Flamengo 1 x 0 Atlético-PR

Aleluia, irmãos! Depois de longo e tenebroso inverno, o Flamengo finalmente voltou a vencer. Jogou bem? Não, não jogou. Mas foi o bastante pra merecer ganhar a partida - e o mais importante, neste momento, era mesmo o resultado. Sabe Deus o que aconteceria se o time conseguisse passar mais um jogo sem vitória, ainda mais em casa e contra um adversário fraco como o Atlético-PR.

É até difícil fazer uma análise técnica ou tática de uma pelada como esta de hoje. O primeiro tempo foi das coisas mais tristes já vistas em um campo de futebol no Brasil. Tirando um cabeçada em bola parada do Atlético e um chute perigoso de Maxi, não houve mais nada de interessante.

Para o segundo tempo, Caio Júnior declarou que esperaria 10 minutos para passar Juan para o meio-campo. Pois ele voltou se colocando no meio desde o início, em mais um sintoma da bagunça que o time se tornou. Logo, como prometido, o treinador colocou em campo Luisinho no lugar de Jônatas, passando Juan definitivamente para o setor de criação.

Bem ou mal, apesar de ver o Atlético chegar mais ao seu campo do que no primeiro tempo, o Flamengo até passou mesmo a criar um pouco mais. Houve um cruzamento perigoso de Maxi que Angelim não alcançou por pouco e mais uma blitz, numa boa combinação entre Léo Moura e Íbson na área, que não se transformou em gol por aqueles milagres ao contrário que andamos nos acostumando a ver nos últimos jogos. Logo em seguida, num escanteio, saiu o gol que Jaílton vinha ensaiando desde a partida contra o Palmeiras - ele havia perdido uma bela chance naquele jogo e outra inacreditável contra o Goiás. Desta vez, a bola acabou entrando.

A partir daí, o time pareceu abrir mão de tentar jogar. Recuou e passou a dar bicos pra frente um atrás do outro, mas o adversário era tão fraco que não conseguiu realmente ameaçar em nenhum momento. E quase que ainda saiu o segundo gol, numa boa jogada que acabou num chute perigoso de Erik Flores. Enfim: não foi um bom jogo, mas a vitória veio e foi merecida. Pode servir pra dar um pouquinho mais de tranquilidade ao time para as próximas rodadas.

A partida serviu ainda pra sinalizar que Caio Júnior pode mesmo partir pra uma opção que eu já ouvi muita gente defendendo, inclusive em comentários aqui no blog: a escalação de Juan como meia. Eu já defendi aqui bastante o fim das invenções, que se simplifique, que se aposte no que o time tinha que dava certo. Mas é fato que o time já perdeu mesmo aquele antigo padrão e, por mais que o técnico volte até a apelar pra antiga Tropa de Elite, não se consegue mais mostrar um mínimo de coordenação em campo. A equipe continua sem saída de bola, sem jogadas bem feitas pelas pontas, sem aproximação dos jogadores. Então, pode ser que esta seja mesmo uma opção válida. E, já que é pra tentar mesmo mudar, eu imaginei uma solução um tantinho mais radical. Mas fica pro próximo texto.



9/8/2008 - 18h20 - Flamengo 1 x 0 Atlético-PR
Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Renda/público: R$ 178.240,00 / 14.257 pagantes

Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas e Renato Miguel Vieira (DF)
Cartões amarelos: Juan, Luizinho e Ibson (FLA); Renan e Márcio Azevedo (APR)

Gols: Jaílton, 31'/2ºT (1-0);

Flamengo: Bruno, Léo Moura, Ronaldo Angelim, Jaílton e Juan; Cristian, Aírton, Jônatas (Luizinho, 10´/2ºT) e Ibson; Paulo Sérgio (Éder, Intervalo) e Maxi (Erick Flores, 40´/2ºT). Técnico: Caio Júnior.

Atlético-PR: Galatto, Nei, Danilo, Antônio Carlos e Márcio Azevedo; Renan (Alex Fraga, 32´/1ºT), Alan Bahia (Rogerinho, 38´/2ºT), Rodriguinho e Ferreira; Anderson Aquino e Rafael Moura (Pedro Oldoni, Intervalo). Técnico: Tico.

Um comentário:

Flora disse...

Tá ruim, mas tá bom.

E por incrivel que pareça nessa pelada horrivel, ate que as mudanças do caio jr deram certo.

to ate concordando em por o juan pelo meio...ele ja é meio time mesmo. deixa ele jogar so no ataque sem obrigação de marcar mesmo, pq so ele consegue jogar alguma coisa nesse time atual do flamengo.

e meu deus, que o kleberson volte logo e que eu nao seja obrigada a ver o ibson jogar nunca mais nesse time.

se pelo menos ele jogasse mal e ficasse calado como o leo moura. mas ainda quer passar descompostura na torcida.
sem comentarios.
peguei nojo.