Porém, defensivamente mostrou-se sempre uma equipe frágil, que dá muito espaço no meio-campo e pelas laterais. No primeiro tempo, o Avaí não aproveitou muito isso pelo excesso de passes errados; mas no segundo, dominou totalmente o jogo e perdeu chances inacreditáveis. Sofreu o 2x0 quando jogava muito melhor e fazia o Santos passar um verdadeiro perrengue, mas ainda conseguiu descontar no final. Os catarinenses, que jogaram com desfalques importantes, mereciam no mínimo o empate.

Fora a marcação ruim, há um outro aspecto no time do Santos que serve para aumentar as chances rubro-negras no domingo: embora o time como um todo seja rápido e movimente-se bem quando tem a bola, basicamente todas as jogadas de perigo do time – inclusive os dois gols – saíram dos pés de Neymar. E Neymar, suspenso, não jogará no Maracanã. Antes, a dependência do atacante era menor; mas hoje o Santos já não tem mais Robinho, Ganso, André e Wesley. Keirrison foi um bom reforço, mas não foi bem nos poucos jogos que teve – inclusive o de ontem, no qual foi substituído.

Eis aí a oportunidade: encontrar fragilizado um time com fama de forte, que vem de uma boa série de vitórias. Não dá pra achar que o Flamengo pegará uma molezinha pela frente – não é por aí -, mas em outras circunstâncias, o jogo seria ainda mais difícil do que será. Neste momento, as chances de um bom resultado contra um adversário de respeito, que sirva pra dar moral ao novo técnico e aos jogadores e para animar a torcida, se tornam maiores.


* * * * * * * * * *


Some às condições em que virá o time do Santos o fator Maracanã. Trata-se da última chance do Flamengo usar o seu estádio a seu favor. Se não fizer agora, não o fará mais.

O fechamento do Maracanã vai acontecer num momento em que o Flamengo está desorganizado taticamente, mal fisicamente e tem a direção de um técnico que ainda está conhecendo o elenco mas terá pouco tempo para fazer suas observações e ajustes nos treinos, graças a uma grande sequência de jogos com poucos dias de intervalo. Já seria uma fase difícil se o time pudesse jogar em casa normalmente; indo pra Volta Redonda, como acontecerá ao menos na primeira oportunidade, vai ser pior ainda.

Entrar nesta fase do campeonato com uma moralzinha a mais, com mais tranqüilidade pra trabalhar e se acertar, pode fazer diferença.


* * * * * * * * * *


É claro que, para o Flamengo se dar bem no domingo, não adiantará nada qualquer defeito do Santos se o time não fizer o seu trabalho direito. Isso inclui a melhora na produção ofensiva, na qual a gente não sabe o tamanho do efeito que terá a estreia da dupla Diogo e Deivid; mas também o acerto na defesa.

Contra o Cruzeiro, a defesa do Flamengo mostrou-se muito mais aberta do que em jogos anteriores. E se o contraste de velocidade entre Cruzeiro e Flamengo assustou muita gente, a situação num jogo contra o Santos não vai ser melhor se Silas não conseguir mudanças que façam efeito.

Com Neymar ou sem Neymar, o Santos tem jogadores rápidos, que se mexem muito. Angelim vem jogando bem, também gosto de Correa como volante, mas nenhum dos dois tem como seu forte a velocidade. Fará ainda mais sentido que Willians jogue na posição em que se sai melhor, como volante, para evitar que os zagueiros fiquem tão expostos como ficaram na quarta e ajudar na cobertura quando necessário.

* Texto da coluna da semana no FlamengoNet

6 comentários:

Bosco Ferreira disse...

Muito dificil para um time com idade tão alta fazer o que você pede.

Bosco Ferreira disse...

Os salários do trio moleza: Renato Abreu, Kleberson, e Pet custam em torno de R$600mil reais;

Dariam para:
Metade do salario de um RG 10 ou:
Dois Sheicks ou
Um Adriano ou
Dois Íbsons ou
Dois Montillos ou
Um Riquelme.
Agora bota o V Pacheco, Val, Borja, Jean.

Dariam um RG 10 e um Íbson com um Airton de troco.

André disse...

Muito bem colocado Bosco Ferreira!!!

Aliás trocaria estes 4 pela simples contratação do Sheik.

Quantos gols ele já fez mesmo pelo Fluminense???

Esta contratação foi um VACILO GIGANTE da diretoria. Montillo também. Não existe a desculpa do dinheiro. Trouxeram jogadores que ganham salário igual ou maior como o Renato Abreu.

Podiam dispensar quem não rende que o recurso liberado no orçamento pagaria estas contratações.

A desculpa da idade para não investir (no caso do Sheik) também não é válida quando se contrata o Renato Abreu, mesma idade, mas MUITO menos condicionado.

Aliás nesta comparação cabe uma colocação: Ambos tem 30 anos ou mais, ambos estavam jogando no oriente médio mas é impressionante como o Emerson não teve dificuldade em entrar em forma e o Renato não consegue? Será porque um é mais profissional e não relaxou na Copa do Mundo? Só pode...

Realmente esta diretoria pode ser muito bem intencionada, pode ser 100% honesta, mas é 100% incompetente...não basta ser "bonzinho"...não basta...

The Dog disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
The Dog disse...

O Montillo custou 6 milhoes pro Cruzeiro.

Como se as negociaçoes se resumissem só a pagar salario do jogador.

E a ''desculpa'' pra não contratar o super Sheik que nao fez nada pelo flamengo e tem uma legião de viuvas nao foi a idade.

The Dog disse...

E o Renato nao entrar em forma é um problema de preparação fisica do Flamengo, varios jogadores do time estao abaixo fisicamente.