O Brasileirão clandestino, graças ao calendário

Dizer que o calendário do futebol brasileiro tem problemas é chover no molhado. Mas é em ano de Copa do Mundo que todos estes defeitos mais ficam aparentes.

Hoje, por exemplo, começa o Campeonato Brasileiro. Porém, é difícil querer que este seja o assunto do dia.

Primeiro, porque colocam o campeonato mais importante do país para começar quando a Copa do Brasil e a Libertadores chegam às suas fases mais decisivas. Não só teremos vários clubes iniciando o campeonato com times mistos, como a própria imprensa está mais interessada nestes outros torneios do que no Brasileirão, que assim começará quase clandestinamente.

Além disso, o início da competição seria a hora dos analistas projetarem o que cada equipe poderá disputar e assim aquecer as conversas dos torcedores. Porém, todos já sabemos normalmente que os times que iniciam o campeonato serão bem diferentes dos que o terminam, graças à infame janela de transferências do meio do ano, quando italianos, alemães, ucranianos e qatarianos passam por aqui e fazem a limpa. Pois este ano a coisa é ainda pior: não só os times serão modificados, como ainda teremos uma longa pausa para a Copa do Mundo, que vai quebrar totalmente o ritmo da competição e fazer com que este início seja encarado ainda mais com um certo desdém - por mais que apareçam comentaristas lembrando que os pontos ganhos ou perdidos hoje valem o mesmo dos de novembro.

(Ou seja: qualquer aposta hoje sobre o final do Brasileiro é muito na base do chutômetro. Talvez eu faça meus chutes ainda. Mas não agora)

É mais um prejuízo que a Copa do Mundo, que já pode tirar os principais jogadores de várias equipes de momentos decisivos da Copa do Brasil e da Libertadores - traz para o nosso calendário. E isso faz parecer pra mim ainda mais impressionante que não se perceba o quanto a organização das coisas por aqui teria a ganhar se o calendário sul-americano se ajustasse de vez ao europeu. Não haveria esta pausa, a Copa não comeria datas importantes de outras competições, diminuiria-se a quantidade de transferências para o exterior no meio das competições, enfim.


* * * * * * * * * * * * *

Reparem: durando um mês, só a disputa da Copa do Mundo já toma 4 semanas, ou 8 datas do calendário. Muito provavelmente (não vou parar agora pra fazer as contas), só de liberar estas datas já seria suficiente para que os clubes que estão na Libertadores pudessem disputar também a Copa do Brasil.

E será necessário mesmo que deem um jeito disso acontecer a partir do ano que vem, já que agora a Sul-Americana dá vaga pra Libertadores - o que faz com que hoje os times que conseguem posições intermediárias no Brasileiro e podem jogar Sul-Americana e Copa do Brasil tenham mais chances para ir à Libertadores do ano seguinte do que os de ponta, algo que não tem o menor cabimento.

2 comentários:

JOVIANO disse...

Caro Monnerat, estou muito preocupado com o Flamengo. Tenho a impressão que a atual administração pensa que enquanto o time estiver ganhando está tudo bem: Deixa estar prá ver como fica!. As "coisas" estão muito lentas... Demoram a decidir os assuntos... Não se fala nos projetos e nas substituições de peças... está estranho... No meu site e com a ajuda dos "quatro ventos" estou espalhando minha preocupação:
"Cara Dona Patrícia: agilidade é essencial! Ou... As aves de rapina estão atentas!" Veja em Esporte: http://www.ocomentarista.com.br

abs
Joviano Caiado

João Brasil disse...

Quem sabe também não alteramos as nossas estações do ano, ajustando o nosso verão ao verão do hemisfério norte?