Brasileiro 2009 - 36a. rodada - Flamengo 0 x 0 Goiás

São Paulo e Botafogo fizeram sua parte. A torcida, lotando o estádio e fazendo festa, também. Até os patrocinadores, ajudando a torcida a montar o fantástico mosaico que deixou todos embasbacadso antes da partida começar, fizeram sua parte. Porém, faltou quem entra em campo fazer a sua. E aquele medo que todo rubro-negro tinha escondido em algum canto de seu interior, acabou se concretizando: o Flamengo voltou a falhar no Maracanã lotado em um momento decisivo, quando tudo parecia estar a seu favor. E talvez a tarde de hoje, que tinha tudo para ganhar um belo lugar de destaque na história do Flamengo, acabe ficando na memória por motivos bem menos festivos, dependendo de como o campeonato acabar.

E o mais triste é que boa parte deste tropeço se deve a um primeiro tempo lamentável, em que o time simplesmente entrou andando em campo. O Flamengo era uma equipe que saía lentamente da defesa, não se deslocava no ataque, enfim - não dá pra entender como os jogadores esperavam que a vitória viesse. Petkovic teve uma tarde lamentável e até parecia sem condições de jogo, caminhando no gramado, virando as costas para o lance com frequência - e insistindo em jogadas pra lá de improváveis nas vezes em que conseguia participar do jogo. Adriano, como quase todo mundo, ficava paradão e não dava opção. E assim o time dependeu nesta etapa apenas de Léo Moura e Willians, os dois únicos que pareciam dispostos a correr e tentar alguma coisa.

No segundo tempo, a atitude mudou e a vitória poderia ter vindo. A torcida procurou colocar em prática o lema do mosaico - "a maior torcida do Mundo faz diferença" - e tentou empurrar o time, Pet usou o (pouco) gás que tinha guardado até morrer de vez, Juan cresceu de produção (depois de um primeiro tempo bem fraco), as chances começaram a aparecer. Com o time se mexendo mais, até Adriano, mesmo ainda sem se movimentar (na boa: no fim do jogo o cara parecia não ter forças nem pra tocar a bola de lado - era até constrangedor), conseguiu aparecer bem em lances de pivô dentro da área. Mas aí os deuses do futebol resolveram não perdoar a postura inicial do time, e simplesmente não foi dia da bola entrar.

Andrade tentou melhorar a situação tirando Willians, dos poucos que realmente correu e buscou o jogo o tempo todo, para colocar Kléberson - uma substituição infeliz. Foi melhor a entrada, até tardia, de Fierro no lugar de Petkovic - mais uma vez o chileno conseguiu criar com Léo Moura jogadas seguidas pela direita, no pouco tempo que teve em campo. Mas a verdade é que a tensão foi batendo, em campo e nas arquibancadas, e no final o time lembrava o Flamengo de outros tempos: dependendo demais de seus laterais e até com Angelim revivendo seus dias de lateral-ala. Infelizmente, o resultado final também trouxe à memória aquele mesmo Flamengo que acostumou seus torcedores a terem sempre os pés atrás na hora de decidir.



* * * * * * * * * * *

Foi impressionante ver como o Flamengo insistiu em levantar bolas na área do Goiás, com a bola parada ou rolando, e não conseguiu uma só cabeçada que fosse - nem daquelas sem perigo.



* * * * * * * * * * *

Vou ser chato e insistir na ladainha: o campeonato está acabando. São poucos jogos, um momento histórico. Não é hora do Flamengo ter jogadores que deveriam ser decisivos se arrastando em campo - e isso fica ainda mais desagradável quando a gente lê que alguns deles não estão cumprindo a rotina de treinamentos que se esperaria numa hora dessas. O título ainda pode vir; não é nada impossível que o São Paulo volte a tropeçar e, sinceramente, até acho que vai acontecer. Mas não vai adiantar nada se o próprio Flamengo não trabalhar bem para fazer sua parte.

19 comentários:

Raphael Perret disse...

E já estou sabendo que Petkovic vai estar no Bem, Amigos amanhã. Ok, segunda não tem treino, etc. Mas o cara já foi no Jô, agora vai no Galvão... Não era hora de dar uma concentrada? A pisada na calçada da fama não poderia ser dia 7 ou 8 de dezembro? É chato ficar com essa patrulha, acho que ele tem todo o direito de fazer o que quer, mas pega mal. E não tem necessidade.

André Monnerat disse...

Perret, taí: tava justamente matutando aqui se escrevo ou não um post específico sobre isso.

Mas é fato que eu proibiria essa ida do Pet ao Bem Amigos amanhã. Pode até não ter tido nada a ver, quem sabe. Mas pra mim andou acontecendo sim coisa fora de hora essa semana.

Juan disse...

Isso não tem muito a ver. O jogador foi ao Jô na semana passada e, ainda assim, abriu o placar nos Aflitos.

O fato é que o ótimo desempenho da equipe no segundo turno a colocou nessa situação, a de jogar cada rodada sempre precisando vencer. Todo jogo é decisivo. E não é sempre que as coisas funcionam, que os time entra bem, que é possível ganhar trocentos jogos seguidos. É a tal da gordura do Luxemburgo. O Flamengo fez um primeiro turno muito magro. Essas arrancadas épicas, constituída só de vitórias, estão mais no imaginário da torcida do que num campeonato de pontos corridos equilibrado, que não perdoa quem joga mal. Agora, deixando o lado torcedor vir à tona, achei, sim, que faltou mais sangue nos olhos no primeiro tempo.

Raphael Perret disse...

Pois é, Juan, este que é o problema. Veja o Flu: ganhou oito jogos seguidos e não sai da Z-R. Com o Flamengo foi um pouco assim. E pra terminar a arrancada é preciso continuar ganhando, ganhando, e pra isso é preciso um aproveitamento quase sobrenatural. É possível, mas é muito difícil. A sorte é que acho que o time não perde muitos pontos nos dois últimos jogos. Mas o título ficou difícil, sim.

Bruno CML disse...

Andre, voce foi no jogo?

Se sim acho que foi voce que apareceu na transmissão do jogo pela SporTV, no intervalo momentos antes de passar os melhores momentos.

É obvio que foi frustrante mas nem de longe foi igual aquelas vergonhas do ano passado. O time jogou mal, acontece, mas correu, se esforçou. E meritos tambem pro Goias que é um time muito enjoado, acho que tinha muita gente achando que ia ser mole pela campanha dos caras no 2o turno, mas a real é que o problema deles era interno e nao tecnico, e uma hora eles iriam voltar a jogar bola, e um jogo decisivo como esse era o ideal (mesma coisa vale pro Corinthians, vao vim roendo o osso contra o Flamengo).

Murdock disse...

Pois é, me pareceu um clima de oba oba semana passada, por mais que se diga que não. Só se falava em mosaico, Maracanã lotado, calçada da fama e até do jogo do Botafogo, como se já tivéssemos ganho do Goiás, time bem enjoado e que bate direitinho. Agora é depender que eles façam o mesmo contra o SP, se não... Aliás, pra saber como o clima está de oba oba é ver como aquelas pessoas que nunca vão ao Maracanã, resolvem ir.

André Monnerat disse...

Bruno, não sei se fui eu que apareci na TV, mas fui ao jogo sim.

E insisto que, pra mim, o time andou no primeiro tempo. Foi muito, muito ruim mesmo.

E, além disso, nossos dois melhores jogadores jogaram claramente abaixo das condições físicas que deveriam ter.

Max disse...

O Pet devia ter sido sacado no intervalo do jogo, pra dar o exemplo. É INADMISSÍVEL o que ele fez ontem. Estou muito revoltado com esse gringo. E é bom lembrar que contra o Náutico, ele jogou muito mal tb. Fez um gol onde não teve méritos e sumiu o jogo inteiro (e um jogo relativamente fácil).

Nem me revolto com o Adriano não. Ele poderia ter participado mais do jogo, como fez nos Aflitos, mas a função dele é ficar ali na área mesmo. Estava numa noite infeliz, mas muito em função de bolas que não chegaram. E, bem ou mal, praticamente todos os lances de perigo passaram por ele.

O Pet, sim, está engasgado na minha garganta.

Renato Freire disse...

Concordo com o que escreveu o Juan, sobre a tal da gordura e sobre as arrancadas épicas. É muito difícil ganhar tudo. E, se o resultado foi frustrante, pelo menos o Flamengo não entrou de salto alto - apesar do primeiro tempo horrososo. Andrade e os jogadores sabiam que o time do Goiás é bom e nunca entrega a rapadura. Na última rodada do ano passado, num Bezerrão lotado de são-paulinos, os caras perderam só de 1 x 0, com gol do Borges em impedimento. Só espero deles, contra o São Paulo, na próxima rodada, o mesmo espírito de luta que exibiram no Macaranã. E que o Ronaldo Gordo não resolva arrebentar em Campinas.

Raphael Perret disse...

Duas coisas: uma é o oba-oba da torcida, que, infelizmente, é inevitável. Não tem jeito de controlar.

A outra é o salto alto e, francamente, não vi isso no time, nem durante a semana, nem no jogo. O time tentou, correu, foi raçudo, mas errou muito. Uma pena.

E concordo com o Bruno CML: não dá pra comparar o empate de ontem com as amareladas do Flamengo de outros anos. Ainda confio no time, que pode perfeitamente vencer Corinthians e Grêmio.

André Amaral disse...

Monnerat, não deu pra entender o time ontem!

A torcida estava a 500 km/h, ja cantava antes do jogo com a vitória do botinha e depois com o mosaico que arrepiou e botou o Maraca abaixo.

Agora o time não estava com sangue nos olhos, com aquela vontade absurda de vencer.

Pô, era a nossa final, a nossa decisão.

Quando o goleiro Iarley ficou fazendo cera por mais de 5 min, os jogadores do Flamengo ficaram parados, ngm chegou pra pressionar o juizão, ou se unir pra conversar e resolver os problemas.

Não é hora de caça as bruxas, procurar culpados, eu ainda acredito.

Estamos longe de termos o campeonato decidido.

Cidadão Rubro-Negro [Blog Oficial] disse...

Participe do Natal Cidadão Rubro-Negro. Você pode levar pra casa um Doblò 0km, o pacote Onde Estiver Estarei e uma camisa do Flamengo autografada.

Basta responder a pergunta:

Quantas bolas cabem dentro de um Doblô?

Mesmo se você não acertar em cheio, as 50 respostas que mais se aproximarem da certa ganharão 15.000 FLAs vermelhos.
Ou seja, de uma forma ou de outra você pode ganhar muito.

http://www.cidadaorubronegro.com.br/natal-cidadao-rubro-negro
SRN
Equipe Cidadão Rubro-Negro

Bosco Ferreira disse...

Ainda acredito!

Marcos Monnerat disse...

Eu concordo 100% com o que o Max disse. A atuação do Pet, dando as costas pro lance em todo o primeiro tempo é realmente inadmissível. Se está sem condições físicas de entrar em campo, que fique de fora, na boa.

E também não tiro o Adriano dessa reclamação não. Foi displicente em vários lances. Errava passes fáceis e botava a mão na cintura. Onde já se viu parar com a mão na cintura depois de um erro ao invés de correr pra tentar recuperar a bola?!?!

Agora, fica difícil, porque sabemos que na terça, Pet e Imperador serão liberados do treinamento para resolver problemas particulares. Pet vai pra programa de TV e Adriano vai continuar dando entrevistas dizendo que quer ser artilheiro e igualar récorde de gols do Zico.

Na boa, pra isso tem que treinar pelo menos a metade do que o Galinho treinava...

Eu ainda tenho esperança, mas tá difícil de acreditar.

Marcos André Lessa disse...

Pessoal, estive no jogo e o que se viu até alguns minutos do segundo tempo foi um time com a sensação de q ia ganhar a qq momento. Ninguém corria pra bater logo uma falta, não havia movimentação, parecia um desinteresse. Qdo bateu o desespero, o jogo mudou. É fato q Pet e Adriano estavam no pior de seus dias, seja por q motivo for.

E vamos combinar: o Goiás pediu pra perder. Errou muito, isolou bolas fáceis, era o adversário ideal pra esse domingo. Mas parece que o Fla precisa sempre estar com a corda no pescoço pra jogar sério. Entrar em campo depois da vitória do Botafogo foi um tiro no pé.

O Fla não tem moral alguma pra barrar o Pet em nada, já q ele só veio pra não botar o clube na justiça. E tb não tem moral pra enquadrar Adriano, q desde o começo recebe privilégios (de repente, foi uma das condições para acertar com o clube).

Minha esperança é o Andrade, q sabe como ninguém falar a língua dos jogadores e fazer o meio-de-campo com a imprensa e as demais pressões oba-oba ou depressivas.

Mas vcs imaginem como deve estar a moral dos são-paulinos. Devem estar pensando que, após essa rodada, ESTÁ ESCRITO que eles serão heptacampeões...

Flávio disse...

O Pet foi a Salvador na terça-feira gravar imagens para o filme "O Gringo", que ele próprio está patrocinando.
sexta-feira recebeu uma homenagem no Maracanã.
Se isso não é oba-oba, não sei o que é.
São duas semaninhas só. Os jogadores não aceitaram a proposta da diretoria de ir para longe do Rio.
O que vai acontecer? Imagina se a gente vence o Corinthians, o SP tropeça e aí... perdemos do Grêmio.
O Maracanã vem abaixo.

Folha disse...

O resultado de ontem selou nossa conquista.

Se o Flamengo assumisse a liderança agora os torcedores teriam saido do maracanã fazendo buzinaço, gritando é campeão, os jogadores dariam uma relaxada, embarcariam nessa da torcida e a gente entregaria o titulo na rodada final.

Vacilamos ontem mas vamos manter o mínimo de ansiedade necessária pra fazer nossa parte nos dois próximos jogos.

Apenas evitamos o já surrado oba-oba.

Régis disse...

Só acho que o comentario foi muito pessimista. Não há nada definido ainda nesse campeonato maluco e essa da torcida ficar com esse clima de velorio e pessimismo não tem nada a ver. O jogo era dificil e infelizmente não vencemos, mas não é hora de jogar a toalha.
VAMOS LÁ MAGNETICA.
Mengão sempre.
Abraços

Régis disse...

Só achei o comentario muito pessimista. Essa da torcida ficar com esse clima de velorio não tem nada a ver. O jogo era dificil e infelizmente não vencemos, mas não tá na hora de jogar a toalha. Esse campeonato está muto maluco e tudo pode acontecer.
VAMOS MAGNÉTICA
Mengão sempre...
Saudações Rubro Negras