Brasileiro 2012 - 9a rodada - Bahia 1 x 2 Flamengo

Mais uma atuação ruim, mas que ao menos serviu para mostrar que o problema não é falta de vontade.



Foi uma vitória na raça, na vontade, típica do Flamengo - e que caiu do céu. O time não fez um bom primeiro tempo, mas vinha vencendo tranquilo até levar um gol em falha feia da defesa e ter em seguida um jogador expulso. No segundo tempo, não conseguiu ficar com a bola, distribuiu chutões pra frente e foi pressionado o tempo inteiro. Ainda assim, conseguiu o segundo gol em um pênalti pra lá de discutível. Três pontos importantes em um jogo em que a grande, e talvez única qualidade foi a entrega de todos.

Desta vez, deu vontade de fazer o texto do jogo num modelo diferente: uma análise individual daquelas que a gente sempre lê nos jornais. Só vou deixar de dar as notas, porque isso é sempre muito chutado, mas vai dar pra entender o que eu vi de cada atuação.


Paulo Victor - Não sei vocês, mas eu estou bem satisfeito com a troca de Felipe por ele no gol. Fez ao menos uma grande defesa e foi tranquilo quando exigido. Tem sido mais seguro nas saídas pelo alto, em que andou dando alguns sustos partidas atrás.

Luiz Antônio - Sua improvisação na lateral cobrou um preço. É bom jogador, ofensivamente pode render bem mesmo como lateral, mas defensivamente não sabe se comportar nesta posição. Tanto o gol do Bahia quanto sua expulsão (bastante exagerada) aconteceram por causa disso.

Marllon - Jogou sério, deu chutões sempre que a bola caiu em seus pés e não comprometeu.

Arthur Sanches - Mais ou menos como Marllon, mas foi um dos que errou no posicionamento no primeiro gol do Bahia. Depois daquilo, não falhou mais.

Ramon - Parece que passou o dia meio mal, com diarreia, e por conta disso saiu no meio do segundo tempo. Enquanto esteve em campo, foi bem melhor que Magal defensivamente e bastante discreto no ataque. Magal entrou em seu lugar e teve tempo só de mostrar vontade de correr.

Aírton - Outro que não foi bem no lance do gol do Bahia. No segundo tempo foi improvisado na lateral direita e saiu-se sempre muito bem na marcação.

Renato - Discretíssimo o tempo inteiro com a bola. No segundo tempo, ele e Íbson foram mais exigidos na marcação e não foram bem no posicionamento.

Íbson - Com Adryan aberto na esquerda, voltou a ter a obrigação de armar o time no primeiro tempo e não correspondeu. No segundo, não foi bem no posicionamento como volante mas, com a bola, tentava praticamente sozinho levar o time ao ataque. Cavou o pênalti da vitória mas, no final, quase entregou o empate em duas falhas bizarras seguidas no mesmo lance.

Adryan - Jogou sempre aberto e conseguiu levar vantagem em bem poucas jogadas; se jogasse mais centralizado, talvez pudesse ter ajudado a dar ao meio-campo a criatividade que lhe falta.. No segundo tempo, começou jogando bem mais recuado e logo foi substituído. Tem talento, muito futuro e deve ter chances, mas virar titular agora me parece precipitado, até por questões físicas. Pode se dar melhor entrando durante os jogos, para aproveitar adversários mais desgastados, ao menos nessa fase inicial de adaptação aos profissionais. Diego Maurício entrou em seu lugar para puxar contra-ataques e levou vantagem sobre a defesa no mano-a-mano quase sempre - e quase sempre encerrou os lances errando o passe ou o chute.

Deivid - Jogou mais aberto pela direita e deu sempre prosseguimento às jogadas de que participou, acertando os passes - mas, de objetivo para o ataque, nada fez. No segundo tempo, como Adryan, teve que jogar bem mais recuado e ficou pouco tempo em campo. Foi substituído por Negueba, que não ajudou em nada na frente, perdendo lances que contribuíram para o time não conseguir manter a posse de bola, mas ao menos mostrou raça para ajudar atrás.

Hernane - Concluiu bem a chance que teve. Fora isso, teve dificuldades sempre no domínio quando recebeu de costas para a marcação e não ajudou o time a prender um pouquinho mais a bola no ataque.

Joel Santana - Apesar de ter usado Adryan como titular, armou o time desta vez num 4-3-2-1, mantendo Íbson como armador. Como fazia com Renato Augusto em 2007, está usando um jovem que poderia ser um meia criativo promissor como atacante, deixando com isso de dar mais qualidade ao seu meio-campo. No segundo tempo, como que para tirar a razão de quem o chama de retranqueiro, não colocou nenhum marcador em campo para recompor a defesa, mesmo jogando com um a menos, e viu seu time ser muito pressionado. Mas não se pode dizer que os jogadores não corram por ele; se há algum problema entre elenco e técnico, não impediu todo mundo de mostrar muita vontade em campo.

Bahia - Depois de um primeiro tempo ruim, em que conseguiu o empate num lance isolado, o Bahia pressionou muito no segundo tempo. Mas, empilhando atacantes, jogou mais na base do abafa e falhou demais nas conclusões. Gabriel foi o destaque mas, além dele, Kléberson mostrou uma qualidade que sempre teve, enxergando bem de trás os espaços para avançar e concluir; e Souza foi bem no trabalho de pivô.

Arbitragem - Muito ruim. Marcou faltas de ataque inexplicáveis seguidas nos cruzamentos que o Flamengo fazia no primeiro tempo e expulsou Luiz Antônio com rigor demais. No segundo tempo, compensou marcando um pênalti que até pareceu ter existido ao vivo, visto de cima, mas que ficou invisível nos replays em diversos ângulos que vieram depois.



15/7/2012 - 16h - Bahia 1 x 2 Flamengo
Pituaçu - Salvador, BA
Renda/público: R$ 714.540,00 / 29.206 pagantes

Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Fabiano da Silva (ES) e Otavio de Araujo Neto (AL)
Cartões amarelos: Fahel, Mancini e Júnior (BAH) e Luiz Antonio e Renato (FLA)
Cartão vermelho: Luiz Antonio 44'/1ºT (FLA)

Gols: Hernane, 30'/1ºT (0-1); Kleberson, 37'/1ºT (1-1); Renato 26'/2ºT (1-2)

Bahia: Marcelo Lomba, Fabinho (Vander 28'/2ºT), Danny Morais, Titi e Hélder; Fahel (Jones intervalo), Diones (Júnior 37'/2ºT), Kleberson, Mancini e Gabriel; Souza. Técnico: Paulo Roberto Falcão.

Flamengo: Paulo Victor, Luiz Antonio, Marllon, Arthur Sanches e Ramon (Magal 23'/2ºT); Aírton, Renato, Ibson e Adryan (Diego Maurício 11'/2ºT); Deivid (Negueba 16'/2ºT) e Hernane. Técnico: Joel Santana.

6 comentários:

Gabriel Folha disse...

Muito irritante essa mania do Ibson de cavar falta e penalti o tempo inteiro. Uma pena que ele receba a benção dos árbitros!

Raphael Perret disse...

Pois é, Ibson tem chamado muito mais atenção cavando faltas e pênaltis do que jogando bem. Sempre que é desarmado recorre ao velho truque de jogar torcida contra o árbitro, levantando os braços.

É muito pouco, mas pelo menos tem sido eficiente: os três pênaltis que o Fla sofreu no Brasileiro foram em faltas sobre ele: Inter (achei), Santos (achei, mas muita gente não achou) e Bahia (não achei). Considerando que em 2011 Flamengo não teve nenhum penal a favor, não deixa de ser benéfico: valeram duas vitórias. Mas, como eu disse, é muito pouco.

Tiago Cordeiro disse...

Acho que o Ibson nunca mais vai cavar um penal depois de hoje.

LuksAlves disse...

Parabéns pela analise André, gostei muito desse jeito de analisar peça por peça.
Joel a cada vez mais mostra a sua capacidade em queimar um garoto, já no segundo jogo seguido que ele o escala fora de posição. Pra "sorte" dele Luiz Antonio não poderá jogar o próximo jogo, e então Léo M. volta, porque caso Luiz não tivesse sido expulso ele teria de colocar o Leo na lateral e teria que escolhe 2 entre Ibson, Renato e Luiz Antonio pra ser titular, ou seja paneleiros contra prata da casa que ta jogando bem, já que acho difícil Joel ter coragem de escalar 4 volantes novamente. Gostei da estreia do Ramon, não comprometeu defensivamente, mas foi um pouco tímido ofensivamente talvez por causa do seu problema medico. Acho que o Hernane vai ser um bom reserva pra o Love, mas os dois não funcionam juntos. Gostei muito da dupla de zaga com exceção ao lance do gol.
Só mais um coisa: Por que Joel não sequer relaciona Camacho, Thomas (duas excelentes opções para o meio-campo ofensivamente) e Muralha (que ta perdendo a disputa de volante-reserva para o Amaral)?

André disse...

O que estão fazendo com o Luiz Antônio é um crime!

Estão queimando um excelente 2º volante ou meia direita botando de lateral direito onde tem que correr mais e se posicionar como não sabe.

A sua expulsão foi fruto disso, já que está sempre tomando bola nas costas, mesmo que no lance deste jogo nem falta foi.

Outro que será torrado é o Adryan. Jogando de atacante terá enormes dificuldades.

Mas enfim, são mais 3 pontos para fugir do rebaixamento.

lussiannosousa disse...

Eu ri com a avaliação do Diego Maurício rs. Correu como nunca, errou como sempre. Que passes bizarros!