Brasileiro 2010 - 23a. rodada - Flamengo 3 x 3 Fluminense

Percebo o motivo para alguns estarem se animando com o Flamengo. Afinal, ao menos a bola começou a entrar, de um jeito ou de outro – é o terceiro jogo seguido em que se faz ao menos dois gols. E empate em clássico, ainda mais contra o líder do campeonato, nunca é mau resultado, certo? Mas, pelo que vi ontem, o time ainda não encontrou o caminho para render tudo o que pode.


No primeiro tempo, o Flamengo se aproveitou da escalação do Fluminense para ter o controle e tomar a iniciativa do jogo. O meio-campo tricolor tinha dois volantes – Diogo e Fernando Bob – e um único jogador responsável por toda a armação do time; bastou a Silas colar Willians em Conca e o Fluminense ficou sem alternativas de jogo, com os atacantes Rodriguinho e Washington mal tocando na bola em 45 minutos.

Porém, mesmo com este controle do jogo, o Flamengo criou uma única boa jogada com a bola rolando – e não foi nenhum dos gols, mas um lance pela esquerda que terminou num chute não muito perigoso de Kléberson. O primeiro gol saiu numa jogada de raça e insistência do mesmo Kléberson (que jogou bem ontem, principalmente no primeiro tempo, embora nem sempre tenha encontrado seu lugar no campo), e o segundo num escanteio – nada de jogadas organizadas. Enquanto isso, mesmo dominado, o Fluminense conseguiu dar alguns sustos simplesmente levantando bolas na área. Todos os cruzamentos ao longo do jogo foram um deus-nos-acuda na área rubro-negra, um negócio constrangedor que acabou gerando dois dos gols tricolores. E desta vez o bom goleiro Marcelo Lomba também contribuiu pro clima de insegurança.

No segundo tempo, Muricy colocou um jogador a mais em seu meio-campo. Assim, conseguiu pressionar mais a marcação no setor e o Flamengo, mesmo vencendo o jogo, sofreu seguidos contra-ataques graças às inúmeras bolas perdidas no meio, com um excesso de erros de passe até previsível pra quem escala uma dupla de volantes como Willians e Toró . Desde o primeiro tempo o time teve problemas na saída de bola com os dois e, no segundo, com o crescimento do Fluminense, a coisa ficou dramática. Somando a isso o já tradicional cansaço do time – visível em Deivid, que até fez um bom primeiro tempo, Diogo, Renato... –, a situação ficou complicada.

O empate tricolor parecia questão de tempo desde o início da etapa; por sorte, logo depois que aconteceu, Renato fez o 2x1 de falta, o que deu uma baqueada no Fluminense. Mesmo assim, o time não conseguiu segurar o resultado, graças a mais uma falha de marcação num escanteio. E se o time havia conseguido uma única jogada trabalhada no primeiro tempo, isso se repetiu no segundo, numa solitária tabela pelo meio entre Léo Moura e Renato – o gol foi de falta e a outra grande chance, desperdiçada por Deivid, saiu de uma cobrança rápida de falta na lateral esquerda que pegou a defesa adversária desprevenida.


* * * * * * * * * * * * *


Juan vem muito mal já há uns dois anos. Por isso, todo mundo quer ver um outro lateral esquerdo em seu lugar.

Mas não há a menor condição de alguém jogando o que jogou Rodrigo Alvim nestes dois últimos jogos entrar em campo pelo Flamengo. Ontem, especialmente no primeiro tempo, vimos uma cena típica de pelada se repetir: toda vez que o Flamengo tentava sair de seu campo através de seu pior jogador, o time do Fluminense corria em cima dele, na certeza de conseguir recuperar a bola – e o cara realmente se enrolava e perdia o lance em todas as vezes que tocava na bola. Algo triste de se ver.

Éverton Silva, que até já quebrou o galho improvisado na lateral esquerda algumas vezes, já deixou o elenco. E Jorbison não parece ter a menor condição física de ser jogador profissional. Sei que Michael já disse que não se sente bem jogando de lateral esquerdo; mas, hoje, eu tentaria um papo, lhe mostrando que é ali que ele tem alguma condição de buscar uma vaga no time. Pode ser uma opção de tentar algo diferente. Se não, infelizmente, tem que ser Juan mesmo.



19/9/2010 - 18h30 - Flamengo 3 x 3 Fluminense
Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Renda: 441.430
Público pagante:15.886
Público presente: 18.911

Árbitro: Guttemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Ricardo de Almeida (RJ)
Cartões amarelos: Willians, Jean (Flamengo); Mariano (Fluminense)

Gols: Leandro Euzébio 9'/1ºT (0-1), Deivid 22'/1ºT (1-1) e David 39'/1ºT, Rodriguinho 18'/2ºT (2-2), Renato 20'/2ºT (3-2), Rodriguinho 27'/2ºT (3-3)

Flamengo: Marcelo Lomba, Léo Moura, David (Jean, 23'/2ºT), Ronaldo Angelim e Rodrigo Alvim; Toró, Kleberson (Maldonado, 34'/2ºT), Willians e Renato; Diogo (Diego Maurício, 23'/2ºT) e Deivid. Técnico: Silas.

Fluminense: Rafael; Leandro Euzébio, Gum e André Luis (Marquinho, intervalo); Mariano, Diogo, Fernando Bob, Conca e Carlinhos; Rodriguinho e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

7 comentários:

=Beto= disse...

Rodrigo Alvim não existe...
Qq um joga melhor.

Tiago Cordeiro disse...

Engraçado que o Alvim tinha até mais condições de ser emprestado do que o Éverton Silva. A não ser que o salário seja muito diferente.

Eu acho que o Alvim é um lateral pra ficar recuado marcando. A escalação dele deveria tornar possível termos MENOS um volante no meio e não o mesmo número. Senão, dá nisso.

O Correa deve ser titular no próximo jogo e melhorar essa saída de bola. Mas ainda sinto falta de um meia que chame a responsabilidade, drible e puxe contra-ataques.

disse...

OFF TOPIC:

André, sei lá se você já sabia, mas lá vai: descobri de onde astão vindo os boatos atacando o Zico e o Fla... e é do filho do Delair.
O cara mandou 2 cartas com suposições pro palhaço do Milton Neves.
http://terceirotempo.ig.com.br/noticia/Dumbrosck_x_Zico-32066
e
http://blog.miltonneves.ig.com.br/2010/09/02/filho-de-ex-presidente-do-fla-diz-que-manda-chuva-do-clube-e-tricolor-das-laranjeiras/

Flávio disse...

A evolução do time é inegável. Também não critico o Silas por não ter relacionado o Galhardo. Alguém é capaz de garantir que se o Galhardo entrasse no jogo a coisa seria melhor?

Já são 7 gols em 3 jogos e isso faz toda a diferença. Antes desses três jogos, o Flamengo precisou de 15 rodadas, vou repetir, 15 jogos para fazer 7 gols.

A bola alta não é novidade nos times do Muricy. Ele foi campeão no SP com essa jogada.
Para melhorar a defesa, o Lomba deve ser treinado na saída do gol.

André Monnerat disse...

Flávio, eu critico o Silas por não deixar o Galhardo no banco por um motivo simples: não havia qualquer lateral no banco, direito ou esquerdo. Se acontecesse qualquer coisa com qualquer um dos laterais titulares, o time ia ficar numa situação bem complicada.

Quanto às bolas altas: o Muricy tem méritos, mas a defesa do Flamengo bateu cabeça de forma constrangedora em todos os cruzamentos. O Lomba também não foi bem em alguns lances, mas em vários - inclusive os dois gols - a defesa deixou a bola ser desviada no primeiro pau, e aí não há o que o goleiro possa fazer.

E não é defeito de hoje isso. Foi assim que o Flamengo levou o gol do Atlético-PR, em Curitiba.

Tiago Cordeiro disse...

Não ter jogadas pelas pontas não ajuda muito se a defesa é fraca no jogo aéreo. Se o time jogasse mais pelos lados, ia ser mais difícil para os alas do Flu subirem.

O único apoiando é o Leo Moura. O Alvim é lateral defensivo e impressiona como o time sequer consegue aproveitar isso para liberar mais o capitão.

A escalação do banco não ajuda também.

Luis disse...

O goleiro ainda é inseguro, a defesa está de cabeça para baixo, o pouco eficaz Juan faz falta, o meio-campo está mal posicionado, o técnico demora a mexer e ainda está longe de conhecer o elenco, o ataque erra a maior parte das poucas conclusões ...... ainda não estou animado com a tal "recuperação".