Lembram da FlaTV?

Pra não deixar o blog sem atualizações, deixei programada a publicação sobre a vida sem Pet pra hoje de manhã, pois sabia que ficaria longe de meu computador durante todo o dia. Pelo trabalho, fui ao E-Mail Marketing Brasil, evento com palestras e debates sobre, bem, marketing via e-mail.

E lá estava presente, como um dos debatedores, Diogo Boni - diretor da DB4, empresa que toca a Timão TV e a FlaTV - lembram-se? Aquela que ia garantir dinheiro pro Flamengo comprar o Íbson. E o mote de sua presença por lá eram justamente as TVs online dos dois clubes mais populares do país.

Diogo deu o número de cerca de 4 mil assinantes para a FlaTV - um pouco abaixo dos 5 mil divulgados por um dos profissionais do marketing do clube no início do ano. E ressaltou que sua divulgação é apenas online (como estava num evento de e-mail marketing, não pude deixar de reparar que a FlaTV, na verdade, usa pouquíssimo usa base de cadastrados em ações do tipo - e apenas para promoções esporádicas, nunca falando de seu conteúdo). Lamentou-se de não ter podido usar espaços nas camisas do Corinthians ("hoje é um macacão de piloto, talvez só no Ronaldo sobrasse algum espaço, já que ele é maior") ou do Flamengo - "preferiram não divulgar um produto do próprio clube - cabeça de dirigente").

Em seu discurso, ele aposta muito na paixão dos torcedores para motivá-los a pagar pelo conteúdo que produz - e, pra colocar os 4 mil assinantes como um número de sucesso, os comparou com o número bem parecido de sócios que o Flamengo tem. "Num tempo bem menor, empatamos com um negócio que o clube já toca há 110 anos" - comparação bem esquista, não?

Aproveitei para perguntar-lhe sobre como ele vê a questão de se cobrar ou não por conteúdo online e se é possível montar um negócio do tipo bancado só por publicidade - é o tipo de dilema que já bateu às portas de gente grande e pequena de diversas indústrias, como cinema, TV e música, sem que ninguém ainda tenha chegado a uma solução. Não sei se vocês lembram, mas publiquei aqui um tempo atrás sobre a declaração do vice de marketing do Corinthians, que dizia que a Timão TV deixaria de cobrar pelo seu serviço.

Diogo Boni disse não acreditar ser possível viver só de publicidade, pois "as agências de propaganda ainda não mergulharam de cabeça neste negócio". Hoje, ele afirma que já há 70% de conteúdo aberto na FlaTV e cobra apenas pelo acesso a alguns tipos de vídeo, como os das preleções dos treinadores. Mas afirmou que já trabalha na migração para celular, um meio em que todos já estão acostumados a pagar por qualquer coisa, ao contrário da Internet.

Como já falei por aqui: não é mesmo uma questão simples, pra ninguém - FlaTV, estúdios de Hollywood, canais de TV, jornais, revistas, gravadoras...

* * * * * * * * * * * * *

A FlaTV é um assunto que parece meio esquecido mesmo, em meio a várias outras ações do clube - falta justamente um planejamento que integre todas estas iniciativas isoladas que vão surgindo. Vai entender, por exemplo, por que assinar a FlaTV não gera Flas no Cidadão Rubro-Negro? Na verdade, entre tudo o que pode gerar Flas no programa, não se vê a compra de nenhum produto oficial do clube - algo totalmente incompreensível. Não são parceiros do catálogo, para acumular ou trocar Flas, a FlaTV, a FlaShop, a FlaBoutique, o Onde estiver estarei - nada. Por lá, você é incentivado a comprar um grill Britânia, mas não uma camisa oficial do Flamengo ou um ingresso pro jogo de sábado. Sinceramente, escapa à minha compreensão.

Mas, voltando à FlaTV: se você entrar lá hoje, vai ver na home um banner divulgando o Nas Garras do Urubu, programa que foi comandado por Arthur Muhlemberg e não tem uma nova edição desde janeiro. Não vou entrar nem no mérito da qualidade dos vídeos, mas a impressão que passa é que a coisa realmente não está mais empolgando nem quem toca o negócio.

E, com tanto conteúdo aberto, falta ao site encontrar formas de espalhar estes vídeos. Não é possível embedá-los em lugar nenhum - se houvesse esta opção, eles poderiam estar nas matérias do site oficial, nas páginas do Cidadão Rubro-Negro ou mesmo nos blogs rubro-negros espalhados por aí, sempre carregando propaganda da própria FlaTV e seus patrocinadores. Na verdade, não encontrei de primeira nem mesmo uma maneira de pegar o endereço de um vídeo específico para passar para os amigos ou linkar em um post. Falta o básico do básico - quanto mais coisas como RSS ou ferramentas para compartilhar conteúdo em Twitter, Facebook o que seja.

É uma pena - ainda mais quando pensamos que é algo que foi lançado como a solução para dar a independência financeira do futebol do Flamengo.

11 comentários:

Eduardo Matheus disse...

Pensei que este texto fosse me animar a assinar a 'Fla-tv'...

JLD disse...

Concordo em gênero, número e grau, André. Mas acho também que grande parte da culpa por essas ações acabarem esquecidas vem da torcida. Sempre tento ajudar o clube. Em 2008, comprei duas camisas oficiais e assinei a FlaTV pelo ano todo. Em 2009, já comprei mais duas camisas e me tornei Cidadão Prata. Passo emails quase que semanais para meus amigos rubro-negros e me pergunta quantos deles se animam a fazer o mesmo? NENHUM. No máximo, compram uma camisa quando sai promoção, como as das saídas de Nike e Olympikus Tube. Quando pergunto a respeito, falam que não vão dar dinheiro pra essa diretoria corrupta, mas também não querem se tornar sócios pra tentar mudar isso.

JLD disse...

Concluindo, é muito a mentalidade de brasileiro mesmo, as coisas tem que melhorar, mas não querem contribuir em nada pra isso. A culpa é sempre "deles" e seus pecadilhos, como jogar lixo no chão, comprar meia entrada com carteira falsi, etc., são apenas uma forma de protesto pelo arrocho causado pelos corruptos. É por isso que este país não anda...

Fabricio C. Boppré disse...

É isso aí mesmo. Mas a pergunta inicial é: o Flamengo tem alguém lá dentro que percebe isso? Que entenda de TI, de internet? Esse seria o profissional que deveria encaminhar a organização/integração/divulgação dessa ações todas, junto ao departamento de marketing. Ao menos o site oficial, que já foi uma bagunça, está melhorando.

André Monnerat disse...

JLD, acho louvável sua disposição em ajudar ao Flamengo - mas você deve ter sempre em mente que você é exceção. O normal não é gastar dinheiro só pra "ajudar". As pessoas, de modo geral, têm seu orçamento limitado e gastam seu dinheiro com o que acham que vale a pena.

É preciso ter essa visão - de tratar o torcedor como cliente. E seu cliente só continua seu cliente se o serviço estiver sendo bem prestado. Quanto mais os produtos contarem só com a paixão e a boa-vontade dos torcedores, menos eles vão dar certo.

Tiago Cordeiro disse...

Desde o início, sempre achei esse projeto meio "antiinternet". Lembra um pouco a "TV O Dia" que a mesma empresa ajudou o jornal a criar, mas que tinha pouco mais doq streaming.

Marcos Monnerat disse...

Bom, eu concordo com essas coisas todas, menos com o fato de que o torcedor tem que gastar dinheiro com o clube apenas para ajudá-lo. O clube que tem que oferecer produtos e resultados que empolguem a torcida a gastar com ele.

Mas o fato é que de uns tempos pra cá, pelo menos, o clube começou a se mobilizar para aparecer na frente do torcedor. Seja com a FlaTV, com o Cidadão Rubro-Negro, com as ações da Olympikus, a FlaShop... Agora vem a mega-loja na Gávea e o museu do Flamengo.

Acho que o momento é realmente trabalhar para integrar essas coisas todas, como o André falou bem. E trabalhar pra manter as iniciativas atualizadas. Realmente deixar na home da FlaTV chamada para um programa que nem existe mais desde janeiro é grave...

Lucas Mendes - DF disse...

André,ontem estava eu quase assinando a FlaTV mas me deparei com conteúdo pobre e sem nenhum diferencial para quem a banca, no caso nós, os Flamenguistas.Na boa, essa gestão de MKT do Fla é absurda!São bem intencionados,mas não conseguem fazer direito.Como é caso da FlaTV e Cidadão Rubro-Negro.O que me leva ser cidadão prata ou ouro para trocar meus Flas por sanduicheira elétrica???Tive uma esperança que isso iria mudar com a candidatura do JH Areias, mas meus sonhos foram por água abaixo.

Rodrigo Machado disse...

Concordo com os pontos negativos da Flatv que foram aborados, como propaganda de um programa desatualizado, falta de interação com outros programas do clube, como o cidadao rubro-negro.
Mas acho que a idéia é muito boa e o preço não é alto (nem pra mim, nem para a maioria dos que acessam a internet). Sou assinante e de vez em quando entro na Flatv para ouvir a preleção.
A idéia de liberar uma parte do acesso e segurar outra (como preleção, por exemplo) só para assinantes é boa, pois tende a motivar a assinatura pelos não assinantes.
Muitas coisas podem melhorar e o melhor local para dar essas idéias é no próprio site do FlaTv. Já fiz algumas sugestões para o site da Flatv e do Cidadao Rubro-Negro e em todos os casos obtive resposta. Não necessariamente a que queria ouvir, mas pelo menos sei que estão lendo e pensando no que foi sugerido.

Régis disse...

É impressionante mesmo o amadorismo que impera no Flamengo. Vira e mexe aparece uma ideia como promessa de arrecadar rios de dinheiro, ideias que logo são abandonadas por incopetência dos seus dirigentes. O exemplo dado da falta de integração entre os programas lançados, realmente é impossivel de se entender. Haja amadorismo

Anônimo disse...

Essa MB4 é dona da FlaTV

WWW.twitter.com/FlaTV