Adeus para Obina

Ao que parece, a história de Obina no Flamengo se encerrou de maneira triste no gol bizarramente perdido em Santo André. Foi seu último chute a gol com a camisa rubro-negra - e ele acaba realmente deixando o clube sem fazer um golzinho sequer em seu último ano na Gávea.

Quem lê este blog sabe: eu gosto do Obina. Sempre gostei, desde os tempos de Vitória, e sempre tive paciência nos seus momentos ruins no Flamengo. Na verdade, até o ano passado, sempre via uma desculpa que justificasse estas fases de baixa: ou estava voltando de contusão, ou estava sem ritmo de jogo por conta de escolhas ruins dos técnicos, que colocavam outros em seu lugar...

E, até este ano, ele sempre deu voltas por cima improváveis que davam força a este meu julgamento. Foi assim do meio pro fim de 2006, foi assim no final do ano passado. No início de 2007, quando estava mesmo em grande fase, poderia ter saído em alta - mas uma contusão, no momento de um gol contra o Vasco, o impediu de partir para a Rússia.

Mas 2009 é o ano em que não há desculpas para Obina. Ele não se contundiu, chegou de férias em forma, fez pré-temporada, teve confiança e paciência quase ilimitados de Cuca. Mas desperdiçou tudo isso. De início, as atuações nem eram ruins, mas o gol não saía; com o tempo, sei lá o que deu nele que foi tudo ladeira abaixo: jogos cada vez piores, lances cada vez mais esquisitos, impaciência cada vez maior da torcida. E nada de gol. Indefensável.


Pro Flamengo - é bom?

Como Josiel também está de saída, o Flamengo ficará sem um centro-avante para o banco de Adriano (estou mesmo desconsiderando o tal Arthuro). Mas não fazia mesmo sentido pagar tão caro por um reserva, ainda mais na situação bizarra em que se encontram as contas do Flamengo. A saída de Obina é boa porque serve pra aliviar a folha - seu salário é alto, graças ao momento em que seu primeiro contrato foi feito (ele vinha como grande revelação do Vitória, disputado com o Corinthians) e à boa fase na hora da renovação - e porque estava mesmo complicado de esperar que viesse mais uma volta por cima. De todas as fases ruins de Obina no Flamengo, esta é a pior. E a impaciência da torcida só dificulta.


Pro Palmeiras - faz sentido?

Na falta de Alex Mineiro, que foi embora no início do ano, o Palmeiras já vinha mesmo buscando um centro-avante, um homem mais de área para seu ataque, formado apenas por jogadores leves. Andaram falando em Kléber Pereira, do Santos. O nível depois baixou para Reinaldo, ex-Botafogo, reserva do Grêmio, e outros nomes do gênero.

A aposta em Obina, tá na cara, é justificada pela pretensão de Luxemburgo de ser um grande recuperador de jogadores. Volta e meia ele tenta uma dessas: quando dá certo, nem que seja por um tempo, ele fica com a fama; se não dá, ninguém liga muito, porque já não acreditava no cara mesmo. Esta vai ser mais uma tentativa de Luxemburgo fazer seu márquetim.

E há uma vaga sobrando no ataque do Palmeiras, pra alguém se firmar ao lado de Keirrison - até Diego Souza o treinador já colocou na frente. Aposto que Luxemburgo vai dar a Obina muitas chances, pensando mesmo na possibilidade de torná-lo titular se corresponder. E realmente acredito (segurem os risos!) que ele tem potencial pra ser um jogador bastante útil em qualquer time do país. Mas não na fase em que está. Vamos ver agora qual o tamanho do peso o que o Flamengo colocava em cima do cara. Se ele entrar e jogar bem de primeira, vai ser algo de coçar a cabeça. Mas se começar jogando o que vinha jogando, é capaz de já ficar marcado por lá de primeira também e ter dificuldades de se encaixar no time.



Pra Obina - é bom?

Como já havia escrito aqui: pra Obina, era hora mesmo de procurar outros ares. A fase já era horrorosa e a carga em cima dele era muito grande para tentar se recuperar dentro do próprio Flamengo. Sem a torcida bufando atrás dele, em um outro ambiente, com um técnico que já inspira confiança em quem chega - quem sabe ele não consegue ganhar nova vida? É a chance que ele tem. Por lá, o lado "xodó" não existirá - e isso, pra ele, é bom. Essa coisa do folclore até lhe ajudou em determinados momentos, mas atrapalhou em outros tantos. Inclusive agora.

Fico sinceramente com pena de vê-lo partir, mesmo vendo que é o melhor pra todo mundo. É um lado meu que sente falta de jogadores que conseguem se identificar com um clube, fazer uma história. Nunca esquecerei minha filha, então com 6 anos, gritando o nome dele no Maracanã, pedindo sua entrada contra o Coronel Bolognesi, pela Libertadores - e o sorriso no rosto dela quando Obina realmente fez seu gol, justificando o grito da menina.

Este ano, infelizmente, Obina jogou fora a chance de firmar de vez seu nome na Gávea, e está saindo por baixo. Não sei até que ponto terá gente guardando, de maneira feliz, os momentos de seus gols decisivos. O meu preferido é este: o gol contra o Vasco, na primeira partida da final da Copa do Brasil de 2006. Ele havia acabado de entrar, fez um gol e participou em seguida, com um belo passe de primeira para Léo Moura, da jogada do segundo. Decidiu o último título nacional que o Flamengo ganhou.






Bom, pode também não ser definitivo.

Afinal, ele está indo embora por empréstimo...

9 comentários:

Marcos Monnerat disse...

Bom, eu também sou fã do Obina, tô com o sentimento de que ele vai se dar bem no Palmeiras. Espero que não contra o Fla, pelo menos.

De qualquer forma, se ele for bem lá, vai ser bom pro Fla, que, ou terá ele de volta em melhor fase ou conseguirá uma grana pela sua venda. Pro Palmeiras ficar com ele em definitivo teria que pagar R$4 milhões.

Flora disse...

Idem. Seu post diz exatamente o que eu sinto.
Eu gosto do Obina e lamento que ele esteja saindo assim.
Mas acho bom pra ele e pro clube tambem. se vai ser bom pro palmeiras é que ninguem sabe.

Só fico um pouco chateada pq ele merecia um pingo de respeito do torcedor.
Entendo ficar puto, criticar pq ele ta numa fase bosta mesmo. Inclusive nem deveria ter sido escalado nesses ultimos jogos.
Mas sei que isso é dificil, principalmente pra uma torcida como a nossa, que endeusa e destroi jogadores facilmente, as vezes sem nenhum motivo racional aparente (tipo emerson que a torcida tem a maior paciencia do mundo por nada...e o kleberson, que mesmo quando vai bem injustificadamente tem boa parte da torcida que pena no pé). Enfim, misterios que só uma torcida tão bipolar como a nossa pode criar.

Entendo ficar puto, criticar pq ele ta numa fase bosta mesmo. Inclusive nem deveria ter sido escalado nesses ultimos jogos.
Mas as vezes as pessoas pegam pesado demais.

Max disse...

"Fico sinceramente com pena de vê-lo partir, mesmo vendo que é o melhor pra todo mundo. É um lado meu que sente falta de jogadores que conseguem se identificar com um clube, fazer uma história"

Falou tudo nessa muito feliz frase. É como me sinto também.

Pablo Alcântara disse...

A escalação do Obina no jogo contra o Inter foi suicida. Aliás, a dele e, menos um pouco, a do Zé Roberto. Depois da vaia e do xingamento que ele levou no Maracanã, o Cuca quis redimir o cara, imaginando que ele faria um gol salvador no Sul. Loucura. Falta de usar a razão. A fase dele não é boa. Ele tem insistido em se jogar e há motivos: está sem força muscular, pesado e a capacidade técnica está em baixíssimo nível. Pra mim, já vai tarde.

André Monnerat disse...

Flora, concordo com isso do respeito. Hoje, a manchete principal na primeira página do Expresso (que, beleza, não é pra levar a sério) é "Obina já vai tarde".

Pablo, veja você: eu nem achei que ele foi tão mal contra o Inter. Pra mim, não comprometeu. Se fosse o Emerson que tivesse a mesmíssima atuação, ninguém falaria nada. E o Zé Roberto, enquanto esteve em campo, pra mim foi bem.

Mesmo no Maracanã, no primeiro jogo contra o Inter, as vaias ao Obina foram um negócio pra mim totalmente fora de proporção pro que ele tava jogando.

Mas quando o cara tá marcado, não tem jeito. A Flora foi muito feliz no comentário dela sobre as cismas da torcida.

Tiago Cordeiro disse...

Flora (kd vc, menina?), eu concordo com você. Mas acho que faltou um pouco de sorte e de simancol. O Cuca insistiu demais com o Obina que acabou assumindo dois ônus: o de estar mal e o de ser escalado. Foi demais.

Eu acho que ele foi bem contra o Inter. Sério, depois de cinco meses não esperava gol dele e sim que abrisse espaços, segurasse a bola e ajudasse a marcar na frente. Isso ele fez.

Agora, conforme já disse antes: irritou muito, por exemplo, aquele chute desnecessário em um momento que precisávamos prender a bola. Acho que foram por lances assim que a torcida foi se enchendo com o Obina. O chute contra o Santo André foi um exemplo. Naquela fase ele tenta um chute improvável...

Enfim, começou com azar, mas a partir daquele pênalti contra o Bota, pra mim, foi se tornando um misto de incompetência com afobação resultando em lances absurdos como aquele gol perdido contra o vasco.

Eu também fico triste, mas acho que foi o melhor pra todo mundo. Também acho uma baita besteira vibrar, comemorar, etc. Eu desejo boa sorte e vou torcer por ele.

PS: Lembrando que após semanas sem marcar gols, o Roni marcou o seu no primeiro jogo pelo Cruzeiro. Se o Obina fizer isso nem sei o que pensar...

André Monnerat disse...

Bom, eu discordo quanto ao "chute improvável" contra o Santo André. Ele tinha mais é que chutar de primeira mesmo, antes que alguém fechasse em cima dele. Se tentasse matar e um zagueiro bloqueasse o chute, ia todo mundo dizer que não tinha nada que dominar a bola, que tinha que dar um bico pra dentro do gol. O negócio é que ele errou um chute fácil, de maneira bizarra.

Agora, se o desempenho dele fora do Flamengo for como o do Roni, independente de gol na estreia... A galera que tá soltando fogos por ele ir embora vai ficar é com a razão.

Folha disse...

Os que me conhecem sabem eu ODEIO o Obina, sempre odiei, inclusive nas fases boas.

Calazans definiu perfeitamente que "ele faz coisas alheias ao jogo de futebol".

Fico feliz dele ter ido embora.

"É um lado meu que sente falta de jogadores que conseguem se identificar com um clube, fazer uma história"

Concordo plenamente, mas pq não pode ser assim com quem saiba jogar futebol.

A parte sobre sua filha (pro meu orgulho, minha afilhada)faz com que, finalmente, eu entenda definitivamente sua insistência com ele.

Anônimo disse...

EU como corinthiana devo dizer que eu odeio o Obina,é sério 3 gols,foi demais