O 2013 do futebol do Flamengo já começou

Paulo Pelaipe já está trabalhando como novo comandante do Departamento de Futebol do Flamengo.



Saíram as primeiras notícias concretas sobre a administração do futebol do Flamengo para 2013 após as eleições da semana passada. Paulo Pelaipe será o Diretor Executivo, com Wallim Vasconcellos como Vice-Presidente de Futebol. E aí?

Sinceramente, não tenho muita opinião sobre a escolha de Paulo Pelaipe. Estaria mentindo se dissesse que acompanho seu trabalho e, desde o anúncio, já li e ouvi coisas boas e ruins sobre o cara. Quem visita este blog e o conhece melhor, opiniões são bem-vindas.

A verdade é que são poucos os nomes de "diretores profissionais de futebol" por aí, e menos ainda os que têm um currículo de sucesso indiscutível. Rodrigo Caetano só há um. Conversando com um amigo vascaíno, ele comentou que, quando há um tempo seu clube andava atrás de alguém para o cargo, os nomes especulados foram todos exatamente os mesmos que surgiram agora na imprensa como candidatos a assumir o Flamengo. A opção a um destes - Pelaipe, Maluf, Ximenes - seria alguém novato ou pouco acostumado a esta função. Considerando que o Flamengo ainda tem que fazer o trabalho de montagem da estrutura profissional de seu departamento, talvez seja melhor mesmo ter alguém já com alguma experiência; se as outras engrenagens já estivessem todas no lugar, poderia funcionar mais fácil uma tentativa com alguém com mais jeito de novidade.

Enfim: é esperar pra ver.

* * * * * * * * * *

Wallim Vasconcellos foi anunciado como Vice-Presidente de Futebol. Como a imprensa esportiva está acostumada a ver este cargo como o do "homem forte do futebol", é provável que Wallim seja tratado assim em entrevistas e matérias por algum tempo. Mas não é assim que o cargo é encarado no esquema descrito pela nova diretoria em sua campanha.

Wallim será parte do "conselho gestor" do clube - os voluntários, não-remunerados, que ditarão a visão estratégica e as metas a serem perseguidas pelos profissionais que efetivamente tocarão o trabalho. Dentro deste conselho gestor, alguns estarão mais ligados ao futebol; pelo que foi dito na coletiva de hoje, estão entre estes, além de Wallim e do presidente Eduardo Bandeira de Mello, Bap (VP de Marketing), Flávio Godinho (sem cargo anunciado) e, como consultor, Zico.

Se conseguirem colocar seus planos e intenções anunciadas em prática, o pessoal da diretoria voluntária deve botar mais a mão na massa apenas em um momento inicial, de transição. Com o tempo, sua participação na gestão direta do clube deve ir diminuindo, com eles se reunindo apenas semanalmente para avaliar o andamento do trabalho. E assim será Paulo Pelaipe quem estará cada vez mais presente na direção do futebol - o que não quer dizer que não terá que prestar contas à diretoria.


* * * * * * * * * *

Na coletiva de hoje, Pelaipe e Wallim disseram entender que o torcedor não quer saber se há dinheiro ou não e espera por craques, ídolos e títulos.

É bom que eles entendam que é assim que funciona. Mas, assim como falou da exigência do torcedor, Wallim também comentou sobre a falta de credibilidade do Flamengo hoje no mercado e da dificuldade em convencer qualquer jogador a trabalhar no clube, pela fama de mau pagador. A situação financeira é contornável em algum prazo se o trabalho for bem feito, mas hoje é bastante complicada e as notícias de adiantamento de receitas, penhoras e salários atrasados não deixam dúvidas. Vale lembrar: Zinho quis contratar Diego e Juan e, poucos meses depois, descobriu que não podia pagar nem por Cléber Santana e Renato Santos.

São três tarefas que precisam ser bem feitas, juntas e em um tempo curtíssimo, para o time poder andar bem ano que vem: contratar bem, aumentar receitas e negociar dívidas. Não vai ser mole e é bom, por mais que seja difícil pedir isso ao torcedor, ter alguma paciência e pés no chão.


* * * * * * * * * *

Entendi a explicação de Wallim para assumir a Vice-Presidência de Futebol, não remunerada.

Mas, ainda assim, me soou estranho que, uma semana depois da eleição, um plano tão fundamental e anunciado tantas vezes - dar a ele o cargo de Diretor Geral - já tenha sido mudado.

Fica agora a curiosidade para saber quem irão contratar para este que é o cargo mais alto na prometida estrutura profissional que será montada para dirigir o Flamengo.



5 comentários:

Emanuel Alencar disse...

O diretor geral bem que podia ser o Bap. Mas pensando bem, será que é tão primordial ter um diretor geral mesmo?

A.C. Naylor disse...

Assim como você, André, recolhi boas e más opiniões sobre o Pelaipe.

Por um lado, dizem que o cara, embora atue como profissional, tem um jeitão de dirigente amador, função que exerceu por um longo período no Grêmio. Isso, em tese, o descredenciaria para a estruturação mais profunda do departamento de futebol, algo que transcende em muito o simples conhecimento do "campo e bola", passando pela definição de um organograma, pela criação de mecanismos de avaliação e controle, pela definição de orçamentos etc. Minha dúvida aqui é se esse trabalho mais sutil de carpintaria administrativa não seria uma atribuição do VP de Administração e TI, Cláudio Pracownik, e dos profissionais subordinados a ele.

Por outro lado, é quase unânime que se trata de um exímio conhecedor do mercado de jogadores, com ampla rede de contatos e olho clínico para a detecção de talentos. Além disso, tem fama de disciplinador, de controlador de vestiários, algo que prezam muito no futebol gaúcho e de que o Flamengo necessita desesperadamente, haja vista as primas-donas que mandam e desmandam no time. Desnecessário dizer quem são.

Agora é esperar um prazo minimamente razoável para fazer uma primeira avaliação do trabalho do cara. De todo modo, acho difícil, quase impossível, que o resultado fique abaixo do deste infeliz ano de 2012, quando o futebol do clube simplesmente não teve comando nenhum. 2013, se não for ainda um ano de glórias, promete, ao menos, não ser de sofrimento.

Luis disse...

O blog do R M Prado de hoje diz que o cara contratava mal pra caramba lá no sul. Aguardemos.

Marcos André Lessa disse...

Será que contratava tão mal assim? Vejam o Grêmio que chegou ao 3º lugar do Barsileirão. Será que a montagem foi só do Luxemburgo?

saulo disse...

Contratava mal? Eu vi uma entrevista de dois comentaristas do sul no Redação Sportv dizendo que esse cara tira leite de pedra. Achou o William que fez uma senhora Libertadores pelo Corinthians e o Vítor goleiro em timecos desconhecidos, os dois geraram uma bela grana depois. que o cara "redescobriu" um Diego Souza encostado em Portugal e remontou um time que tinha acabado de sair da segundona pra ser vice da Libertadores. Eu se fosse vocês teria mais cuidado com a corneta do Renato. Ele é um grande flamenguista, mas ao mesmo tempo, um senhor corneteiro.