Taça Libertadores da América 2010 - 1a. fase - 1a. rodada - Flamengo 2 x 0 Universidad Católica

Se os chilenos falavam tanto no respeito que tinham por Adriano e Vagner Love, acabaram sendo derrotados graças a alguém que não esperavam: Léo Moura foi o nome do jogo e definiu a vitória do Flamengo. O primeiro passo foi dado, e deve ser bastante valorizado porque aconteceu em circunstâncias complicadas.

Isso porque Willians conseguiu arrumar uma expulsão tola logo a 2 minutos de jogo. Não vou nem discutir se o árbitro foi ou não rigoroso demais; fato é que ele não tinha nada que entrar com o braço daquela maneira num lance tão bobo, na lateral do campo, com a bola dominada, companheiro livre pra receber, início de partida. É o tipo da atitude que jogador de futebol tem de vez em quando e você não consegue entender.

O Universidad Católica veio mesmo disposto a esperar o Flamengo em seu campo e, mesmo com um a mais, continuou recuado. Só que Léo Moura abriu o placar aos 10 minutos, no primeiro chute a gol do time - e aí eles se viram obrigados a avançar. E veio o perrengue.

Mesmo com um a menos, Andrade não quis recompor o meio com mais um volante e o Flamengo jogava num improvável 4-2-3 - pois Vinícius Pacheco se colocava mesmo como atacante a maior parte do tempo. Na verdade, quando um dos homens de frente voltava pra ajudar a fechar o meio, quase sempre era Vagner Love, que foi visto muitas vezes na defesa, dando chutão pra frente. O resultado é que o Flamengo não tinha ninguém no meio pra manter a posse de bola, tentava o tempo todo ligação direta (algo que seria difícil de dar certo mesmo se Adriano não estivesse tão mal, correndo sempre errado e perdendo todas as bolas que chegavam nele) e entregou todo o controle do jogo aos chilenos.

Aí valeu a boa atuação dos defensores rubro-negros, principalmente pela esquerda, por onde eles mais forçavam o jogo. Lá atrás, Juan não deu mole nenhuma vez, mesmo ficando no mano-a-mano em jogadas seguidas; e Fabrício entrou mesmo muito bem, sempre muito seguro - uma grande atuação. Por isso, a Universidad Católica ficou com a bola o tempo todo, trocou passes, abriu o jogo pelas pontas, mas só concluiu de dentro da área uma vez, numa cabeçada.

E, mais pro fim do primeiro tempo, veio o lance que mudou os rumos da partida. Numa cobrança de falta, a bola explodiu no travessão de Marcelo Lomba - o empate ali complicaria demais o jogo. Mas ele não veio e um lance no rebote deste chute deu na expulsão do meia Mirosevic. Vendo o replay, não parece que tenha havido qualquer intenção de pisar em Toró, mas foi como o árbitro interpretou. E o efeito do cartão vermelho foi imediato: os chilenos sentiram o baque, o Flamengo se tranquilizou e passou a tocar a bola até o intervalo.

Mais confiante, o time voltou do vestiário disposto a se impor e veio atacando. Os lances perigosos iam surgindo, principalmente pela direita, mas dava pra ver os espaços surgindo perigosamente para os contra-ataques adversários. Andrade viu isso e deu muita sorte: com Fernando preparado para entrar no lugar de Vinícius Pacheco (que ontem não foi bem), Léo Moura fez a jogada sensacional que deixou Adriano na cara do goleiro para fazer 2x0. Com a vantagem maior, a situação ficou bem mais tranquila, mesmo com o time diminuindo o ritmo após a substituição. No fim, o placar poderia ter sido até maior, pois as chances apareceram.


* * * * * * * * * * * * *

Vagner Love correu muito, se dedicou, e conquistou a torcida pela raça. Mas alguém tem que dizer pra ele parar de tentar jogadas individuais em todos os lances de que participa, seja em que ponto do campo for. Como contra o Botafogo, ele perdeu bolas demais desta maneira e, de novo, não levou sorte na hora de concluir.

Andrade, depois do jogo, disse que ele é tão cobrador oficial quanto Adriano e, por isso, foi normal que bater o pênalti. Pode ser, tomara que seja - que não tenham levado o momento menos a sério do que deviam, como pareceu na hora. Porque o 2x0 não era garantia de nada, não era momento para benevolências e quem deveria bater era mesmo o melhor cobrador.


* * * * * * * * * * * * *

Petkovic entrou no fim e rapidamente criou dois lances de muito perigo, mostrando como pode ser importante se estiver bem. Mas, em seguida, voltou ao comportamento que vem tendo desde as últimas rodadas do Brasileiro de 2009: toda vez que pega na bola, tenta entrar driblando pelo meio ou fazer um lançamento definitivo e milagroso. Quase nunca dá certo. Seria bom se ele entendesse que, de vez em quando, vale a pena fazer o simples.




24/2/2009 - 21h50 - Flamengo 2 x 0 Universidad Católica
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 728.373,00 / 24.301 pagantes

Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Auxiliares: Nicolás Yegros (PAR) e Emigdio Ruiz Roa (PAR)
Cartões amarelos: Vagner Love (FLA); Francisco Silva, Ponce, Mena (UCA)
Cartões vermelhos: Willians, 2'/1ºT (FLA); Mirosevic, 40'/1ºT (UCA)

Gols: Leonardo Moura, 10'/1ºT (1-0); Adriano, 13'/2ºT (2-0)

Flamengo: Marcelo Lomba, Leonardo Moura (Everton Silva, 30'/2ºT), Álvaro, Fabrício e Juan; Willians, Toró, Kléberson e Vinícius Pacheco (Fernando, 14'/2ºT); Vagner Love (Petkovic, 40'/2ºT) e Adriano. Técnico: Andrade.

Universidad Católica: Garces, Fuentes, Henriquez (Mena, 25'/2ºT), Ponce e Valenzuela; Martinez, Francisco Silva, Toloza (Mannara, 22'/2ºT) e Mirosevic; Damian Diaz e Morales (Vrandjcan, 10'/2ºT). Técnico: Marco Antonio Figueroa.

7 comentários:

Arthur Costa disse...

Não achei q o Love só tentou jogada individual não... achei q o Adriano tava pregado e normalmente não tinha como tabelar... aquela jogada q ele concluiu de bico por exemplo, não tinha com quem tabelar... bom, foi oq achei. Mas, vc tava lá no Maraca né, viu bem melhor q eu... hehehe

To preocupado pq vamos jogar sem o Williams fora de casa, onde o time deve ser muito mais atacado...

Abraço!


PS: estranhei vc não cornetar o Juan. Q errou tudo q tentou ou deixou de tentar no ataque, apesar de ter msm ido bem na defesa...

Flávio Zaca disse...

Eu fiquei um pouco decepcionado foi com o público... E com a displicência do Fernando quando entrou, achando que o jogo estava tranquilamente resolvido.

André Amaral disse...

Aquele gol do Léo Moura foi a salvação, porque perder o nosso melhor marcador no começo do jogo, e com um goleiro e um zagueiro reserva pra completar, seria tenso..

Feliz pela boa atuação do Fabrício e Álvaro, Torozinho mortozinho, Léo Moura atuação sensacional, guardou seu futebol para a estréia da Libertadores.

Arthur G. disse...

Comprei o tal pacote para essa fase e fui no jogo. Gostei do que vi, achei que o time foi bem...
Com o Willians expulso no começo, o time tinha que ficar fechadinho mesmo. E conseguimos fazer o gol com o Léo Moura, melhorando - e muito - nossa situação. Gostei da atuação do Toró hoje, do Fabricio também...Juan foi mal no ataque mas nao comprometeu na defesa. E Léo Moura foi sensacional. Depois, com o numero de jogadores igualado, o time se soltou um pouco e quando o Andrade ia fechar o time deu a sorte de o Fla fazer o segundo gol(lançamento SENSACIONAL do Leo Moura).
Gostei do Vagner Love, mostrou muita raça, apesar do penalty perdido(igualzinho aquele que ele perdeu contra o Flamengo, hein).
O público me decepcionou um pouco, esperava mais, uns 50 mil.

Marcos Monnerat disse...

Eu também achei que teria mais gente no maraca. Foi decepcionante a presença da torcida do Fla que foi a menor entre os cinco clubes brasileiros na Libertadores. Uma pena. Além disso, Urubuzada e Raça insistiram o jogo inteiro em cantar cada um uma música diferente ao mesmo tempo (ou as vezes a mesma música, mas em partes diferentes). Uma pena também. As torcidas organizadas tem que estar em sintonia para realmente conseguirmos empurrar o mengão para as vitórias.

Sobre o Juan: nem achei ele tão mal assim no ataque. Pelo menos não até ele perder aquele gol porque tem a perna direita podre. Depois disso andou tentando uns passes muito bestas que o Vágner Love nunca conseguiria dominar.

Adriano segue paradão escondido atrás dos zagueiros. Não vai dar certo isso até o fim da Libertadores não hein...

E o lance do pênalti... Ele é o batedor, ele tem que bater. O Andrade pode ter falado que o Love também é batedor, mas claramente falou isso pra amenizar a palhaçadinha que já apareceu na estreia do time no campeonato mais importante do ano. Melhor para por aí!

CorVo disse...

Foi bom ver o Leo Moura jogar daquele jeito! Parecia que ele era um novato, tamanha a vontade que ele demonstrou! O Time com exceção do Juan e Willians jogou muito bem.

SRN!

Bosco Ferreira disse...

A torcida continua desorgamizada.