E o Juan, vai se dar bem na Seleção?

Pois é: falei que a Seleção já não chama mais essa atenção toda, mas a presença do Juan (que não vai precisar ser Maldonado ainda, já que o Juan zagueiro vai continuar de fora) criou um interesse extra pros rubro-negros. E hoje ele começa jogando, titular, contra um dos bobos que ainda há no futebol. Vai se dar bem?

Adversário melhor para isso não há.

Juan se destaca pela força no apoio. E, na Seleção, não vai subir tanto ao ataque. É claro. Mas talvez possa fazer mais isso hoje, por conta do adversário. Em outros jogos, não vai poder. No Flamengo, há todo um pensamento tático para que eleavance sem olhar pra trás e se destacar - no time de Dunga, não vai haver esquema especial pra ele. E aí, muito provavelmente, dirão que ele "fica tímido na Seleção".

Não quer dizer que ele vá jogar mal por não poder subir tanto. Apenas estará sendo mais discreto. E, por conta disso, com certeza irão surgir críticas, mesmo que sua atuação defensiva não deixe a desejar.

Léo Moura, por exemplo, também chegou a ser convocado, graças à sua liberdade para apoiar no Flamengo. Com Caio Júnior, passou a jogar mais recuado - falou-se inclusive que por pedido próprio, já que queria mostrar que também sabe marcar para ser mais lembrado na Seleção. O efeito foi contrário: por aparecer menos na frente, ficou mais discreto e falaram muito em uma má fase. Nunca mais foi convocado.

Pois é assim: por aqui, por cultura e muito também pelo fato de que a maioria das pessoas - público e comentaristas - só assiste futebol na TV, até os defensores são mais julgados pelo que fazem com a bola no pé do que sem ela. Por conta disso, volta e meia aparecem zagueiros enganadores, que se destacam mesmo marcando e se posicionando mal, simplesmente por saber matar uma bola. Thiago Gosling, um dos que assombraram a defesa rubro-negra no ano passado, era desse tipo. Gélson tinha o apelido de "Bares"i por saber sair driblando na defesa, ganhou previsões de um futuro brilhante, mas nunca se firmou em lugar nenhum. Tinha aquele Roger, hoje na seleção da Polônia, dos piores laterais que já vi jogar no Flamengo, mas que sobrevivia como titular do time por fazer seus gols de vez em quando. E por aí vai.

Se Juan quer deixar uma boa primeira impressão - a que fica, né? - que justifique sua presença com a amarelinha nas próximas oportunidades, a hora é agora. Vai lá, parte pra cima dos bolívios, faz seu nome. Depois, vai ficar mais complicado.

2 comentários:

Rocco Fermo disse...

Andre,

Eu acho que o futebol do nosso Juan vai fluir bem sim, tecnicamente eu o acho bem superior ao Kleber, com uma diferenca, o Juan joga com muita raca. No Flamengo o esquema e em cima dos nossos laterias, na Selecao nao, depende mais da criatividade dos seus meias.
Boa sorte para o nosso Juan e para o nosso Fierro tambem.

Flora disse...

é, foi feia a coisa.
endeusaram tanto aquela vitoria contra o chile, como se tivesse sido uma exibição de gala (o que esteve longe de ser...mas estamos numa fase tão ruim que uma vitoria mais tranquila contra uma seleção que deixava uma gratera na sua defesa pra gente passear vira motivo de comemorações exageradissimas) que agora todo mundo ta chocado com esse empate impossivel contra a bolivia.

mas nada NADA dessa seleção me surpreende.

Enfim, o juan até queria jogo. mas era dificil qualquer um jogar ali. ninguem tocava a bola naquele time. ninguem se mexia, os meias so queriam pegar a bola e se enrolar com ela (atuação patetica do novo "quadrado magico") pelo meio, ninguem fazia tabela.
o Juan deve ter sentido saudade do Argelim...hahahaha