Dunga foi contratado pra isso aí

Depois de toda a palhaçada que se viu em 2006, Dunga foi contratado para moralizar a parada. Era o choque de ordem chegando à Seleção.

Seu método para isso foi dar um choque nas figurinhas mais carimbadas, como Kaká e Ronaldinho Gaúcho - que de cara tiveram que sentar no banco -, e seguir mantendo perto dele quem mais se comprometia com a causa. E este comprometimento, o tal "correr pelo técnico", ganha força à medida em que ele vai mostrando gratidão a quem se entrega.

E deu resultado. Ninguém, hoje, pode ver a Seleção em campo e dizer que eles não estão correndo. E foi disso que mais se reclamou em 2006, certo? Oba-oba, festa e gente andando em campo. Dificilmente isso acontecerá na África do Sul.

Mas não precisava ir tão pro extremo assim. São trocentos volantes, e o único meia ofensivo convocado foi Kaká; se ele não jogar, alguém terá que ser improvisado ali - opções como Michel Bastos, Gilberto, Daniel Alves, Júlio Baptista. Nenhum é meia de origem. Eu realmente não achei que ele fosse mesmo insistir num grupo assim; tava na cara que não ia pintar nenhuma novidade bombástica, mas acreditei que nomes que foram convocados por ele antes várias vezes, como Ronaldinho e Diego, pudessem reaparecer. Não aconteceu.  Isso (e exageros de lealdade, como a convocação de Doni - na boa, se Júlio César se machucar, os dois reservas são fracos e podem colocar tudo em risco) foi o que mais me incomodou na convocação - mais do que a ausência ou presença do jogador A ou B.

Enfim: o cara é chato pra cacete na hora de falar, teimoso pra cacete na hora de fazer suas escolhas, parece se achar perseguido pelo Mundo, só confia em si mesmo e nos seus. E está fazendo aquilo para o que foi contratado. É com isso que o Brasil vai pra Copa - e pode até dar certo.


* * * * * * * * * * * * *


Foi impressionante o lobby por Neymar e Ganso.

Sinceramente, acredito que ambos são talentosos e até poderiam ir para a Seleção. Mas, a esta altura, sem nunca terem jogado no time principal e tendo se destacado de verdade por tão pouco tempo, em um campeonato não tão exigente assim, não acho que têm cacife para entrarem no grupo como solução - e é esta a campanha que foi feita. Li gente comparando a ausência dos dois com as de Maradona e Falcão em 78, ou com uma possível não-convocação de Pelé em 58. É uma comparação totalmente descabida; Maradona e Pelé já jogavam pela Seleção antes das duas Copas, Falcão era bi-campeão brasileiro. Nem Ganso nem Neymar têm currículo para que suas presenças na Seleção sejam tão obrigatórias assim.

Mas até acho que eles poderiam ter sido convocados - se fosse como Felipão fez com Kaká em 2002, ou como Parreira fez com Ronaldo em 94: eram grandes promessas indo para compor o grupo, ganhar experiência e, quem sabe, ganharem chances se o destaque nos treinos fosse absurdo (o que não aconteceu com nenhum dos dois, aliás - ambos futuros melhores do Mundo). E não com todo este peso no elenco e a responsabilidade de serem as grandes opções de Dunga para mudar uma partida, como muita gente parecia estar imaginando agora. E como eles acabariam indo mesmo, por conta do grupo recheado de volantes que Dunga montou.


* * * * * * * * * * * * *

95% do status que Dunga tem hoje no mundo do futebol vem de uma vitória nos pênaltis. Se o Brasil tivesse perdido aquela disputa em 1994, isso não quereria dizer nada em relação ao trabalho que aquela Seleção havia feito - mas imaginem como teriam sido diferentes as carreiras de muitos dos que lá estavam se isso tivesse acontecido. Será que Dunga teria tantas chances para espetar a geração de 82 em entrevistas, como sempre fez desde então?

Assim como aquele resultado final contou e muito a favor de Dunga de lá pra cá, o resultado final desta Copa também vai determinar o que se dirá do hoje treinador pelas próximas décadas. É o famoso "besta ou bestial". Se as coisas não andarem bem para o Brasil na África do Sul, a lista de equívocos do comandante que será publicada no dia seguinte já está pronta na gaveta de um monte de jornalistas por aí.


* * * * * * * * * * * * *

Nunca tive muita simpatia por Dunga não.

Mas ele ganhou 8.000 pontos comigo por mandar na lata para Milton Neves, depois dele fazer a tal comparação entre a não-convocação de Neymar e a de Maradona: "você é melhor fazendo merchandising do que falando de futebol".

Merecia aplausos de pé.

3 comentários:

André Amaral disse...

Dunga foi muito extremista, pra ele é oito ou oitenta.

Eu esperava pelo Ganso e não esperava que Adriano ficasse de fora.

Adriano colheu o que plantou, eu fico com pena porque Adriano é uma pessoa boa, teve seus problemas, mas acho que nunca criou dificuldades quando esteve na seleção.

Dunga foi cruel, tocou no ponto da ferida: faltou comprometimento, não a seleção, mas ao Flamengo.

Dunga mandou bem quando disse que não está preocupado em preparar a seleção pra 2014, convocando Neymar e Ganso, e que a obrigação de ganhar a Copa é agora.

E o esculacho pra cima do Milton Neves foi sensacional...rssssss

Fabricio C. Boppré disse...

Concordo plenamente com a avaliação aí sobre os meninos da Vila. São grandes promessas, jogaram muito no camp. paulista, mas Copa do Mundo é outra coisa. Nunca vimos eles contra zagueiros argentinos, alemães, ingleses... na verdade, vimos sim, nos campeonatos mundiais sub-20 e sub-17 no começo do ano, quando foram mal e o Brasil não ganhou nada. Por que levá-los já para uma Copa do Mundo de profissionais? Nisso, eu não reclamo do Dunga. Agora essa convocação cheia de volantes, realmente, não dá lá muita vontade de torcer. E o papo da pátria de chuteiras, do amor a pátria, e todo o blá blá na entrevista, é foda aguentar. Mas tentar explicar para ele que o patriotismo é o último refúgio do canalha, não deve funcionar; vendo o Dunga falar percebe-se que não podemos exigir muito dele, intelectualmente...

Folha disse...

Vc colocou bem: o resultado daquela disputa de penalti determinou tudo que vem acontecendo há anos no futebol brasileiro.

Ele se agarra naquela seleção pra fazer tudo o que faz.

Concordando ou não (normalmente não), os resultados dão a ele o direito de cagar goma, fazer o que?

Eu, feliz que estou de ver um time como o Santos jogar, tb não acho que Ganso e Neymar devessem estar na lista, até poderiam, um ou outro, mas não deveriam.

Falar sobre a péssima qualidade dos convocados é chover no molhado, mas pode dar certo.

O que o Nilmar precisa fazer pra imprensa confiar no cara? Esculachou no Corinthians, no Inter, entrou bem na seleção... Precisa ser pesado???

Mesmo não gostando nada do jeito dele, o que ele fez em relação ao Adriano e ao Milton Neves realmente foi digno de aplauso.

Como o Max vou torcer pra chegar a uma semi-final, já da pra curtir a Copa e, no fim, espero que uma seleção mais "arejada" (pra usar o termo da moda(frase essa que tb está na moda)) ofensiva seja campeã pra ver o que acontece com o futebol mundial.