Brasileiro 2011 - 38a. rodada - Vasco 1 x 1 Flamengo

Jogando com a cabeça, dentro do que conseguiu produzir ao longo do ano, o Flamengo conseguiu o objetivo do seu projeto - e, de quebra, proporcionou ao seu torcedor a oportunidade de gritar o famoso "vice de novo!"



* * * * * * * * * *

O Flamengo não foi um bom time em momento nenhum do campeonato. Teve alguns poucos momentos de bom futebol, dá pra contar com sobra nos dedos de uma mão - mas um bom time, nunca foi. Não foi hoje, de novo. Mas, para o que consegue jogar e para o objetivo que tinha, não foi mal hoje. Pela atuação dos dois times, descontado um erro que pode ter sido decisivo do árbitro, o empate foi justo. A meta do projeto foi alcançada. E ainda bem que a temporada acabou.

O Vasco começou o jogo tentando pressionar o adversário em seu campo e dominou a partida por uns 10 minutos. Daí em diante, o Flamengo foi se equilibrando e passando a manter a posse de bola, correndo poucos riscos atrás. Porém, como de costume, foi pouquíssimo objetivo e praticamente não finalizou. O Vasco, apesar de não jogar bem, pelo menos mostrava mais vontade de chutar a gol quando ia ao ataque. E, depois de ter sofrido um pênalti não marcado, Diego Souza acabou conseguindo o 1x0 em um momento em que seu time parecia longe de fazer um gol, em um lance em que a defesa do Flamengo estava desarrumada e Fierro - que é mau marcador mesmo - estava dando combate longe de sua posição e foi facilmente driblado dentro da área.

Mesmo perdendo, o Flamengo nunca chegou a estar sem sua vaga na Libertadores. Talvez por isso as substituições de Luxemburgo no vestiário tenham sido bem conservadoras, voltando o time ao esquema que usou na maior parte do campeonato, sempre com um futebol muito chato - aquele meio-campo com três volantes, bem distantes do trio ofensivo formado por Thiago Neves, Ronaldinho e Deivid. E o resultado é que o Vasco começou o segundo tempo parecendo mais dono do jogo.

Só que, em um contra-ataque, Deivid foi bem e serviu Renato para empatar. A partir daí, o Vasco se perdeu e o Flamengo jogou com tranquilidade, controlando a partida - especialmente a partir da justa expulsão de Jumar. Claro, era o Vasco quem tomava mais iniciativa de atacar, mas não conseguia realmente criar boas jogadas. Foi um time nervoso, desarrumado e que errava demais. E o Flamengo até teve chances de virar o jogo.

Pra torcida do Flamengo, vale a comemoração pela vaga na Libertadores no clima de zoação em cima do vice de novo. Mas tenho a impressão de que, desta vez, os vascaínos vão pegar menos essa pilha. Hoje o Vasco não foi bem, mas sua torcida termina o ano orgulhosa de seu time.


* * * * * * * * * *


Não entendi bem porque Luxemburgo resolveu barrar Deivid nestes últimos dois jogos, justo quando ele começou a jogar um tantinho melhor. Nas últimas partidas, na verdade, ele foi o melhor dos três da frente. E hoje foi bem quando entrou.

Mas bem pior do que o técnico rubro-negro hoje foi Cristóvão. Para um treinador que tinha a vitória como único resultado que interessava, não deu pra entender suas substituições. A cinco minutos do fim, para colocar um atacante a mais, resolveu tirar Diego Souza, provavelmente o jogador com maior poder de decisão que tinha em campo. Não foi coisa de quem realmente pensava em ser campeão não.




4/12/2011 - 17h - Vasco 1 x 1 Flamengo
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda/Público: R$ 1.261.440,00/ 34.064 pagantes

Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Jóia (RJ) e Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ)
Cartões amarelos: Jumar, Bernardo, Fernando Prass, Eduardo Costa (VAS); Alex Silva, Negueba, Renato (FLA)
Cartões vermelhos: Jumar (VAS) Felipe (VAS); Renato (FLA)

Gols: Diego Souza, 29'/1°T (VAS); Renato, 10'/2°T (FLA)

Vasco: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Renato Silva e Jumar; Rômulo, Nilton, Fellipe Bastos (Eduardo Costa, 21'/2°T) e Felipe (Bernardo 21'/2°T); Diego Souza (Elton, 39/2°T) e Alecsandro. Técnico: Cristovão.

Flamengo
: Felipe, Léo Moura, Alex Silva, Welinton e Junior Cesar (Rodrigo Alvim, 33'/2°T); Willians, Fierro (Muralha - Intervalo), Renato e Thiago Neves; Negueba (Deivid - Intervalo) e Ronaldinho. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

2 comentários:

Luis disse...

Não sei se dá para comemorar o vice do Vasco e a suada classificação para a Libertadores. Tudo indica que Luxa segue na Gávea e com esse cara não teremos um time bem treinado.

E tomara que Ronaldinho e outros entrem em uma barca bem grande e deixem a Gávea......

André disse...

Realmente é impossível de entender as duas últimas escalações de início sem centroavante.

São raros os times no mundo que conseguem atuar bem sem um atacante de referência e fazendo uma rápida busca mental me lembro apenas do Barcelona.

Precisamos para 2012 no mínimo de 1 atacante rápido, da renovação do Thiago Neves que melhorou um pouco nesta reta final, mas que não vale os R$18.000.000,00 e não sei se a permanência do R10 é válida.

Precisamos de mais movimentação do meio campo e para isso é vital que o técnico repense a escalação de Aírton, Willians e Renato. São 3 jogadores que aliam posicionamento excessivamente recuado e baixíssima qualidade técnica com lentidão. Com estes 3 juntos e ainda por cima com Ronaldinho de atacante fica impossível sair em velocidade e tramar jogadas com os laterais, já que estes não tem com quem tabelar e fazer jogadas de ultrapassagem.

Alex Silva foi uma decepção e ontem voltou a falhar no único quesito em que não pode falhar, já que tem quase 2 metros: A bola aérea. Impressionante como consegue ser falho neste fundamento.

O que temos de "base" para 2012 é: Goleiro (Felipe), se renovar, 1 zagueiro razoável (Alex Silva), laterais (J.César e Léo Moura), 1 volante (Willians ou Aírton), 1 meia (Thiago Neves) e 1 centroavante mediano (Deivid).

Como vemos a base é mediana e com isto teremos não conseguiremos nada.

Vamos ver o que os próximo dias nos revelam de dispensas (muitas, muitas) e de reforços e utilização da base.

obs: é muito legal poder cantar VICE DE NOVOOOO!!!!