Brasileiro 2010 - 15a. rodada - Atlético-PR 1 x 0 Flamengo

Por um bom período do primeiro tempo, o Flamengo deu a impressão de que poderia finalmente quebrar a maldição da Arena da Baixada e voltar de Curitiba com uma vitória. Mas as mudanças no intervalo - tanto do Flamengo, quanto do Atlético - mudaram o rumo das coisas e expuseram novamente defeitos já bem conhecidos do trabalho de Rogério.

É conhecida a dependência que o Flamengo tem de Petkovic para conseguir criar jogadas de ataque. Pois os melhores momentos do time no primeiro tempo aconteceram não porque esta dependência foi minimizada, mas sim porque Pet teve uma atuação bem melhor do que nas últimas partidas. Ou seja: não dá pra se animar com uma melhora do time como um todo - e nem muito com o crescimento do futebol do sérvio, já que ele aconteceu, em boa parte, graças à formação frouxa que Carpeggiani escolheu para o Atlético.

Vejam que o time paranaense jogava com três atacantes - ou seja: apenas três no meio-campo. Nenhum dos atacantes recuava para ajudar na marcação no meio. E, pra completar, um dos meias era Paulo Baier! O resultado foi que o meio-campo do Flamengo - e Petkovic, claro - jogou com um espaço que não encontrava há muito, muito tempo. E, com espaço, Pet sempre aparece bem. É pena que teve pouca ajuda do resto do meio rubro-negro para criar; Willians errou quase tudo o que tentou na frente e Renato foi pior ainda, errando passes bobos e, pra completar, ajudando pouco na marcação - o que fez com que o lado esquerdo da defesa do Flamengo fosse o grande caminho para o Atlético criar suas chances.

De qualquer forma, a boa presença de Petkovic foi o bastante pro time criar algumas boas jogadas e fazer até os atacantes participarem mais do jogo. Val Baiano ao menos servia como pivô para os lances de ataque, embora sua lentidão constrangedora tenha feito ele não alcançar ao menos dois bons passes de Petkovic, e Leandro Amaral já se movimentava bem melhor do que na partida passada. Só que o time errou demais no último passe, não conseguiu aproveitar as chances criadas e, nos últimos dez minutos do primeiro tempo, começou a ver o adversário criar lances de perigo - inclusive uma bola no travessão e um gol perdido na pequena área. Dava pra ter ido pro vestiário vencendo, mas por pouco também não saiu já em desvantagem.

E, pro segundo tempo, o jogo mudou. Rogério errou ao trocar todo o ataque de uma só vez, o que não melhorou a produção na frente e o deixou com pouca opção para mudar o meio-campo - onde Renato já ia mal desde o início e Pet, claro, iria cansar em algum momento. A troca da dupla de ataque ficou ainda mais esquisita porque vimos Pacheco se posicionar mais como centro-avante do que Cristian Borja, que caiu sempre pelos lados do campo. Pra completar, Carpeggiani enxergou seu erro óbvio e tirou o inútil atacante Marcelo por Branquinho, que ocupou mais o seu meio-campo. Some esta mudança tática do Atlético à natural queda de rendimento de Petkovic e perceberá por que o Flamengo teve muito mais dificuldades para ficar com a bola.

Porém, mesmo assim, desta vez dá pra dizer que um pouco mais de qualidade na finalização teria feito diferença. Logo antes do gol do Atlético - num escanteio desviado no primeiro pau, jogada que é sempre mortal quando a defesa deixa isso acontecer -, Renato havia perdido uma chance clara em boa jogada de Kléberson, isolando uma bola na arquibancada. E logo depois de sofrer o 1x0, Vinícius Pacheco também desperdiçou boa oportunidade, cabeceando mal outro bom cruzamento de Kléberson. Pacheco também teve outras chances de chutar a gol - mas conclui sempre de cabeça baixa, sem olhar o gol, e por isso normalmente acerta o goleiro adversário.

Agora é torcer para que Diogo, que deve estrear logo, e Deivid realmente consigam fazer toda a mudança no time que alguns esperam. A situação deve melhorar. Mas Rogério deve perceber que tem mais o que fazer do que simplesmente trocar a dupla de ataque.



22/8/2010 - 16h - Atlético-PR 1 x 0 Flamengo
Arena da Baixada - Curitiba, PR
Renda e público: R$ 414.340/ 21.734 pagantes


Árbitro: Carlos Eugênio Simon/RS (FIFA)
Auxiliares: Altemir Hausmann/RS (FIFA) e Paulo Ricardo Silva Conceição/RS (FIFA)
Cartões amarelos: Bruno Mineiro e Paulo Baier (ATL); Cristian Borja e Willians (FLA)

Gols: Manoel 37'/2°T (1-0)

Atlético-PR: Neto, Wagner Diniz, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Olberdam (Bruno Costa 38´/2ºT) e Paulo Baier; Marcelo (Branquinho/intervalo), Bruno Mineiro (Deivid 42´/2ºT) e Maikon Leite. Técnico: Paulo César Carpegiani

Flamengo: Marcelo Lomba, Leonardo Moura, Jean, Ronaldo Angelim e Juan; Correa, Willians, Petkovic (Kleberson 30´/2ºT) e Renato; Leandro Amaral (Vinícius Pacheco/intervalo) Val Baiano (Cristian Borja/intervalo).

11 comentários:

Marcos Monnerat disse...

É muito triste a gente ver jogo após jogo o Flamengo apresentando os mesmos problemas, a mesma incapacidade de criar jogadas e a mesma incapacidade de mudar o jeito do time durante a partida.

Não adianta contratar o melhor ataque do mundo. Com Rogério seremos, no máximo, 12o. no campeonato.

Flávio disse...

Essa frase do Einstein se aplica ao Flamengo do Rogério: “Não há nada que seja maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes.”
É impressionante a falta de capacidade do Rogério em tentar uma mudança no time, no jogo, nas jogadas.
O Rômulo sumiu, o Antônio sumiu, o Camacho sumiu. Esse estagiário está totalmente perdido.

Flora disse...

Flávio, perfeito.

Paulo Sales disse...

Assino embaixo dos dois comentários acima. Diogo e Deivid não farão milagre num time tão mal treinado.

=Beto= disse...

todo mundo ja sabe...
Fora Rogerio!

Ivan disse...

Sou fã de carteirinha do nosso Zicão, mas essa teimosia dele em acreditar que o Rogério tem condições de treinar o Fla está passando dos limites do razoável. O cara está totalmente perdido! Ele já teve bastante tempo para dar um padrão de jogo ao time, e o que vemos é um time medroso, que não produz nada. Além disso, ele está conseguindo queimar alguns jogadores que estão jogando fora de posição.
O Zicão...ouve a torcida! Não é simplesmente não mandar o cara embora que vai significar que a administração é profissional!
Se a peça não está rendendo, é hora de trocar!

ricardo disse...

Concordo,Flávio.O Rogério troca por trocar,sem objetivo algum,além disse tem medo de arriscar sempre faz as mesmas alterações arma o time do mesmo jeito e quer vencer?Ai não dá.No jogo de ontem o Leandro Amaral teve até bem pela ponta,mas o Rogério conseguiu matar o time pro segundo tempo.

Bosco Ferreira disse...

Eric Flôres dispensado pelo Ceará está indo para a série B. Náutico e Brasiliense querem.

Romulo disse...

Infelismente, não vai melhorar com o novo ataque, o meio de campo do flamengo não tem funcionado, alias nada tem funcionado, é claro NITIDO que o flamengo precisa ser bem treinado, ter um esquema, porque tem horas em que parecem 11 caras em campo jogando seu futebolzinho de fim de semana... sinceramente pra mim a coisa está feia e tende a piorar, é só o ataque "novo" estrear e os resultados não virem, qual será a desculpa ??

TriTon disse...

So para imformar. O blog do Renato Mauricio Prado esta com uma enquente de qual tecnico seria ideal para o FLAMENGO. Vale acessar e responder.

André disse...

Além dos claros problemas de incapacidade do nosso treinador temos problemas GRAVES de preparo físico no time.

Petkovic não consegue mais jogar com ritimo profissional. Deve logo assumir sua posição no time de masters do Luciano do Valle.

Renato Abreu além de estar no declínio da carreira está VISIVELMENTE mau condicionado. É rídiculo escalar um jogador nesse estado. Isto mostra desespero do treinador, mostra falta de posicionamento do departamento de preparação física que tem o DEVER de vetar o jogador e mais uma vez mostra falta de comando da diretoria. Outro ponto neste assunto, e vale os mesmos argumentos, é a escalação do Val Baiano. Eu estou com 86 kg com 1,71m e GARANTO que corro mais que ele e tenho mais explosão.

Com isto são 3 jogadores SEM A MENOR CONDIÇÃO FÍSICA entrando desde o início. Não existe time que resista.

Além de prejudicar o time, queima os reforços.

Neste time, provavelmente Diogo também vai ser queimado e o Deivid entrará na PRESSÃO total e vai ser complicado mostrar alguma coisa.

Achei que o Renato entraria bem mas tinha desconhecimento do seu preparo físico...negócio é não cair...