Você paga pra cortar o cabelo? Pois tem quem receba pra isso

Tem um tempinho, andaram saindo por aí alguns artigos de jornalistas de nome criticando Ronaldo pelo comercial em que se diz "brahmeiro". Um atleta se ligando dessa maneira a bebida alcóolica? E o exemplo para os jovens? E foi Juca Kfouri, se não me engano, quem perguntou: "ele precisa disso?"

Esse fim de semana, acho que vi uma versão do anúncio sem a assinatura com Ronaldo de copo de cerveja na mão, dizendo apenas que é "guerreiro". Parece que aliviaram a coisa.

Mas seguindo no papo do "e ele precisa disso?".

O Corinthians firmou agora um contrato com a Bozzano, que passará a estampar sua marca nas mangas do time até o final do ano. A empresa está pra lançar no mercado suas lâminas de barbear, para concorrer com as da Gillette. E está empolgada com o uso da imagem de Ronaldo (que ficará com 80% do valor do contrato) para tentar bater Kaká, Henry e Federer, garotos-propaganda do concorrente.

A ideia que surgiu é colocar Ronaldo de cabeça raspada, como ação para divulgar o novo produto.

Só que, por enquanto, Ronaldo não pode raspar a cabeça - porque já tem outro contrato para divulgar o tônico capilar Crescina, que impede que ele volte a ostentar a careca de outrora. Assim, a ação vai ter pelo menos que esperar um tempinho pra poder acontecer.




E essa dublagem, hein?


E num mundo em que o Fenômeno, que já ganhou dinheiro para as próximas 17 gerações de sua família, não pode nem cortar o cabelo como bem entende porque está amarrado a seguidos contratos publicitários até pra isso, é óbvio que a gente vai sempre duvidar de qualquer jogador que venha dizer que ficará em seu clube só por "amor à camisa".

E é por isso que nenhum rubro-negro, hoje, coloca a mão no fogo pela presença de Emerson no time ao longo do Brasileiro. Que dirá Adriano...

7 comentários:

Alan disse...

Po... eu acredito em ambos...

Max disse...

Nada a ver...

Ronaldo sempre foi mercenário, isso é óbvio. Agora generalizar todo mundo com base nele é absurdo.

Romario cansou de dar exemplos que dinheiro não era tudo, Ibson (se pudesse) não sairia do Flamengo, e posso queimar a cara, mas acredito em ambos sim, tanto Adriano quanto Emerson.

A própria recisão de contrato por parte do Adriano já é uma mostra clara que ele não é Ronaldo.

André Monnerat disse...

Só pra dizer: eu até acho que os dois vão acabar ficando no Flamengo mesmo.

Mas o fato é que já vi de tudo nessa vida e não me surpreendo com mais nada.

thiroux disse...

Adriano, Romário... com certeza não botam o dinheiro acima de tudo, mas botam o amor a camisa? Acho que não... Estão mais de olho é na farra, na 'qualidade de vida'.

Marcos Monnerat disse...

Tô com o Francês. Acredito mais no apego à "qualidade de vida" do que a qualquer forma de amor à camisa.

Alan disse...

Mais ou menos... Concordo também com o lance da qualidade de vida, sem dúvidas. Mas um cara como o Adriano, por exemplo, a partir do momento que resolveu voltar pro Rio, não jogaria no Vasco se eles fizessem uma proposta melhor do que a do Mengão. Então, tem um certo amor a camisa também...

Alan disse...

Ah, sim. E por falar em amor a camisa, não se espantem se dentro de alguns poucos anos o JC não desembarcar por aqui também. Esse é um que é Flamengo pra caráleos...

(Foi mal o post duplo aí)