Adriano: o pacote completo vale a pena?

A diretoria faz o certo em pesar tudo e decidir seguir sua vida sem o Imperador.



* * * * * * * * * *

Ninguém que torce por um time de futebol vibra simplesmente porque seus jogadores chegam na hora no treino. Os campeonatos que as equipes disputam não são de bom comportamento, e sim de futebol. Assim sendo, o que o torcedor comemora é o cara botando a bola pra dentro do gol, e não batendo ponto no horário combinado todo dia, como funcionário-padrão. E estão certos.

É por isso que tanto torcedor quer Adriano de volta e não se conforma em ouvir Luxemburgo dizer que ele "não se encaixa nos planos"; desde que o treinador deu essa entrevista, começaram até a chegar pra mim uma porção de comentários e e-mails pelo blog, de gente que acha que eu sou a Patrícia Amorim, exigindo que eu "dê um jeito no Luxa" e traga Adriano de volta.

Mas o raciocínio do torcedor é este: "o Adriano é tão bom dentro de campo, vai resolver tanto jogo pra gente, que foda-se o que ele apronta fora". E tem até os que acreditam que estes desvios seriam resolvidos com um contrato bem amarrado, cheio de cláusulas e multas e punições.

Bom, se eu fosse mesmo a Patrícia Amorim, estaria fazendo como a Patrícia de verdade, que soltou nota dando força à posição externada por seu treinador (por mais que muitos ainda vejam um jogo de cena nisso tudo).


* * * * * * * * * *


O que Adriano apronta fora de campo muda o que ele produz dentro dele. Aí vem o raciocínio: "Adriano gordo e bêbado é melhor que todos os outros e trouxe o Hexa pra gente". Só que eu não concordo com isso.

Esta visão do Adriano gordo e bêbado destruindo todo mundo é muito influenciada por um período em que, vejam vocês, ele não estava gordo e bêbado. Em determinado momento do Brasileiro de 2009, Adriano motivou-se por uma convocação à Seleção; mais do que motivação, veio também uma internação de 10 dias com o grupo de Dunga, dormindo no horário, alimentando-se direito e treinando tudo o que tinha que treinar. De lá, ele voltou sinistro, tirando a camisa e mostrando seu físico de Hulk a cada gol marcado. Aquele Adriano realmente destruía todo mundo e sua simples presença muda qualquer time. Talvez não percebam, mas é com aquele Adriano que muita gente está sonhando - e eu não creio na volta daquele Adriano, que durou bem pouco tempo.

Antes daquilo, Adriano já disputava a artilharia do campeonato e era um "bom centroavante" - mas não excepcional. Estava um tantinho acima do peso, entregava-se facilmente à marcação adversária em vários jogos e sua simples presença não evitava que o Flamengo patinasse no meio da tabela, com alguns até se preocupando com rebaixamento. Com ele em campo, aquele time foi goleado por Coritiba, Sport e Avaí. Este mesmo Adriano lamentavelmente voltou nas rodadas finais do Brasileiro; mesmo a proximidade do título não o motivou a continuar se cuidando e ele se arrastou no empate contra o Goiás, teve uma queimadura de lâmpada que o tirou do jogo com o Corinthians e foi muito mal contra o Grêmio. Se dependesse mesmo daquele Adriano, o Flamengo teria perdido o Brasileiro de 2009 no seu final. Para o bem de todos e felicidade geral da Nação, acabou dando tudo certo.

No ano seguinte, Adriano voltou fazendo seus gols, como bom centroavante que é, nos pequenos do Rio. Mas as atuações nunca foram de encher os olhos, o físico não parecia em dia e ele ainda desfalcou o time em várias partidas, importantes inclusive, por problemas diversos. Arrumou alguma motivação para voltar a jogar melhor no final da participação do Flamengo na Libertadores - afinal, ainda queria tentar salvar sua vaga na Copa do Mundo. Isso durou bem pouco; o Flamengo foi eliminado, Dunga não o convocou e ele simplesmente desapareceu da Gávea. Mesmo sob contrato, parou de ir ao clube e de entrar em campo, até finalmente se mandar para a Itália.

Escrevi isso na época: falam muito do pacote completo de Adriano, aquele que todo mundo conhece. Pois, em minha visão, ele inclui um bom centroavante, mas não excepcional, pois nunca verdadeiramente "entra em forma"; um cara que vai aproveitar bem as chances que aparecerem, mas não as fará surgirem com mais frequência; uma peça a mais, mas não alguém que realmente coloque o time em outro nível. Isso quando estiver em campo, claro - pode ser que não esteja, com alguma frequência, por um motivo ou por outro.

Levando isso em consideração, pra mim, o pacote completo não vale a pena. O que ele joga, pra mim, não é o bastante para aturar tudo o que vem junto com um cara que simplesmente se coloca sempre acima do clube para o qual joga - seja ele Internazionale, Roma ou o seu Flamengo.


* * * * * * * * * *


Não vale a pena especialmente porque o Flamengo ainda tem um problema de imagem a resolver.

Quando se fala que "Flamengo é Flamengo", o entendimento pra muita gente não é só pelo lado bom. O Flamengo ainda carrega o peso de anos de salários atrasados, de falta de estrutura mínima para se trabalhar e de ausência de disciplina. Um lugar onde todo mundo faz o que quer, um lugar onde mesmo quem é muito bom tem dificuldades de render bem. Esta imagem atrapalha negociações, afasta profissionais bem colocados no mercado ou os faz levantarem bastante o preço para aceitarem trabalhar no Flamengo e faz até mesmo possíveis parceiros ou patrocinadores torcerem um pouco o nariz. Neste momento, o clube tenta sinalizar com todas as forças que está deixando tudo isso pra trás, mas este fantasma ainda está lá.

A volta de Adriano, com o que ele pode trazer junto, seria um passo pra trás. Se em 2009, sua chegada era também uma aposta na exploração de sua imagem, hoje o cenário é bem diferente. Já nos acostumamos a achar que, se um profissional bom e sério recebe propostas iguais de Flamengo, Cruzeiro, São Paulo e Inter, a Gávea seria sua última opção. Espero ver o dia em que, definitivamente, não seja mais assim.

E espero também que a diretoria siga trabalhando para isso. Por mais que, nas negativas sobre a volta do Adriano, surja sempre o "neste momento" que dá alguma esperança a quem sonha com o Imperador.


* * * * * * * * * * 

O bom Rica Perrone, defendendo a contratação de Adriano, escreveu o seguinte:  "Eu traria. Colocava clausulas de segurança pro clube não ser lesado, multas pelos atrasos e se não tomar jeito, daqui 1 mes é rua! Pronto, simples, como em qualquer empresa." Na boa: com tudo o que aprontava no início de 2010, mas fazendo seus golzinhos, era simples pra diretoria colocá-lo na rua, "como em qualquer empresa"? Não é por aí.

Adriano nunca virá para ser mais um. Ele não acha isso, o técnico não acha isso, a diretoria não acha isso, a torcida não acha isso. Por isso, para o bem ou para o mal, será sempre difícil tratá-lo como mais um. E justamente por isso, quando ele falhar, isso vai pesar mais para o time do que se acontecer, digamos, com um Diego Maurício.

* * * * * * * * * * 

Seria mesmo muito curioso que, com todas as coincidências já existentes entre a passagem de Luxemburgo pelo Flamengo em 1995 e este seu atual retorno, ainda houvesse mais essa: ele acabasse saindo do clube por conta de atritos com um centroavante fora de série e fora do sério.

14 comentários:

bruno disse...

Acho que o "pacote Adriano" realmente valeu a pena em 2009. O time estava muito por baixo, sem nenhuma boa perspectiva após um 2008 em que brigou na parte de cima da tabela (e após o episódio Ronaldo). O pouco que ele jogou foi essencial pra conquista do hexa. Em 2010, não foi bem, mas também não foi tão mal. Os resultados em campo não foram bons por uma serie de motivos que não só o Adriano (elenco mal montado, Andrade não conseguiu arrumar o time, principais jogadores em má fase).
Hoje, o time está numa fase totalmente oposta àquela de 2009. Já há um craque no time, os resultados são bons e as perspectivas são boas. Por isso, apesar de gostar do Adriano e ainda não ter uma opinião formada sobre essa possível volta, entendo perfeitamente quem seja contra, pois, sendo racional, o Flamengo hoje não precisa aturar esse "pacote".

Flávio Honorato disse...

BABOSEIRA
blá blá blá
EU QUERO ADRIANO DE VOLTA

Robson Maximo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Robson Maximo disse...

Acredito muito que o Imperador ainda tenha jeito.
Mais uma chance no Mengão o ajudaria muito.

Flávio Rafael disse...

André, parabéns pelo texto, o melhor que li até agora sobre a mala sem alça do Adriano. Assino embaixo e lamento muito que mesmo após a explanação do quão ruim seria para o Flamengo trazer o Cachaça de volta ainda entrem uns caras aqui e em outros lugares pedindo a volta dele e pasme, a saída do Luxemburgo. O Fla ideal para esses "rubro-negros" dever ser com o Adriano "bêbado e gordo" (como eles mesmos falam) de centro-avante e "craque" do time e a volta do possante Rogério Lourenço ou algum similar da base da Gávea, é triste mas hoje em dia para torcer para o Flamengo tem que ter paciência com essa galera que se diz Flamengo mas que na verdade torce pra jogador e não pelo nosso clube. Abraços/SRN

Bosco Ferreira disse...

Ótimo texto.
Até parece que foi eu quem o escreví.
Ainda quero vêr o André presidente do Flamengo.

Fabrício Morais disse...

Bem, Adriano poderia até ser um exelente centro-avante, afinal, não queremos um pretendente para casar com nossas filhas, queremos jogador de futebol, mas apesar do potêncial dele, a inconstância dele seria um grande risco.
Acredito que mesmo fazendo um contrato cheio de cláusulas, multas e afins, sua inconstância extra-campo afetaria o elenco, comprometendo todo um projeto.
Na minha opinião, de expectador de futebol, seria mais vantajoso para o Flamengo tentar trazer de volta o Vagner Love. :D

Gustavo disse...

Gosto muito das suas opiniões, André, mas dessa vez tenho que discordar. Acho que você se apoiou muito no argumento da imagem e mesmo assim achei um argumento um pouco fraco, é só perguntar para a OLK se foi lucrativo ter o Adriano no mengão. Essa tese que ele tem lampejos de craque também não me convence, mesmo no ruim ano de 2010, o cara marcou 15 gols, não existe ninguém no elenco que vai chegar perto disso até junho. Temos uma carência importante no ataque e o Adriano cairia como uma luva, mas a diretoria prefere ficar ouvindo a nossa preconceituosa imprensa que enche o saco do cara por cada chopp que ele toma. Acho que o Garrincha não sobreviveria como ídolo no futebol de hoje.
Aliás essa diretoria está craque em desqualificar ídolos - Zico, Pet e Adriano. Mas, para quem acha que a Taça Guanabara é parâmetro para um time preparado para o Brasileirão, o negócio é torcer pelo Deivid e o nosso professor mesmo...

Murdock disse...

É, André, vc tem uma visão mais crítica e séria da coisa, a maioria da torcida pensa como o outro ali, "bla bla bla quero Adriano", nem sabem bem quem é Adriano. Esquecem do cara que deixou o time em jogos na Libertadores e ficou tudo nas costas do Love.

Vamos ver amanhã, se não ganhar do Fluminense vai ter gente pedindo a cabeça do Luxa por nada. A mesma torcida que há uns 10 meses mandava Adriano tomar no c...

ricardo disse...

Eu não creio que o Adriano esteja descartado.

A nota oficial do Fla fala claramente que ele não está nos planos "NESTE MOMENTO" e ainda fala na disputa do "TAÇA RIO, ESTADUAL E COPA DO BRASIL".

Nem que o Flamengo quisesse ele poderia disputar essas competições porque está machucado e só volta a jogar a partir de maio como ele mesmo disse.

Maio? Estranho! Não é quando começa o Brasileiro??

Luxa no seu BLOG postou que "Em momento algum emiti opinião se sou a favor ou contra à volta do Adriano ao Flamengo".

Ou seja, todo mundo dizendo que não quer, mas todo mundo deixando a porta aberta para uma negociação.

Eu acredito que vão fechar com ele pro Brasileiro.

Acho que o maior problema hoje não são as faltas do imperador. O maior problema é conseguir algum patrocinador disposto a dividir esse custo.

Se conseguirem, Adriano vestirá a 9 no Brasileirão.

leonado disse...

eu quero adriano de volta no mengao!!!
e fora devid nao joga nada
numca vou deixar de ter adriano no meu time para ter devid

Murdock disse...

Uma coisa que pouco se fala. Até 2009 o Flamengo era o time de favelados, mulambos, pé-rapados, analfabetos. Desde o início de 2010 com o que foi aprontado por Bruno e Adriano, o Flamengo passou a ser time de bandidos, ou seja, além de todos os problemas como atleta, ainda manchou o nome do clube.

maicontucuman disse...

patricia se vc deu um chance para o felipe que nao e nada porque nao dar uma chance ao adriano que a naçao tanto pede precisamos de um goleador deivd nao da

Eduardo H. Costa disse...

É muito simples de entender.

Bombas de 2010:
- Adriano com seus amigos que são contra a lei
- O lunático do Bruno matador
- Um incopetente diretor de futebol

Chamaram quem pra apagar o fogo?

E o que fez um diretor amador ex-lider de torcida falando asneira botando em cheque a hombridade desse cara?

E o que a presidenta fez?(Queimou o Zico).

Agora pense comigo... Por que será que a presidenta apoiou o treinador no não retorno de um dos problemas que quase afundou a carreira política dela no CRF? ahm? ahm? ahm? Conseguiu ligar os pontinhos? MASSA!

Fim.

Uma rápida defesa do ZICO: Apesar de algumas contratações ruins(Vai Baiano e primo de reinteria) o cara mostrou como se faz negócio(vide R10 né presidenta? Ta aprendendo... menos palanque e mais suor) e ponta pé no CT. Pra mim, saldo positivaço. Tirando o boca larga que miô o esquema do paizão Scolari.

Sem mais caô...

Flamengo até morrer eu sou!