Onde a gestão Patrícia Amorim errou - ou não (Parte 3)

Acertou, e muito: a vinda do Zico
Falei que foi um erro manter Marcos Braz, que foi um erro não ter um plano B para a transição de modelos, e que houve vários erros na gestão do futebol nestes cinco primeiros meses do ano. Mas vejam bem: o fato do plano A ter afinal sido colocado em prática pode muito bem compensar tudo isso, com sobras.


Alguns tratam a vinda de Zico como um "ato de desespero" de Patrícia Amorim. Creio que quem tem esta visão minimiza o significado deste momento e não está entendendo bem o que pode estar acontecendo.

Simplesmente chamar o Zico não é mérito pra ninguém, nem resolveria nada. Todo mundo já teve esta ideia em algum momento, os convites já foram feitos antes, inúmeros repórteres já fizeram perguntas ao cara sobre isso. E a resposta dele, sempre, foi negativa. Se ele veio agora, se foi convencido, é porque a proposta que lhe chegou finalmente foi a que ele esperava (e, claro, num momento propício em sua vida). É óbvio que foi preciso muita conversa para convencer Zico de que valia a pena arriscar seu nome nessa, pois lhe dariam as condições para fazer as coisas de seu jeito.

A questão não é só terem trazido um grande e histórico ídolo para a chefia do futebol - isso já foi feito antes; não é nem mesmo apenas ter ele, Zico, naquela função - outros talvez pudessem ser tão ou mais competentes para fazer o trabalho em si. Colocar Zico na Diretoria Executiva do Futebol significa uma decisão clara de mudar o jeito como as coisas funcionam, e é esta a verdadeira importância do momento. Finalmente se deu um passo verdadeiro nesta direção, e ainda por cima colocando lá o cara que pode ter moral pra fazer as coisas acontecerem. Contratar Zico pra comandar o futebol não é a mesma coisa que trazer um Messi pro comando de ataque. Não é uma solução imediata - e tem que deixar o tal legado.

Zico não vai ficar lá pra sempre. A esperança é que, ao final de sua passagem pelo cargo - seja lá quanto tempo ela dure -, as coisas não possam mais voltar a serem o que eram; que não se volte mais a escolher entre meia dúzia de sócios endinheirados qual poderá brincar de Club Manager com o time do Flamengo.

Errou: Rogério Lourenço
Bem, pra mim é isso: Rogério simplesmente não tem condições de ser treinador do Flamengo. Talvez o momento não tenha sido o melhor (e eu escrevi na época que, naquela hora, o melhor era mantê-lo), mas nem vejo como um erro a saída de Andrade, que errava demais e já não via o time responder em campo às suas tentativas (embora nem mostrassem falta de vontade). Porém, a diretoria teve como única opção a contratação de Joel Santana, não conseguiu e depois acabou partindo para uma aposta pesada demais no interino. E ele mostra pouca convicção em suas soluções, saca ideias da cartola que são totalmente descartadas logo depois, usa opções que simplesmente fogem a qualquer bom senso (como Angelim de lateral esquerdo, ou Fernando jogando de armador enquanto Camacho é volante, ou Michael como único armador, ou Rômulo de zagueiro numa linha de dois...), enfim. Ele tem vários atenuantes pelo pouco tempo de trabalho, desfalques, pressão, momento conturbado e tudo o mais, mas pra mim ele simplesmente erra demais.

Outro técnico deveria ser contratado, logo. Mas agora, vale esperar pra ver se essa demora pode ter uma bela justificativa.


Já errou, e pode ter acertado: o caso Felipão
Nessa, eu quero esperar o desfecho pra ter noção do tamanho do erro de Patrícia Amorim em ter mencionado o nome do treinador (seja lá em que contexto isso tenha acontecido) a Renato Maurício Prado antes de poder confirmá-lo pra todo mundo. Por enquanto, prefiro ficar por aqui.

9 comentários:

Max disse...

O erro feiaço, eu diria até bizonho, do Flamengo em 2010 foi ter dispensado a dupla Marcos Bras e Andrade a 3 dias do jogo mais importante do ano sem ainda ter nenhum nome por trás pra assumir de imediato.

Chega a ser infantil a maneira como o clube ficou a mercê de brisa em momento tão importante.

Sobretudo o Marcos Bras, cujo teor político foi fundamental na demissão.

Bosco Ferreira disse...

Pelo visto, ela é a melhor presidente da história recente do clube.

Se considerarmos que errar é humano e nenhum erro foi de má fé. Apenas uma incompetenciazinha de quem não entrou no jogo sem nenhum projeto. Mas isso é normal no futebol!

Nós torcedores é que estamos errados.

Enquanto isso, o clube se mantém com o pé no pântano e a torcida ridícularizada pelos rivais.

Nota oito Patrícia, o resto é machismo e sacanagem da turma do KL.

Como dá menos de oito para alguem que chegou inclusive a ser ovacionada no Maracanã após uma derrota que quebrou um tabú pela torcida do Flôr de laranjeiras, agradecendo com acenos, e inocentes beijinhos. Paralelamente era vaiada pela magnética.

Anônimo disse...

a nova presidente do Flamengo tem sido muito mais criticada pela ótica machista do que pelos erros e acertos. seus acertos superam os erros que vem se acumulando há anos. ela devolve ao nosso clube a auto estima que vinha abandonada - vide por exemplo sua presença nos jogos de basquetebol fato ocorrido somente na gestão de Gilberto Cardoso, que aliás morreu numa comemoração de basquete no maracananzinho. DEIXA A MULHER TRABALHAR.

HENRIN BUENO disse...

Realmente...as críticas a péssima gestão da patricia amorim são todas machistas...

é cada i...um que aparece aqui e alhures que vou te contar...

Anônimo disse...

Tentar contratar como executivo de futebol alguem do quilate de Bernardinho, Zico e tais, demanda muito mais tempo de negociação do que colocar um Kleber Leite, um Helio Ferraz, etc.

Fico com a impressão clara de que a idéia era manter o Marcos Braz enquanto ela tentava alguem de gabarito, mas o próprio Braz (bem como o Andrade) tornou insustentável sua permanência.

Fazer por fazer é muito fácil, é o que derruba a maioria dos treinadores no futebol brasileiro, "jogar pra torcida" (ficou mais clara essa expressão vendo os comentários desse blog).

Fazer bem feito sempre demanda mais tempo. Quem tem o mínimo de experiência em gestão de qualquer coisa sabe disso.

Concordo com a maioria dos pontos expostos no blog, não acho que ela só tenha acertado, mas, por enquanto, ta deixando boa impressão, até pq 5, 6 meses é muito pouco tempo.

Só posso lamentar por quem não alcança o significado do Zico ter aceito o convite.

Bosco Ferreira disse...

Esse pessoal que está falando em machismo e que já aplaudmos coisa pior e que a nota dela é dez deve ser lá da criadagem dela.

Bosco FerreIra disse...

Mudou de nome, não é mais Patricia pé frio. Agora é Patrícia semana que vem. Rs.

Tiago Cordeiro disse...

Let's go:

1- Acertou e mto. Nem vou me estender mto nisso. Já é o maior acerto dessa gestão. Fez algo histórico, épico... Clap! Clap! Clap!

Só acho o seguinte: não foi algo planejado. Tipo: demito o Braz e trago o Zico. Ela demitiu o Braz, ninguém, inclusive o Zico, topou. Aí, com um mês e meio sem NINGUÉM no cargo e depois de ser aplaudida pela torcida do Fluminense em um clássico q não perdíamos há dois anos ela anuncia o Zico.

Não consigo dissociar as duas coisas. Acho mesmo que esse clima influenciou.

Concordo sobre tudo, comessa ressalva aí.

2- De acordo sobre o Rogério.

3- Prefiro não comentar o caso Scolari. Já esgotei minha cota no Flamengonet.

ferox disse...

A PATRICIA ESTA DEIXANDO ACONTECER COM ADRIANO O MESMO QUE A OUTRA DIRETORIA DEIXO ACONTECER COM O RONALDO, ADRIANO ESTA INDO PARA O CORINTIANS, ASSIM COMO RONALDO ISSO E BRINCADEIRA,ESTAMOS VENDO MAS UM FLAMENGUISTA INDO PARA UM CLUBE QUE ELE NAO QUER MAS VAI POR SER PROFISSIONAL ASSIM COMO RONALDO FOI, ISSO NAO PODE ACONTECER ESTA COM MEDO DOQUE ADRIANO PODE CAUSAR, ENTAO PORQUE NAO FAZ UM CONTRATO DE RISCO COM O CARA? E O RONALDO PORQUE FOI PRA LA? E MUITA IMCOMPETENCIA DESSA DIRETORIA ASSIM COMO DA OUTRAS , ESTAMOS VENDO NOSSO IDOLOS, CARAS QUE AMAM O FLAMENGO ENCERRA SUAS CARREIRAS EM OUTROS CLUBES, PORQUE A DIRETORIA DO FLA ESTA VIRANDO AS COSTAS PARA ELES, ASSIM NAO DA....