O adversário de hoje

Não há dúvidas: a partida de hoje à noite contra o Inter é, até agora, o mais importante desafio do Flamengo até agora em 2009. 

Mas, se é uma prova de fogo para o Flamengo, dá pra dizer que também o é para o Inter. A equipe de Tite tem sido muito comentada como favorita ao título do Brasileiro e da Copa do Brasil, um timaço. No papel, até é mesmo, e os resultados deste ano têm sido bons. Mas a verdade é que, até agora, não passaram por nenhum grande teste - apenas o fraco Campeonato Gaúcho e adversários de segunda linha na Copa do Brasil (com direito a perrengue para eliminar o União Rondonópolis). No domingo, golaço-aço-aço de Nilmar à parte, todos os comentários foram de que o time reserva do Corinthians impôs ao Inter uma enorme dificuldade. E bem: no ano passado, o time já tinha Nilmar e D´Alessandro, além de Alex, que já foi embora e era apontado até como o seu principal jogador. E isso não foi o bastante para que a campanha no Brasileiro fosse a esperada.

Vejam bem: não duvido que Tite finalmente tenha encontrado a melhor forma do time jogar, que o entrosamento tenha chegado e que agora o Inter se torne uma máquina. Ele tem jogadores pra isso. Apenas quero vê-los sendo testados pra valer, antes de acreditar pra valer nisso aí. E hoje é dia.


* * * * * * * * * * * * * * 

O Inter vem completo, sem desfalques. Não vi o time jogar ainda este ano, mas pelo que falam por aí, dá pra imaginar como vão jogar.

A defesa é com dois zagueiros, um lateral que praticamente não apóia pela direita (Bolívar, que deve bater de frente com Juan o jogo todo) e outro que já sobe mais pela esquerda (Kléber, que teve uma temporada terrível pelo Santos ano passado, mas continua sendo o titular da Seleção de Dunga).

No meio, Sandro é o cabeça-de-área mais fixo, o cão de guarda. Mas o time tem outros dois volantes, Guiñazu e Magrão. Sabem jogar, vão ao ataque, até fazem seus gols de vez em quando. Mas são volantes, especialistas na marcação. A criação mesmo fica por conta de D´Alessandro, e a grande dificuldade que o Inter teve ano passado foi conseguir com que ele participasse do jogo com mais intensidade. O adversário que conseguia tirá-lo do jogo fazia com que o ataque ficasse isolado - e eis aí uma boa missão para o Flamengo hoje. Meu palpite é que Willians será o carrapato atrás do argentino (é bom que consiga não levar cartão amarelo rápido demais, como aconteceu no Mineirão).

Pra resolver este problema de seu time, dizem que Tite tem conseguido com que o time faça a mesma marcação por pressão no campo ofensivo que implantou no Grêmio campeão da Copa do Brasil, seu melhor trabalho na carreira. Mas, hoje, pelo tamanho do campo do Maracanã e pelas características do jogo, é provável que não usem esta tática com a mesma intensidade.

E o temível ataque colorado é formado por Nilmar, que dispensa apresentações, e Táison - que é, na verdade, o artilheiro do time na temporada. Mas é garoto, só ganhou a posição de titular após a saída de Alex e ainda precisa de mais tempo, e mais jogos duros, pra confirmar que é isso tudo mesmo. Assim como pra seu time, Táison terá hoje à noite um bom teste pra mostrar se merece os elogios que vem recebendo.

Um comentário:

Mário Teresa, disse...

Onde que eu assino?
É justamente isso que tenho dito a semana toda... todo ano os caras da imprenssa "inventam" um time queridinho.
Hoje vamos ver se o Inter é isso tudo mesmo.