A carreira de Gil, reforço apresentado hoje pelo Flamengo

"Gil é melhor que Kaká. A imprensa defende o São Paulo, por isso fala essa bobagem."
A declaração acima foi dada por Antônio Roque Citadini quando era vice de futebol do Corinthians. O Gil a que ele se refere é o mesmo que o Flamengo apresenta hoje como reforço para o ataque. Hoje, soa como piada; na época... Bem, na época também soou como piada. Mas é fato que Gil apareceu bem por lá no início de sua carreira. O que aconteceu de lá pra cá para que hoje ele esteja tão em baixa assim?

Gil começou a ganhar espaço no Corinthians em 2001, quando o time foi campeão paulista e ele disputava posição com Paulo Nunes. Em 2002, já era titular nas conquistas do Rio-São Paulo e da Copa do Brasil e ganhou a Bola de Prata de Placar por seu desempenho no Brasileiro. Em 2003, o auge: foi convocado por Parreira para a Seleção Brasileira, fez gol em sua estreia em um amistoso contra a Nigéria e esteve no grupo que disputou a Copa das Confederações.

Ainda tinha moral no Parque São Jorge quando Kia e companhia desembaracaram por lá, em 2005, e começaram a trazer reforços a torto e a direito. Com a chegada de Tevez, perdeu espaço e acabou vendido para o Verdy Tokyo. Foi o início da decadência.

Primeiro, viu seu time ser rebaixado para a segunda divisão do campeonato japonês. Voltou em 2006, contratado pelo Cruzeiro, que pagou US$600 mil pela metade de seus direitos. Foi campeão mineiro e titular nos 30 jogos em que esteve à disposição, mas fez apenas 8 gols e saiu vendido por 800 mil euros para o modesto Gimnástic Tarragona, que havia acabado de subir para a primeira divisão da Espanha. E, em sua segunda experiência no exterior, foi rebaixado pela segunda vez. Por lá, chegou a ser improvisado até como lateral esquerdo e não fez nenhum gol.

Quando o Inter o contratou, depois do contrato com o Gimnastic ter sido rescindido, havia expectativa ainda de que ele pudesse ser importante. Mas, com concorrência pela posição, nunca conseguiu se firmar. No ano passado, já andava sendo excluído até do banco quando foi emprestado ao Botafogo - onde fez um belo gol de cobertura na estreia e nada mais. Os alvinegros o devolveram a Porto Alegre, onde já treinava em separado desde abril. Hoje, Gil justifica o mau rendimento dizendo que andava com problemas pessoais, tanto no Inter quanto no Botafogo.

* * * * * * * * * * * * *

É este jogador, que não dá certo em time algum desde 2005, que chega agora ao Flamengo como uma opção a mais para o ataque. Pode dar certo? Depois de Petkovic, está todo mundo com medo de fazer qualquer previsão. Mas não parece mesmo provável que ele de repente comece a jogar tudo o que não jogou nos últimos anos.

Por outro lado, ele está vindo de graça, para uma posição onde o Flamengo está não só contando com as más atuações de Dênis Marques, mas também sem opções de banco (noves fora a presença no elenco de Maxi Biancucci, que teve o contrato incompreensivelmente renovado por Kléber Leite e hoje tem problemas para arrumar espaço até por ser estrangeiro, graças à presença no elenco de Pet, Maldonado e Fierro). Ele é um segundo atacante, no estilo que Andrade está procurando para jogar com Adriano. Se o salário for baixo, a aposta ao menos não deve fazer mal, por mais que ele passe desapercebido.

Sobre isso, Marcos Bráz deu uma declaração sem pé nem cabeça no fim da semana passada, dizendo que iria discutir a forma de remunerar o novo contratado com o elenco. Fora o absurdo deste tipo de possibilidade ser cogitada, o bizarro é que a entrevista ocorreu depois do nome de Gil já ter aparecido no BID da CBF - ou seja, depois do contrato já ter sido assinado. Coisa de maluco.


* * * * * * * * * * * * *

Pedi alguns depoimentos sobre Gil para botafoguenses e colorados, que o tiveram em seus elencos nos últimos  tempos. Eis a opinião do Tiago Vaz, do site Supremacia Colorada - o mesmo que havia feito elogios ao Álvaro aqui pro SobreFlamengo, na época de sua contratação:
Bah Tchê....
Boa sorte pra vocês. Com o Gil vocês vão precisar.
Aqui o Gil não jogou nada. Na verdade, nem tentou jogar

A opinião do botafoguense Danilo Fiani:

Cara, a passagem dele pelo Bota foi recebida como uma importante peca pra compor a ponta. Nada jogou. Desinteressado, sem vibracao e fora de forma, foi dispensado antes da temporada terminar, pelo que bem me lembre.

E a do também alvinegro Cláudio Câmara:

Realmente o Gil foi um fiasco no Botafogo. Se não me engano ele só foi contratado graças ao Carlos Alberto, que é o melhor amigo dele. Me admira ele não ter ido para o Vasco. Quando ele foi contratado, eu achei que tinha sido uma boa, porque lembro dele jogar muito bem no Corinthians e bem no Cruzeiro. Mas ele esqueceu o futebol no passado. Fez poucas partidas como titular e quando fez parecia sem vontade e fora de forma. Estava extremamente fominha e era sofrível nos passes e nas conclusões.

Animador, não?

9 comentários:

Ique Muniz disse...

Concordo com a análise, André... Muito válida. No entanto, acho que devemos deixar o passado sombrio do Gil de lado um pouco pra tentar apostar nele. Eu o acho bom jogador também, teve ótimas fases no Corinthians e Cruzeiro e veio com um discurso animador de recuperar o bom futebol. Acho que esses caras quando passam tempo na geladeira como foi no Inter, tendem a voltar mais afim. Com Adriano do lado, então, até eu jogava!

Raphael Perret disse...

Também prefiro ser otimista quanto ao Gil. Eu o achava muito bom no Corinthians, o melhor dos três atacantes do time campeão do Rio-SP e da Copa do Brasil de 2002 (os outros eram o Deivid e o Leandro, ex-Flu e ex-SPFC).

Quanto à declaração do Marcos Braz... Que venham as eleições e um novo manda-chuva no futebol, pelamordiDeus!!!

Anônimo disse...

Não só o Pet como exemplo, mas principalmente o Alvaro.

Tomara que dê certo, Gil mais veloz, pode ser útil ao ataque.

Prefiro ter essa visão otimista.

Agora é ridiculo essa hipótese do Braz em consultar os jogadores. Essa "democracia" é irritante.

Marcelo Constantino disse...

É uma aposta, e que depende muito mais do jogador. É como se fosse a última chance dele. Vamos ver, até o D. Marques é esforçado porém ruim. E ao menos o Gil um dia já foi bom jogador...

E realmente, por mais que não veja muita coisa nele, não vejo pq o Maxi está congelado como reserva do reserva (se tanto). Mas esse é outr ponto.

Bosco Ferreira disse...

O Pet e o Álvaro, pelo menos são motivados e mostraram todo o seu profissionalismo. O Gil ao que parece não desaprendeu. Perdeu foi a motivação. Que tal um acompanhamento psicológico no cara?

Raphael Perret disse...

Putz, Marcelo, AINDA BEM que o Maxi tá congelado lá na reserva do reserva. Deixa ele lá, deixa... :)

Bosco Ferreira disse...

QUATRO MESES DESATIVADOS?
Quem agüenta?
Sobre as possiveis mudanças que a globo quer fazer no brasileirão utilizando o sofisma de que a copa do mundo, Libertadores, Sul Americana, são também eliminatórias: Eu digo que Copa do Mundo, Libertadores não sâo campeonatos, são torneios.

Quanto ao brasileirão, como ficarão os clubes que vão caindo? Pagarão a fôlha com qual recurso? Mata mata dá mais lucro? Só se fôr para a globo!

O Vasco da "goma" botou 80 mil pagantes contra o Ipatinga sem ser final!

Os clubes terão sérios prejuizos. Alguns esfacelarão os planteis e entrarão novamente sem nenhuma base no ano seguinte, enquanto os oito finalistas, somente eles, poderão manter uma base.

Alem do mês de DEZEMBRO (férias), e JANEIRO (pré-temporada), ainda teríamos OUTUBRO e NOVEMBRO sem jogos para os que ficarão fora do grupo dos oito finalistas.

Será cruel para os que NÃO ficarem entre os oito, e para o torcedor que ficará QUATRO MESES sem ver jogos de seu time que provavelmente estará DESATIVADO E VENDENDO AS PROMESSAS PARA PAGAR RECISÕES.

A Globo faz você de Bôbo!
Bosco Ferreira

Gabriel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos Monnerat disse...

Aí André, não acha que é o caso de moderar o comentário do Gabriel? Uma propaganda clara do Cidadão Rubro-negro nos comentários de um texto que não tinha nada a ver com isso!!! Fala sério!!!

Voltando ao tema, não acredito em Gil.