Maracanã: obra de Igreja - ou de catedral

Corre hoje a notícia de que o Flamengo já negocia com o Botafogo um acordo para, a partir do ano que vem, utilizar o Engenhão nos jogos em que tiver mando de campo. O motivo: mais uma obra no Maracanã, desta vez para a Copa de 2014.

Na boa: sou capaz de apostar que, durante a minha vida, o Maracanã ficou mais tempo fechado – seja inteiro ou em alguns setores – do que aberto. Sem falar, obviamente, no dinheiro – meu, seu, nosso – que já foi gasto ali.


Maracanã em obras para colocação das novas cadeiras azuis no lugar da antiga geralMaracanã em obras - e quando não está?

Desde 1999, já se gastou mais de R$300 milhões em reformas no estádio. Primeiro, para o Mundial de clubes da FIFA, se colocou cadeiras nas arquibancadas. Depois vieram as obras para o Pan, em que se acabou com a geral, se criaram as novas cadeiras azuis, rebaixou-se o gramado, trocaram placares, mexeram nas roletas. Com certeza, o estádio melhorou muito. Mas, obviamente, não está pronto. Nunca está.

Para a Copa, anunciam intervanções nos vestiários, tribuna e setor de imprensa. Pretendem ainda fazer com que todos os lugares do estádio sejam cobertos, além de construir um novo estacionamento. Já li também a inacreditável notícia de que as cadeiras atuais não seguem os padrões FIFA e, por isso, teriam que ser todas trocadas. Quem freqüenta o estádio sabe que, se quisessem deixar mesmo o estádio 100% e perguntassem ao usuário, ainda teriam que planejar mudanças no acesso e saída do estádio, em sua setorização, nas bilheterias. Sem falar nas lanchonetes ou na possibilidade de lojas ou quiosques por lá. Não vou nem entrar em aspectos mais cosméticos, como o cimentão mal acabado que serve de piso para os corredores do estádio.


A maquete do novo Maracanã para a Copa de 2014O novo Maracanã que vem aí. Bonitão, né não?


Quanto isso vai custar? Eduardo Paes, que anunciou os novos planos de obras no ano passado e agora é candidato a prefeito, não disse. Mas adiantou que os recursos serão vultosos. Mais R$100 milhões? R$200 milhões? “O Maracanã tem problema a dar com o pau, mas vamos resolver”. A dar com cara de pau, eu diria.

Além dos R$300 milhões já gastos no velho Mário Filho e do que ainda será colocado nas obras até 2014, podemos pensar nos mais de R$350 milhões da construção do próprio Engenhão, beeeeem acima do orçamento original – e que vieram da mesma fonte: o seu, o meu, o nosso bolso. Somando tudo, temos aí uns, digamos, R$750 milhões em dois estádios. Em Leipzig, na Alemanha, gastou-se R$240 milhões no novo estádio da cidade, construído para a última Copa do Mundo, com capacidade de 45 mil pessoas – com certeza, em condições bem melhores do que as dos estádios cariocas.

Zentralstadion, em Leipzig, AlemanhaO estádio de Leipzig - beeeem mais barato que o Engenhão


Sempre fui contra a idéia de demolição do Maracanã. Mas a conclusão é: com a grana enterrada nessa sequência de obras, dava pra terem dado de presente um estadiozinho pra cada clube desta cidade. E estaríamos muito melhor servidos.

Quem foram os responsáveis por isso tudo? Como explicam esse absurdo? Alguém pergunta? Alguém se importa?

Isso aqui, ô ô, é um pouquinho de Brasil, iá iá.

2 comentários:

Arthur disse...

seus textos são excelentes kra, parabéns...
SRN

Pablo Alcântara disse...

E o pior e o Fla ter de pedir favorzinho ao Bebeto de Freitas pra utilizar o engenhocão. Se a gente tivesse estádio próprio...