Não faria sentido para a Olympikus investir agora em Adriano

A situação em 2011 é bem diferente da de 2009.

* * * * * * * * * *

Em 2009, a volta de Adriano significava um ídolo para um time que havia encerrado mal o ano anterior e que há muito tempo não tinha um craque daquela grandeza. Fazia sentido para a Olympikus investir naquilo (e não era só "dinheiro novo", mas também redirecionamento de verba já prevista no contrato com o Flamengo, que iria originalmente para outros fins): era uma forma de colocar o Flamengo em destaque na mídia, animar a torcida, estimular a venda de seus produtos.

Hoje, a história é bem outra. O Flamengo já tem Ronaldinho Gaúcho, o clima na torcida já é bom, o clube não tem o que reclamar quanto à exposição na mídia - e, pra completar, já houve um período de péssima experiência quanto aos resultados da presença de Adriano para a marca, durante os meses de 2010 em que esteve por aqui. Claro, a volta de Adriano animaria muita gente agora e, se os resultados em campo forem bons, fora dele podem ser ainda melhores.

Claro, a explicação oficial é de que não há mesmo dinheiro disponível e isso pode até ser verdade. Mas, com tudo indo bem, faz sentido para a Olympikus empenhar dinheiro seu nesta aposta?

:: GloboEsporte: Fornecedora de material diz que é impossível ajudar Fla a ter Adriano

3 comentários:

laninha disse...

olha seria um bom investimento se ele se mostrar a vontade de joga como ele jogava antes

Bosco Ferreira disse...

Um dos motivos do rompimento da "Batavo" com o CRF foi o envolvimento constante da marca Flamengo no noticiario policial diariamente por causa do Adriano, W. Love e depois por causa do Bruno.

Nessa época, até a ausência do torcedor foi sentida no Maracanã.

Bosco Ferreira disse...

LANINHA;
Você acredita de verdade que isso possa acontecer?

Correria esse risco de apostar nesse sua ilusão, mesmo sabendo que estaria em jogo todo um projeto de renovação do elenco e de moralização em busca de títulos e de bons patrocinadores, além da melhoria da imagem do clube junto as crianças e adolescentes, tão desgastada com os recentes abusos cometidos por jogadores sem nenhum compromisso com o clube e com a sua própria carreira.