Dá pra lutar por mercado com os paulistas?

Se nada acontecer de diferente, hoje é o dia em que deve sair a aprovação pelo Conselho Deliberativo do contrato com o novo patrocinador do Flamengo. Quem é, quais os valores - não sei ainda. Mas a notícia não deve demorar muito pra sair. Fico curioso até pra saber se a nova camisa da Olympikus, que será apresentada para aprovação na mesma reunião, já será exibida com a logo da nova empresa parceira.

Já havia impaciência entre os torcedores pelo fechamento do novo contrato. Mas a verdade é que não é mole fechar um acordo deste tamanho com o ano já em andamento - as empresas precisam acomodar uma quantia perto de R$20 milhões em um orçamento já aprovado anteriormente, o que nem sempre é tão simples assim. Além disso, embora o Flamengo seja o dono da maior torcida do país, temos que encarar um fato: o mercado preferencial da enorme maioria das grandes empresas é São Paulo, e os times de lá já largam em vantagem na competição. 

Como já escrevi aqui: se há um clube de fora de São Paulo que pode reverter esta desvantagem, é obviamente o Flamengo, pelo caráter nacional que tem. Mas, pra isso, é preciso encontrar maneiras de explorar este potencial e realmente colocar sua marca pra trabalhar fora do mercado do Rio - algo que a diretoria, até hoje, deixou que acontecesse apenas por inércia, sem realmente fazer um trabalho pensado para isso.

Mas, fora trabalhar Norte, Nordeste e Centro-Oeste, há algo em que o Flamengo deveria pensar com mais seriedade para ajudar a bater de frente com seus rivais paulistas: como aumentar sua presença no próprio mercado de São Paulo. Conseguindo ser mais atuante na casa deles, o Flamengo já teria mais facilidade em dobrar a resistência do pessoal do marketing de possíveis parceiros e patrocinadores em investir num time de fora da capital econômica do país.

É possível? Bem, potencial para aumentar o que o Flamengo já tem por lá existe. Segundo pesquisa do DataFolha do ano passado, 2% dos moradores da capital paulista são rubro-negros. Pode parecer pouco - mas o Santos tem 5,9% das preferências, só 4% acima no total, e a Portuguesa tem apenas 0,3% (lembrando: estes são dados apenas para São Paulo-capital, excluindo o interior do estado).  Uma mostra do poder da torcida do Flamengo em São Paulo aconteceu no último jogo pelo Brasileiro, em que o time da casa esteve em minoria nas arquibancadas de seu próprio estádio - sem surpresa nenhuma.

E o que fazer pra entrar no mercado paulista? É complicado. O fim do Rio-São Paulo, por exemplo, foi péssimo para este tipo de pretensão - os dirigentes do Rio, se fossem espertos, lutariam para tentar trazer de volta o torneio ao calendário, para aumentar sua exposição em São Paulo e melhorar suas posições no ranking da Informídia. Trata-se da empresa que faz o levantamento do valor da exposição de mídia de cada clube do país - e como o espaço publicitário em São Paulo é muito mais caro do que em outros mercados, os times de lá ficam sempre bem na fita. E isso conta, e muito, na hora de convencer um executivo de marketing de uma empresa a aumentar o valor do patrocínio. Não à toa, o Palmeiras, líder do ranking ano passado, conseguiu este ano um contrato com a Samsung tão bom quanto o do São Paulo com a LG.

Sem Rio-São Paulo, é preciso ser criativo e "guerrilheiro" pra tentar cavar um espaço maior no mercado paulista. Pré-temporada por lá, por exemplo, ajuda a deixar o time mais próximo da imprensa local. Uma assessoria de imprensa preocupada em trabalhar com o pessoal de lá seria também importante. A Internet está aí pra isso, também - há como buscar um contato melhor com os rubro-negros paulistas desta maneira, fazendo eles viverem mais o Flamengo, ativando este mercado potencial por lá. E há as embaixadas da Nação - por enquanto, apenas uma em São Paulo (que até fez um bom papel ao facilitar aos flamenguistas de lá conseguirem ingressos para a partida em Santo André). Por que não aumentar este número, e fortalecer o relacionamento com elas?

Um comentário:

chucho_valdez disse...

Pra conseguir espaço em Sao Paulo o Flamengo deveria primeiro pagar sua monstruosa divida, Essa fama de time caloteiro e falido acaba com qualquer marketing...