O problema do Flamengo não era só o ataque*

O que tantos pediam finalmente foi feito ontem: o Flamengo fechou seus reforços de peso para o ataque. Imediatamente, um clima de euforia se instalou e começou a se falar até no título – mesmo comentaristas dos melhores por aí andam falando que as perspectivas do Flamengo agora são outras. Quem sou eu para discordar, e também gostei das contratações. Só é bom perceber que o problema deste time do Flamengo não é só o ataque.

Já ouvi aqui e ali comentários dizendo que o Flamengo precisa de alguém “que aproveite as oportunidades que surgem”, além de piadas sobre os gols perdidos por Val Baiano. A minha pergunta é: que oportunidades são essas que surgem? Quais foram os gols perdidos por Val Baiano? Pode ser que minha memória esteja deixando algo escapar, mas só me lembro de um único chute a gol do centro-avante em quatro jogos que participou – num lance de escanteio contra o Vasco. Um único chute a gol do centro-avante do time em quatro jogos! Por pior que ele possa ser, o resto do time tem algo a ver com isso.

A verdade é que há imensas dificuldades tanto na saída de bola quanto na armação de jogadas ofensivas. A bola chega ao lateral no campo de defesa, ninguém abre para receber, ele volta mais no meio pra um volante, que por sua vez passa de lado ao outro volante ou ao outro lateral, que também não tem a quem passar; aí o adversário aperta um pouco, a bola volta pro zagueiro, que se também tiver uma marcação mais próxima recua pro Lomba – e tome bico pra frente. Quantas vezes vimos esta sequência nas últimas partidas? Basta a qualquer adversário avançar a marcação pro campo do Flamengo e a bola dificilmente passa do meio-campo em boas condições para os homens de frente.
Até acredito que a situação possa melhorar com a entrada dos novos atacantes. O Flamengo vem jogando sempre com dois jogadores de pouca movimentação no ataque, por estilo ou por falta de condição física. Tanto Diogo quanto Deivid sabem fazer gols, têm presença de área, mas não são de ficar paradões no meio dos zagueiros e a simples entrada de gente que consegue aparecer mais para o jogo pode aumentar as opções de passe e fazer a produção do time crescer. Até dá pra perceber um pouco isso quando entram em campo Diego Maurício ou Vinícius Pacheco – que criam pouco, têm dificuldade pra prender a bola no ataque, erram na definição das jogadas, mas facilitam um tantinho a vida dos meias quando o adversário marca mais atrás e permite que o time avance com um pouco mais de facilidade. Mas a entrada dos dois nunca resolveu o problema da saída da defesa e o Flamengo sofreu pra passar do meio-campo até contra o Atlético Goianiense, quando foi pressionado no segundo tempo.

Ou seja: simplesmente trocar a dupla de ataque deste mesmo time que vem jogando melhora, mas não é algo que vá mudar o Flamengo da água pro vinho. Pode até ser que Renato, à medida que ganhe ritmo de jogo e preparo físico, ajude a minimizar um tanto o problema. Mas ainda me parece pouco pra um time que até hoje ainda depende tanto deste Petkovic-2010 para produzir qualquer jogada um pouquinho mais objetiva.
Uma dupla de ataque de alto nível pode sim fazer mais chances aparecerem e serem aproveitadas, e com isso aumentar bastante as chances do Flamengo vencer mais jogos. Mas talvez não seja o bastante para que as pretensões do time realmente possam ser do tamanho dos sonhos da torcida e da diretoria. As opções para o treinador aumentaram (inclusive pelo retorno de Fierro, por mais que tantos torçam o nariz pra ele), vão melhorar ainda mais à medida que alguns jogadores forem se condicionando e realmente há material humano agora para o Flamengo sonhar bem mais alto. Mas precisa ser mais bem aproveitado do que vem sendo até agora.

* Texto da coluna semanal no FlamengoNet

12 comentários:

Paulo Sales disse...

Caro André,
Volto a bater na mesma tecla: um dos principais - senão o principal - problemas do Flamengo é o técnico. Mesmo sem os reforços, acredito que teríamos um desempenho melhor, com mais agilidade e jogadas ensaiadas, se à beira do gramado o comandante fosse mais experiente e talentoso. Torço para que Rogério se revele a partir de agora, com mais material humano à disposição, mas não tenho muita esperança.
abs

M. disse...

Não adianta contratar se o Rogério Lourenço permanecer. Esta é a minha visão. Nenhuma orquestra toca bem quando o maestro é ruim, por melhores que sejam seus músicos. Só vou respirar com tranquilidade quando RL sair. Um técnico à altura do Flamengo, pelo amor de Deus! Minha sugestão é o Silas, que tem o perfil ideal e não é tão caro.

lussiannosousa disse...

Se é pra apostar em algum técnico, eu prefiro manter o que tá lá. E silas pra mim ainda é aposta.

Não estou tão eufórico quanto os demais. Ainda acho que o Flamengo deve - em elenco - pra uns 4 times no campeonato. Até agora, no máximo, liberta. Que até agora não se sabe se serão 3 ou 4. Que beleeeeza.

E concordo com o texto. Claro que Zico deve ter tentado e não conseguido, mas ainda acho que um meia, camisa 10 mesmo, seria mais fundamental que pelo menos um desses dois atacantes que vieram.

Na ESPN saiu uma matéria dizendo que o Deivid tava jogando como 4° homem de meio de campo lá, aberto na direita. Mas daí pra um camisa 10 é bem diferete.

Bosco Ferreira disse...

É claro que um camisa dez é meio time, principalmente quando se quer ganhar um título.

No Brasil temos o Conca e o Ganso jogando como o Pet 2009.

Mas melhorou muito a qualidade do time lá na frente.

Tanto o Deivid como o Diogo, são jogadores habilidosos que sabem jogar bem dentro e fora da área.

Bem diferente do Borja e do Val Bahiano que são jogadores de referência, eles precisam de chances claras para finalizarem.

QUANTO AO TREINADOR:

Não vejo nenhum técnico hoje em disponibilidade, que seja melhor que o Rogério Lourenço.

O Silas? Não acho que ele foi o responsavel pela preformace do Avaí.

A prova disso é que hoje ele está desempregado, o Avaí apesar de ter que refazer o plantel e contratar outro treinador, está bem melhor sem o Silas. Está em terceiro lugar.

patrick disse...

Rogério é fraco. Unanimidade!

Mas há anos a saída é ruim: os volantes só servem para marcar. Um cara como o KLéberson que poderia ser um bom segundo volante, não quer ou não sabe marcar... Willians é excecpional no desarme e fraco com a bola nos pés.

E o Pet? Esse ano não está jogando tão bem. Gosto desse esquema do meio de campo em losango. Mas falar que o time jogou assim contra o Ceará é brincadeira... Não tinha esquema, era um bando!

O lance é apostar no Camacho, Michael ou Vinícius Pacheco no segundo tempo...

SRN!

patrick disse...

Rogério é fraco. Unanimidade!

Mas há anos a saída é ruim: os volantes só servem para marcar. Um cara como o KLéberson que poderia ser um bom segundo volante, não quer ou não sabe marcar... Willians é excecpional no desarme e fraco com a bola nos pés.

E o Pet? Esse ano não está jogando tão bem. Gosto desse esquema do meio de campo em losango. Mas falar que o time jogou assim contra o Ceará é brincadeira... Não tinha esquema, era um bando!

O lance é apostar no Camacho, Michael ou Vinícius Pacheco no segundo tempo...

SRN!

Fernando Almenara disse...

Também acho q o problema do Flamengo tá no meio de campo...

Vamos esperar pra ver!

Marcos André Lessa disse...

O Zico já disse que vai tentar um meio-campo dentro do futebol brasileiro.

Não tem outro pra botar no lugar do Rogério agora. Mas q ele é pouco técnico pra muito desafio, isso é.

André disse...

Evidente que o problema não é só o ataque, mas em torno de 90% é do ataque.

Atavantes ruins não dão confiança para os laterais e meis meterem a bola para eles.

A situação é como o André disse: os atacantes não chutam porque a bola não chega. A bola não chega em parte porque os atacantes também não sabem se posicionar e porque não tem condições físicas de se deslocar.

Atacantes de qualidade passam mais confiança para o meio campo desafogar. Sabem que ao passar a bola ela não vai bater e voltar rapidamente. Vai melhorar muito.

Inclusive o aproveitamento das jogadas dos laterais vai melhorar porque teremos atacantes para finalizar as jogadas deles. Uma coisa é cruzar a bola pro Val Gordani outra é cruzar pro Deivid...

Temos que fazer uma campanha para o Pet não bater mais escanteios para termos mais chances de gol.

Parabéns ao Zico por enxergar as carencias do time e aproveitar a oprtunidade de trazer bons jogadores sem ser a peso de ouro.

Paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávio disse...

Não sei se o problema é treinador ou falta de mobilidade do time. Ou se a falta de mobilidade é por causa do treinador.
Sei é que o Léo Moura já não tem tanta velocidade e desenvoltura como antes. Também sei que o Willians não pode armar jogo.
Mas o pior de tudo é a total falta de condições físicas do Pet. Nem escanteio ele consegue acertar mais.

Por outro lado, a entrada do Renato com dois bons atacantes podem mudar tudo no Flamengo. Temos de aguardar.

Marcos André Lessa disse...

Além do gol olímpico, qq falta batida pelo Pet é pra chutar em gol. São mtas chances desperdiçadas!