O Flamengo não paga seus salários hoje graças a dívidas antigas?

É óbvio que a atual diretoria assumiu o clube com centenas de milhões de dívidas para pagar. Mas dizer que os problemas atuais são apenas por conta disso é esconder boa parte da história.



O mandato de Patrícia Amorim vai chegando ao final e voltamos a conviver de forma mais frequente com um tipo de notícia que gostaríamos que ficasse pra trás de vez: os atrasos de salários. A falta de dinheiro está afetando não só o pagamento dos jogadores de futebol, mas também os esportes olímpicos e até as obras do Centro de Treinamento, embora sua maior parte venha sendo bancada diretamente pela Ambev.

A justificativa da diretoria: os problemas estão acontecendo graças a penhoras de receitas devido a dívidas da gestão anterior. Aliás, a gestão atual teria pago uma enorme quantidade de dívidas deixadas por quem dirigiu o clube antes. E assim fica o recado de que a culpa não é de quem está lá, e sim da "herança maldita". Mas isso é apenas parte da explicação.

Antes de mais nada: ao contrário do que aparece no discurso de alguns daquela época, não estava tudo bem no Flamengo antes de Patrícia Amorim chegar - e dificilmente ela teria sido eleita se fosse assim. Embora tenha conquistado campeonatos - a maior parte em cima do Vasco, que merecia um título de benemérito rubro-negro pelo que fez por nós durante anos complicados -, o Flamengo já era um clube desorganizado, que assumia compromissos que não conseguia honrar, que não dava orçamento ao seu departamento de marketing para ele funcionar como deve, que não planejava seu futebol da melhor maneira, que tratava mal as categorias de base, que não investia na estrutura física, que cuidava mal da imagem da instituição. Para ser justo, parecia dar os passos iniciais para um caminho mais sustentável em 2009 - e não digo isso por conta do título brasileiro, ganho não com um planejamento bem feito, mas graças a uma combinação quase aleatória de fatores difícil de se repetir.

Porém, mesmo com tudo isso, obviamente Márcio Braga e Delair pagaram muita dívida de anos anteriores. E também contraíram outras dívidas, fizeram empréstimos, adiantaram receitas. Patrícia Amorim também pagou dívida dos presidentes anteriores, como tem divulgado. E fez novas, pegou empréstimos, adiantou receitas. Seria assim com qualquer um, pela situação em que o clube se encontra já há muito tempo.

Simplesmente dizer que andou pagando contas de outros anos é contar apenas parte da história. Daqui a uns anos, um próximo presidente poderá também chorar na imprensa por estar tendo dificuldades devido a penhoras por dívidas feitas agora com Ronaldinho, com Deivid ou mesmo de impostos não pagos - o balanço mostra que as dívidas com o Estado aumentaram nos últimos dois anos -, e estar com isso escondendo falhas suas. Pra ver se o trabalho está sendo bem feito, o que vale é ver se, somando tudo, a situação melhorou ou piorou.

Patrícia Amorim deu sorte de assumir o Flamengo em um momento em que muito dinheiro novo entrou, graças a circunstâncias de mercado, sem que ela mesmo precisasse fazer grande esforço para isso. Falo principalmente do dinheiro da TV, que se multiplicou e colocou o Flamengo em enorme vantagem em relação a quase todos os outros (o que aparece menos por conta da incompetência para ganhar dinheiro com outras fontes). Com esta facilidade, a situação hoje era para estar muito melhor. Mesmo sendo difícil entender completamente o pouquíssimo transparente balanço do Flamengo, sabe-se que a dívida, na verdade, aumentou - inclusive a de curto prazo. Está dando nisso aí.

* * * * * * * * * *

Pra resumir: sim, deve estar havendo alguma penhora de receitas do Flamengo devido a dívidas antigas. E isso atrapalha a vida, e muito.

Porém, são dívidas conhecidas, que não apareceram de uma hora pra outra. Quem está dirigindo o clube agora deveria ter feito seu planejamento financeiro levando elas em consideração. Não pode dizer que foi pego de surpresa.

Além disso, houve este ano uma renovação antecipada do contrato com a Globo que está gerando luvas milionárias. Pelo noticiário, são elas que o Flamengo não consegue receber agora. Mas elas não poderiam estar previstas no orçamento do início do ano, já que são de um contrato novo que começa a valer só daqui a anos. É estranho que agora o Flamengo precise deste dinheiro para poder pagar suas contas mais básicas, como o salário de seus empregados.

Talvez esteja acontecendo porque outras receitas previstas no orçamento - como a do patrocínio master do futebol, por exemplo - não tenham se realizado.

4 comentários:

@snejaim disse...

Qualquer presidente preocupado com a situação financeira do Flamengo tem como primeiro passo ao assumir contratar uma empresa séria e independente para entrar com profundidade no balanço do clube, e deixar o caminho livre para essa auditoria.

A Patrícia não fez isso em 3 anos.

Com um resultado em mãos, não importa quão ruim seja, tem-se a base para organizar o fluxo de caixa e planejar as contas.

Só então é possível correr atrás de negociação de dívidas milionárias em parcelas que caibam no orçamento mensal, além, é claro, de captar parceiros que tenham certeza que a verba investida será aplicada de forma correta e gerará retorno, muito ao contrário da caixa-preta que sempre foi o clube (acho que a dificuldade de arrumar um patrocínio master vem justamente dessa insegurança - você investiria R$ 30 milhões em um clube que cuida da imagem como o Flamengo?!?!).

Gestões amadoras dão declarações amadoras, como essa...

Luis disse...

A dívida do Flamengo é menor do que a de outros times com torcida bem menor e menos fiel do que a nossa, mas com desempenho operacional melhor que o nosso.

Dessa forma, fica claro que a atual diretoria do Fla é péssima em administração de contratos e cash flow com TV, patrocínios, atletas/treinadores etc. Faltou algo? Ah, me lembrei: a atual administração é muito boa em administração de parquinhos, pelota basca, bocha, esgrima, ginástica olímpica, ping-pong, judô, tiro ao alvo, cuspe à distância e outros esportes e atividades super populares e rentáveis. Parece que o Conselho gosta desse desempenho.

flages disse...

Só uma pergunta:
O Flamengo está devendo para o Adriano por esses meses em que ele "trabalhou"?

Cabron disse...

Administrar o passivo e gastar menos do que recebe no fluxo de caixa mensal.

Será que é tão complicado assim?