Jogo: Flamengo 2 x 0 Náutico - Brasileiro 2012 - 16a. rodada

O Flamengo ao menos começa a fazer sua obrigação: vence jogos que precisa vencer sem deixar a torcida sair irritada do estádio.



O jogo mostrou que a evolução de organização e aplicação mostrada contra o Figueirense não foi coisa de uma noite só. De novo o Flamengo teve um esquema claro, jogadores mostrando que sabiam suas funções, marcação com menos espaços e todo mundo se dedicando muito na marcação, inclusive os homens de frente. Foi o bastante para a torcida se identificar com o que via em campo, aplaudir e jogar junto. E foi suficiente para vencer o Náutico, mais um time que joga apenas para tentar evitar o rebaixamento. Ainda não foi um teste real para quem quiser algum objetivo maior neste campeonato - coisa que, por enquanto, ainda parece pouco realista.

Até porque, na verdade, não foi uma grande atuação. Defensivamente sim, o time cresceu e sofreu maiscom falhas individuais de Wellinton, sempre perigoso quando tem a bola em seus pés. Cáceres entrou bem no time e está ajudando a aliviar um pouco a barra dos zagueiros. E Wellington Silva, que substituiu Léo Moura, também cumpriu seu papel.

Mas, com a bola nos pés, o desempenho foi pior que contra o Figueirense. As jogadas pelas pontas não saíram com a mesma frequência - falta uma parceria maior entre os pontas e os laterais, as jogadas ainda dependem demais da individualidade de cada um - e, pelo meio, continuou faltando criatividade e mais eficiência na saída da defesa. Ao longo de toda a partida, é difícil lembrar de chances criadas com bola rolando, em uma boa jogada trabalhada. As que apareceram foram principalmente em bolas paradas ou em falhas individuais de defensores do Náutico.

Desta vez, a vitória veio graças principalmente a Vágner Love. Os dois gols aconteceram em lances decididos com seu esforço individual, sendo que o primeiro deles num momento em que o Náutico até dominava o jogo. Pelo visto, a quebra do jejum de gols teve um efeito realmente bom em sua confiança e desta vez até a sorte ajudou, com a bola de uma chance clara desperdiçada voltando da trave para seus pés, lhe dando outra chance de marcar pela segunda vez. Foram três pontos conseguidos em um jogo equilibrado graças, principalmente, ao centroavante.

Os torcedores se empolgaram, cantaram nas arquibancadas que "o campeão voltou" e mostram otimismo nas redes sociais. Mas a realidade está no discurso de Dorival Júnior: está melhorando, mas ainda falta bastante. Ao menos estamos vendo muito trabalho - e ele já está dando resultado.



11/8/2012 - 21h - Flamengo 2 x 0 Náutico
Estádio Raulino de Oliveira - Volta Redonda, RJ
Renda/público: R$ 130.445,00 / 7.073 pagantes 

Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Cartões amarelos: Wellington Silva, Negueba e González (FLA); Rhayner, Marlon e Souza (NAU) GOLS: Vagner Love 14'/1ºT (1-0) e 44'/1ºT (2-0)

Flamengo: Felipe, Wellington Silva (Ibson 15'/2ºT), Welinton, González e Ramon; Cáceres, Luiz Antonio e Renato; Thomás (Liedson 22'/2ºT), Negueba (Bottinelli 28'/2ºT) e Vagner Love. Técnico: Dorival Júnior.

Náutico: Gideão, Patric, Marlon, Ronaldo Alves e Douglas Santos (Lúcio 27'/2ºT); Elicarlos, Cleverson (Kim, intervalo), Souza e Rhayner (Rico 27'/2ºT); Araújo e Kieza. Técnico: Alexandre Gallo.

7 comentários:

andrew disse...

Bom post André gostei muito, eu vi o jogo também e acho que o flamjengo precisa urgente desse meia criativo, acho que a solução já tá no elenco e o nome dele é adryan mas temo por ele acabr sendo queimado por isso queria saber se o flamengo já tem algum nome em pauta para esse papel, acho o rafinha do coritiba muito bom e se viesse cairia como uma luva.

Eduardo disse...

Achei o segundo tempo horrível com o Flamengo pedindo para tomar um gol, que não aconteceu pela incompetência do fraco Náutico.
Acho que o Dorival mexeu errado e embolou o time no segundo tempo. Me pareceu mais para mostrar que Ibson, que não está jogando nada e Botineli podem ter chances no time.
Quero ver quarta e nos 2 clássicos ainda.

Luis disse...

O time melhorou, mas ainda tem muito chão pela frente. Ganhar de Figueirense e Náutico não quer dizer muita coisa, inclusive para o Dr. Love.

André Monnerat disse...

Andrew, eu concordo que uma das necessidades do time é um meia criativo, mas não acho que o Rafinha do Coritiba tenha essa característica não. É jogador de correr com a bola, não de passar.

Flávio disse...

Não vi o jogo, mas nos melhores momentos há uma jogada do lateral direito que acaba nos pés do Thomas. Ele dribla e cruza. O zagueiro do Náutico por muito pouco não faz contra.
Essa foi uma jogada de bola rolando.

E o Wellington? Por que insistir nesse cara?

Eduardo H. Costa disse...

Finalmente temos um técnico sério. O Dorival está me surpreendendo bastante por conseguir o feito de treinar um elenco que só queria saber de rachão. Ainda sim faltam 2 ou 3 acertos pro time engrenar.

Outra coisa. Eu não consigo entender como um time profissional pode pagar para ensinar zagueiro a jogar bola... e pela enésima vez...

Enfim, que o deus da raça nos proteja sempre! Amém!

André disse...

Ao meu ver evoluímos muito pouco ainda.

A verdade é que ganhamos 2 partidas de 2 times muito fracos que são sérios candidatos a serem rebaixados.

Os 2 gols do Love foram de uma "perebice" absurda e para falar bem a verdade fiquei com vergonha de ganhar do Náutico com 2 gols do jeito que foram.

O 1º gol foi uma trombada do Love com o zagueiro e por sorte a bola ficou na frente do gol. O 2º gol nasceu de uma entregada rídicula do zagueiro ao melhor estilo Wellinton e que ainda teve MUITA sorte do rebote voltar no pé do Love.

Na verdade o desempenho do time melhorou muito pouco ainda. Negueba continua sendo Negueba e insistir no Thomas é absurdo. Ao meu ver se trata apenas de mais um jovem jogador que não tem nenhum grande destaque técnico. Por acaso alguém se lembra de uma grande jogada ou contribuição dele?

Eu continuo contando até 40 para não ser rebaixado. Faltam 18.