Joel no Botafogo e a arbitragem no Corinthians

Joel Santana sofre muito preconceito por aí, mas já faz tempo que eu dei meu braço a torcer: gostem ou não do seu estilo, o cara sabe trabalhar. E a campanha do Botafogo deste ano é mais uma prova disso. A diretoria do clube foi bem e montou um bom elenco, dentro de suas possibilidades; e Joel está sabendo usar o que tem, inclusive lidando com uma incrível sequência de desfalques - muitos e importantes.

Ontem, o Corinthians começou o jogo pressionando muito o Botafogo, não deixando o adversário passar da própria intermediária. Com três minutos, o 1x0 já parecia justo (e foi um golaço de Bruno César). Mas a partir daí, o Botafogo soube se impor, equilibrar e até dominar o jogo por um bom período, mesmo jogando na casa do adversário, contra o líder do campeonato. E Joel soube fazer o time mudar de estilo; sem Jóbson e Maicossuel, não dá pra manter a maneira de jogar baseada na velocidade que o time teve em seus melhores momentos. Voltou-se a apostar no jogo aéreo para Loco Abreu, mas com mais qualidade do que acontecia no Estadual, quando o time levantava bolas do meio do campo o tempo inteiro. O time consegue trabalhar melhor, manter a posse de bola e fazer os cruzamentos em melhores condições. A bola que Abreu testou para empatar o jogo veio da linha de fundo.

O Botafogo ainda foi melhor por boa parte do segundo tempo. Na segunda metade, o Corinthians cresceu e o Botafogo correu muito risco, ao marcar próximo demais de sua própria área. Ainda assim, a vitória teria sido alvinegra, não fosse a palhaçadinha de Caio no último lance do jogo, tentando encobrir o goleiro em vez de passar para Abreu definir o jogo com o gol vazio. E se não fosse, claro, o juiz.

* * * * * * * * * * * * *

Não dá pra falar deste jogo sem falar da arbitragem, que uma vez mais ajudou o Corinthians. Além do impedimento mal marcado que anulou o que seria o gol da virada botafoguense, houve outros dois erros feios do mesmo tipo no primeiro tempo. Em um deles, o jogador do Botafogo entrava na cara do goleiro e foi derrubado por trás na meia-lua pelo último defensor corinthiano; como o impedimento foi (mal) marcado, não foi dada a falta nem o cartão, que poderia ter sido vermelho.

Descontem o fator torcida, que pode ter feito a mão ficar mais pesada na análise; mas deem uma olhada no levantamento feito até a 24a rodada pelo tricolor Paulo Cezar Filho: seriam 14 pontos ganhos pelo Corinthians com a ajuda da arbitragem, sem contar o de ontem. Erros acontecem, claro. Mas ainda que estes pontos ganhos no apito fossem cortados pela metade, já fariam uma enorme diferença na classificação - o Corinthians estaria agora exatamente junto com o Botafogo.

4 comentários:

Murdock disse...

Bom, eu falo isso desde o início do campeonato, desde que soube que o presidente do Corinthians chefiaria a delegação brasileira para a Copa. Até torcedores corinthianos têm falado que está tudo armado pra eles levarem esse no ano do centenário.

PCFilho disse...

Obrigado pela citação ao meu blog, amigo.

E parabéns pelo bom trabalho aqui.

Abraços,
Paulo Cezar Filho
Jornalheiros

Flávio disse...

Acordei hoje com o Luxemburgo e vou dormir com o Silas mantido no cargo.
PORRA ZICO!!!
Não tenho nada contra a pessoa do Silas, mas o Luxemburgo é muito mais técnico.

rbmrenato disse...

Saiu agora a notícia que o Zico deixou a direção do Flamengo. E que o Silas continua no cargo.

Agora vejo a segundona mais perto. =/
E não creio que há tempo de reverter.