O Flamengo no 3-4-3?

O Flamengo escalado no 3-4-3
Eis aí a solução radical de que eu falava no texto sobre Flamengo x Atlético-PR: o Flamengo num 3-4-3, como o que Cuca usava no Botafogo do ano passado. A idéia seria justamente partir para o uso não só do Juan, mas também do Léo Moura no meio - outro que eu já ouvi bastante gente defender por ali, idéia que está meio esquecida porque a sua fase não anda tão boa.

O que eu canso de reclamar é que os nossos dois laterais não recebem ajuda em suas investidas pelas pontas e, por isso, vêm pelo meio, fazendo o time afunilar o jogo. Simplesmente colocar Juan de meia vai radicalizar isso - se ninguém cair pela ponta esquerda, aí é que não teremos jogada de linha de fundo por esse lado mesmo. Além do mais, se Juan sair da lateral esquerda, simplesmente não há outro pra jogar na posição. A solução, portanto, poderia ser armar um esquema sem laterais.

A idéia é abrir um atacante de cada lado, para ter sempre opções pela direita e pela esquerda. Quando a jogada fosse pela esquerda, Juan chegaria junto do ponta pra fazer a tabela e a ultrapassagem; pela direita, o mesmo com Léo Moura.

Claro que não quero fazer parecer que isso é mole de funcionar. Ofensivamente, até acho que sim. Mas os dois novos-meias teriam que se acostumar a marcar no meio-campo, coisa que é bem diferente de marcar na lateral. De qualquer forma, a marcação no meio rubro-negro já anda fraca, com os adversários tendo liberdade pra chegar próximos à nossa área o tempo todo. Ou seja: isso teria que ser treinado e resolvido agora de qualquer forma, com Léo e Juan no meio ou com estes que vêm jogando ali.

Completando o meio-campo, mais atrás, escalei aí Íbson e Jônatas simplesmente porque são os dois disponíveis que mais sabem jogar (reparem que só escalei quem está disponível agora - então Kléberson, Vandinho, Vagner Love, Felipe, Gracián, Renato Augusto, Marcinho, esses não entram). Seria um meio-campo em que todos sabem marcar e jogar com a bola no pé. Mas aí haveria a disputa com Toró, Aírton e Cristian.

Pra funcionar, seria preciso que os dois atacantes abertos tivessem também uma função defensiva importante - como Jorge Henrique no Botafogo-2007, ou mais ainda como Paulo Nunes e Nélio no Flamengo-92. Ambos teriam que voltar acompanhando o lateral adversário, pra não deixar a defesa na mão. É algo que depende de entrega dos jogadores, mas já foi feito com sucesso. Como é raro um adversário avançar com os dois laterais ao mesmo tempo (coisa que só o Flamengo por aqui costuma mesmo fazer), o time teria sempre dois atacantes à frente pra puxar o contra-ataque.

E lá atrás, os três zagueiros. A escalação de Jaílton é pra dar a opção de variação dele também sair pra pegar na marcação mais à frente, como volante, reforçando a marcação no meio, como já vinha acontecendo. Mas aqueles que realmente não o suportam podem trocar por Dininho ou Thiago Salles, se quiserem.

Há uma falha óbvia nessa idéia: pro próximo jogo, Juan está fora, suspenso. Mas é bom dizer que, depois de muito tempo, Caio Júnior terá agora uma semana pra treinar o time. Independente do esquema que escolher, ele poderá trabalhá-lo um tanto mais do que pôde nas últimas rodadas. Esperemos que saiba o que fazer com o tempo.

Gostaria de agradecer ao Adílio, grande craque no meio-campo do André Atlético Clube, glorioso esquadrão de futebol de botão, por servir de modelo pra esta viagem.

Adílio, craque no meio-campo

3 comentários:

Marcos Monnerat disse...

O problema disso aí é acreditar que o Éder possa render razoavelmente bem... O cara mostrou, nas chances que teve, total falta de jeito. E normalmente caía pela direita também.

Achei que o Luisinho entrou bem na lateral esquerda contra o Atlético-PR. De repente é mais simples isso do que inventar um esquema todo novo.

Flora disse...

eu acho que vc ta escalando mal.
O jonathas e o ibson estão jogando pq supostamente eles "jogam mais".

Mas a verdade é que eles não estão jogando nada.

O airton hj tinha que ser titular absoluto desse meio de campo do flamengo.
Seja em que esquema for.

Alias, pra mim ele e o toró.
Pq to cansada de ver o ibson e o jonathas jogando so com o "nome".

Principalmente o ibson, que se não fosse no Flamengo já estaria amargando a reserva a seculos em qualquer outro time com esse futebolzinho patetico que anda jogando.

pelo mesmo motivo o leo moura nao seria titular.

Então acho que esse esquema é furada.
Ele ate poderia dar certo, mas se esses jogadores que vc coloca estivessem jogando alguma coisa.

André Monnerat disse...

Pra esclarecer: minha opção ainda continuaria a ser apostar no simples. Essa seria a minha opção "radical". Em teoria, podia dar certo.

E Flora, o que eu acho é o seguinte: não estão jogando nada o Léo Moura, o Íbson, o Jônatas, o Cristian... É uma má fase generalizada. E nisso eu concordo com o que o Rica Perrone andou escrevendo: quando tanta gente assim tá em má fase, o problema não é dos jogadores. Tem alguma coisa além.

Você acha mesmo, aliás, que o Aírton ontem jogou muito mais que o Cristian, por exemplo? Mudou o time em alguma coisa a entrada dele? Sei não. Acho que o problema não está bem na escalação.

O time como um todo não está funcionando. Está mal colocado em campo, não tem aproximação, não tem jogadas. É difícil, nesse quadro, alguém aparecer bem individualmente. Só o Juan que até tem conseguido encaixar jogadas individuais - que normalmente não estão resolvendo, mas ao menos dão algum alento.