Começando a falar do terrível balanço 2010 do Flamengo

Que os resultados em campo foram ruins, a gente já sabia. Mas só agora vemos o quanto a coisa também foi feia fora das quatro linhas


* * * * * * * * * *

Estive pensando aqui qual seria o momento de começar a colocar por aqui as minhas impressões sobre o balanço patrimonial do Flamengo em 2010, publicado no site oficial às vésperas da decisão contra o Vasco. Não daria tempo de analisar pra valer antes do jogo, e nem seria de bom tom falar disso logo antes do clássico; agora, com o time campeão invicto, talvez a maioria não esteja no clima de ler sobre este assunto que, normalmente, já é pesado demais pra todo mundo.

Mas decidi que a hora vai ser agora mesmo. Quinta já tem Copa do Brasil, então vamos em frente com o tema - que, até agora, não ganhou uma linha sequer na imprensa esportiva. Vou dividir o tema em alguns textos, provavelmente publicados entre hoje e amanhã, pra cada postagem não ficar longa demais e aumentar a chance de vocês chegarem até o final. Mas adianto: não fiquei nada otimista com o que vi ali. Bem pelo contrário.


* * * * * * * * * *


Enquanto outros clubes, como o Corinthians, melhoram a apresentação de seus balanços e os transformam em peças de comunicação, o do Flamengo é um pdf quase sem formatação.

Se não os torcedores ou até o mercado, ao menos os sócios – como eu – têm todo o direito de entender como anda a situação do clube e como foi que a diretoria a administrou ao longo do ano, e o momento de divulgação do balanço deveria ser usado para que as explicações necessárias sejam dadas. O próprio balanço poderia ser um instrumento de comunicação que colocasse as coisas às claras. Porém, do jeito que o do Flamengo é publicado, um monte de questões ficam nebulosas e complicadas de se entender - ao menos para olhos mais leigos como os meus -, com receitas e despesas sendo lançadas de forma genérica, sem nenhuma explicação que dê uma pista do que se tratam. Fica a questão: qual o tamanho do interesse da diretoria em esclarecer quaisquer dúvidas sobre a real situação financeira do Flamengo?

É bom deixar claro que a análise aqui não é de um especialista em contabilidade. Publicarei alguns textos falando do balanço com um pouco mais de detalhes, mas reparos e observações de gente mais gabaritada do que eu no assunto são mais do que bem vindos. De qualquer forma, este é o resumo:

- As receitas do clube tiveram algum crescimento de 2009 para 2010, apesar da queda de bilheteria e vendas de jogadores. A explicação está no contrato com a Olympikus e no contraste em relação a um ano em que passou-se muitos meses sem patrocínio no uniforme, como foi 2009. Para 2011, as bilheterias devem voltar a cair, os patrocínios também não parecem que vão aumentar, mas a receita total deve crescer graças aos novos contratos de TV.

- As despesas se mantiveram estáveis, apesar de um enorme corte de gastos no futebol – isso porque passou-se a gastar bem mais nos demais esportes. Pergunta: será que se tivessem apresentado antes aos conselhos do clube um orçamento que tirasse R$20 milhões do futebol para investir em natação, basquete, ginástica e outros, isso teria sido aprovado?

- Mesmo com o clube tendo superávit operacional no ano, a dívida de curto prazo aumentou em 48%, algo muito preocupante. Não imaginava que algo assim tivesse acontecido, especialmente com todo o discurso da diretoria de “pés no chão” e “estamos colocando ordem na casa”. Para cumprir compromissos imediatos, houve ainda um enorme adiantamento de receitas de contratos em vigor que deveriam entrar nos cofres do clube só em 2012. Devem estar contando muito, mas muito mesmo com o dinheiro da Globo para o clube sobreviver nos próximos anos.

- Uma observação: enquanto nos anos anteriores o balanço vinha sendo auditado pela Casual, desta vez o parecer independente é dado pela Loudon Blomquist. Eles afirmam que pediram informações sobre credores, fornecedores, empréstimos bancários e ações judiciais que não lhes foram fornecidas a tempo para que fizessem seu trabalho de maneira mais completa. Este tipo de observação também aparecia nos pareceres da Casual nos últimos balanços.


* * * * * * * * * *

Quem quiser saber como andavam as contas do clube nos anos anteriores, pode ler os textos que publiquei aqui na época em que saíram os balanços de 2008 e 2009.

4 comentários:

gusthfreitas disse...

Bom, sobre o aumento na divida a curto prazo, se fosse detalhada, concerteza apareceria entre esses 48% de aumento as dividas do Fla com os jogadores Adriano, Vagner love, Pet e Gamarra (houve muitos parcelamentos das dividas), e o dinheiro gasto com luvas e premiações, de resto, não faço nem ideia..

João disse...

Fiquei impressionado com as dívidas bancárias. Como podem deixar o clube dever empréstimos a juros estratosféricos? Isso é pedir para quebrar. Se bem que esses dirigentes, incluída a Pat vereadora, não ligam quase nada pra isso.

Bosco Ferreira disse...

Não sei porque ainda gosto de futebol!

Com tanto incompetente gerindo os clubes!

Quando pensamos que as coisas podessem melhorar vão é piorando.

Flora disse...

É complicado.
A Paty usou, como desculpa pro aumento absurdo do gasto com os esportes olímpicos, que ela recebeu o clube com salários atrasados e muitas pendências nessa área.
E eu que achava que pelo menos a ginástica e o basquete se pagavam.

E pra explicar o aumento da dívida ela falou que eram culpa dos juros altos.

Sinceramente pro Flamengo aliviar um pouquinho a situação só vendendo bem algumas de nossas promessas que como o Adryan e o Diego Maurício.

E eu acho que ela pensa nisso também.